Homem se passa por representante de empresa de distribuição de bebidas de Lagoa da Prata e causa prejuízos à diversas pessoas na cidade

Homem se passa por representante de empresa de distribuição de bebidas de Lagoa da Prata e causa prejuízos à diversas pessoas na cidade

Foto: AF Notícias/Reprodução

Diversas pessoas foram lesadas em Lagoa da Prata, após um rapaz, que se passava por representante de uma empresa de distribuição de bebidas local, vender produtos os quais não tinha autorização para tal e muito menos tinha sobre sua posse para disponibilizar aos “clientes”. O homem usava credencial e uniforme da empresa, a qual relatava ser funcionário.

A reportagem entrou em contato com a empresa, que não terá o nome divulgado por não ter relação com os crimes, mas não tivemos os questionamentos respondidos. O contato foi feito no dia 8 de junho. Uma das vítimas informou que ao ter ciência de que havia caído no golpe, entrou em contato com a empresa que informou brevemente que já haviam recebido essa informação. Sem informar se estariam tomando medidas para evitar que mais pessoas caiam no golpe e para que o rapaz não mais continuasse fazendo falsas vendas em nome da empresa.

Segundo a Polícia Civil, as denúncias contra o rapaz foram realizadas apenas nas redes sociais e que ninguém formalizou boletim de ocorrência. Sobre a ficha criminal do rapaz, a polícia informou que não pode passar esse tipo de informação. Em conversa com uma das vítimas, ela disse que estão com medo, pois depois de tudo que o rapaz fez, nada aconteceu ainda, então o receio é enorme.

O Jornal Cidade teve acesso a diversos depoimentos que mostram que o homem agia em várias frentes para fazer vítimas na cidade, como vendedor de suplementos, bebidas, materiais de pesca e comprava diversos itens com cheque sem fundo.

“Então, eu e meu marido levamos um prejuízo de quase R$ 7 mil, diante de uma pandemia, imagina você levar um golpe desse valor? Diante de uma situação tão complicada para todos. Sim, ele oferece bebidas usando o nome de uma empresa renomada na cidade, apresenta crachá, e fazemos o pedido. Como ele alega ser uma grande promoção, o pagamento precisa ser antecipado. Claro que pagamos, já estamos acostumados a fazer pedidos nessa empresa, e nunca tivemos prejuízo. Empresa essa que ele não trabalha, apenas usa o nome e credenciais. Após isso, o seu pedido nunca chega, e o dinheiro não é devolvido. Estamos aguardando tal pedido há três meses, isso mesmo: três meses! Vocês devem estar pensando: Resolve isso na justiça. Sim, é o que vamos fazer. Porém estou deixando aqui pra vocês para que ninguém sejam os próximos a passar por isso. Todos os dias ele inventa uma história, todo dia uma desculpa.

Não existe mercadoria, e nunca devolve o dinheiro. Porém tenho inúmeros prints, áudios, gravações, e mensagens do mesmo! Ir na casa dele como ele manda nas demais publicações no Facebook? Já cansamos! Não foi uma e nem duas vezes que meu marido perdeu noite de sono esperando ele entregar a mercadoria. Ligar pra ele?! Milhares de vezes! Acredito que ninguém aqui tenha R$ 7 mil para dar para alguém que nunca viu. Meu marido trabalha 18 horas por dia, eu passo até três noites sem dormir trabalhando, pra vir uma pessoa sem escrúpulos e fazer isso. Sendo assim, eu peço encarecidamente que ninguém acredite nas tramoias que ele cria! Se diz evangélico, mal sabe ele que Deus é verdade. Deixo aqui a minha indignação”.

Outras pessoas, ao verem uma publicação nas redes sociais falando sobre o caso também começaram a se manifestar e explicar como se tornaram vítimas nas ações do rapaz.

“O meu foi pouco perto do seu, R$ 960. Temos que combinar de todo mundo ir lá na porta dele um dia. Várias vezes acordando cedo, perdendo noites de sono esperando-o, e nada”.

“Temos uma conveniência e ele nos vendeu bebidas. O prejuízo foi grande, mas se Deus quiser ele vai pagar. Seja o dinheiro ou na cadeia”.

“Meu irmão também levou um prejuízo de mais de R$ 5 mil. Meu irmão vendeu baby doll e ele passou cheque sem fundo. Nunca mais meu irmão conseguiu receber. Ele já faz isso tem um tempo”.

“Ele deve meu pai há muitos anos. Trocou o cheque e deu o cano, isso tem uns sete anos”.

“Não é de hoje que ele arruma essa mexida, conheço ele, me deve vai fazer dois anos. Passa perto de mim e finge que nunca me viu. É mentiroso, leva as pessoas na lábia”.

“Meu padrasto também caiu no golpe dele. Ele disse que vendia uns molinetes de pesca por R$ 150, só que tinha que pagar antes para fazer a entrega na minha casa. Até hoje não vimos os molinetes”.

“Esse cara me deve uns R$ 150. Quando eu malhava, ele falou que vendia suplementos e pegou R$ 250, consegui recuperar R$ 100, mas os outros R$ 150 nunca mais vi”.

“Deu o cano em um primo meu também de R$ 5 mil. Há muito tempo, nunca pagou”.

“Nunca que vocês vão receber dele. Ele fez a minha cabeça pra emprestar R$ 350 pra ele. Isso tem uns cinco anos e nunca mais vi meu dinheiro de volta. Infelizmente, esse é o caráter de uma pessoa que diz ser homem. Mas tudo que aqui se faz, se paga. A justiça divina nunca falha”.

“Um dia ele me mandou mensagem dizendo que estava precisando de R$ 100 pra internar a vó dele e no hospital não aceitava cartão. Ele tinha um pouco de dinheiro, mas faltava R$ 100. Fiquei com dó e emprestei. Cobrava e ele sempre tinha desculpa. Nunca me pagou”.

O Jornal Cidade continuará acompanhando o caso para saber como ficará a situação das vítimas e se futuramente o rapaz responderá pelos crimes.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄