“Hoje, a maioria dos pacientes que necessitam de internação são pacientes de 35 a 60 anos”, diz médico de Samonte

“Hoje, a maioria dos pacientes que necessitam de internação são pacientes de 35 a 60 anos”, diz médico de Samonte

Em complemento aos dados que o médico Eduardo Nardy expôs, o prefeito Leo Camilo pediu a colaboração da população para que esse momento passe mais rápido e tudo volte às normalidades.

Foto: Freepik/Divulgaçaõ
Rhaiane Carvalho

O país está enfrentando a segunda onda da pandemia de covid-19, que veio de forma mais severa e atingindo principalmente os mais jovens. Em razão do colapso do sistema de saúde de Minas Gerais, nesta semana, o governador Romeu Zema decretou que todas as cidades do estado entrassem na Onda Roxa, fase mais restritiva do programa Minas Consciente.

Com essa adesão ao protocolo, o médico e diretor clínico da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Santo Antônio do Monte, Eduardo Nardy, explicou várias situações, inclusive, como o cenário mudou nos últimos tempos em relação aos contaminados de covid-19. “No início da pandemia e até o mês passado, davam entrada na UPA pacientes idosos, pacientes com 80, 90 anos. Hoje, a grande maioria dos pacientes que dão entrada na UPA, sintomáticos e pacientes que estão para ser internados, são pacientes de 38 a 60 anos. Então essa coisa de “ Ah, eu sou jovem”, eu posso ir pra festa”, isso acabou! Porque a maioria dos pacientes que necessitam de internação hoje, são pacientes de 35 a 60 anos”, explicou.

Segundo o prefeito Leo Camilo, tudo o que foi possível foi feito para que essa fase não chegasse. “A Onda Roxa cria restrições, obviamente, não era a nossa vontade. Desde o início nós tentamos de tudo para que mantivéssemos a vida da população como sempre foi, para que seu cotidiano não mudasse muito, mas, infelizmente, devido aos fatos ocorridos nos últimos dias, e agora este decreto, temos que nos cuidar ainda mais. Nosso decreto é um decreto bem explicativo, copiamos praticamente do estado e vamos fazer ser cumprido à risca”.

Foto: Assessoria de Comunicação de Samonte/Divulgação

Leo Camilo ainda pediu a colaboração da população para que esse momento passe mais rápido e tudo volte às normalidades.

 Quero dizer à população que isso é por um período e não é definitivo. Nesses 15 dias, peço a compreensão da população, pois o Poder Público por si só não consegue resolver o problema da covid-19 no nosso município. Agora, se a população tiver consciência, ela por si só resolve. Mas trabalhando juntos, a nossa administração e a população resolveremos mais rápido essa questão. Temos pessoas hoje internadas da UPA e não temos como encaminhar para nenhum hospital que é porta de covid do município, porque todas as vagas estão ocupadas.

Falta de vagas no estado

Ele ainda enfatizou que a situação é muito séria. “A situação é muito preocupante, pacientes estão ficando na UPA entre 24 a 48h. Eu tenho aqui um mapa de leitos da macrorregião, e estamos com 97% de leitos ocupados. De 148 leitos disponíveis, temos apenas 4 leitos livres para internação. Pacientes de enfermaria em toda região tem 248 vagas e apenas 9 vagas livres para internação de clínica”, disse o médico.

Nardy destacou que a dificuldade em conseguir leitos e transferências têm sido algo extremamente difícil e preocupante. “Hoje, na UPA estamos com um paciente jovem, de 38 anos, aguardando a mais de 24h para ser transferido e não conseguimos ainda a vaga dele. Esse paciente está ficando entre 24 a 48hrs na upa aguardando estas vagas e está difícil em virtude dos leitos estarem todos ocupados”.

Importância do cumprimento da Onda Roxa
Foto: Assessoria de Comunicação de Samonte/ Divulgação

De acordo com o médico, é muito importante que a população entenda a importância de se cumprir medidas rigorosas de combate ao vírus.

 A Onda Roxa vem no sentido de diminuir a circulação do vírus, liberar as vagas de Centro de Terapia Intensiva (CTI) para depois não termos essa ocupação, como está tendo agora. O paciente com covid-19, quando fica mais tempo em observação na UPA, ele acaba colocando em risco a equipe, os profissionais e os outros pacientes não-covid que estão indo ao local procurando o atendimento.

Ele ainda solicitou que a população procure a UPA se realmente tiver necessidade.

Netwise

“Então, a orientação é procurar a UPA em casos de necessidade. Temos aí, os postos de saúde que funcionam muito bem, diminuímos agora as consultas agendadas para aumentar a demanda nos postos de saúde para receber esses pacientes com uma lombalgia, uma dor no joelho. Esses pacientes que não sejam covid, que não sejam pacientes graves e que não necessitem de atendimento urgente na UPA, descentralizamos esses pacientes para os postos de saúde, para não entrarem com uma queixa pouco grave e saírem contaminados por covid”, explicou.
Veja quais serviços estão autorizados a funcionar:

  • Setor de saúde, incluindo unidades hospitalares e de atendimento e consultórios;
    Indústria, logística de montagem e de distribuição, e comércio de fármacos, farmácias, drogarias, óticas, materiais clínicos e hospitalares;
  • Hipermercados, supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, padarias, quitandas, centros de abastecimento de alimentos, lojas de conveniência, lanchonetes, de água mineral e de alimentos para animais;
  • Produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados; distribuidoras de gás;
    Oficinas mecânicas, borracharias, autopeças, concessionárias e revendedoras de veículos automotores de qualquer natureza, inclusive as de máquinas agrícolas e afins;
  • Restaurantes em pontos ou postos de paradas nas rodovias;
  • Agências bancárias e similares;
  • Cadeia industrial de alimentos;
  • Agrossilvipastoris e agroindustriais;
  • Telecomunicação, internet, imprensa, tecnologia da informação e processamento de dados, tais como gestão, desenvolvimento, suporte e manutenção de hardware, software, hospedagem e conectividade;
    construção civil;
  • Setores industriais, desde que relacionados à cadeia produtiva de serviços e produtos essenciais;
  • Lavanderias;
  • Assistência veterinária e pet shops;
  • Transporte e entrega de cargas em geral; call center;
  • Locação de veículos de qualquer natureza, inclusive a de máquinas agrícolas e afins;
  • Assistência técnica em máquinas, equipamentos, instalações, edificações e atividades correlatas, tais como a de eletricista e bombeiro hidráulico;
  • Controle de pragas e de desinfecção de ambientes;
  • Atendimento e atuação em emergências ambientais;
  • Comércio atacadista e varejista de insumos para confecção de equipamentos de proteção individual – EPI
    e clínico-hospitalares, tais como tecidos, artefatos de tecidos e aviamento;
  • Representação judicial e extrajudicial, assessoria e consultoria jurídicas;
  • Relacionados à contabilidade;
  • Serviços domésticos e de cuidadores e terapeutas;
  • Hotelaria, hospedagem, pousadas, motéis e congêneres para uso de trabalhadores de serviços essenciais como residência ou local para isolamento em caso de suspeita ou confirmação de covid-19;
  • Atividades de ensino presencial referentes ao último período ou semestre dos cursos da área de saúde;
    Transporte privado individual de passageiros, solicitado por aplicativos ou outras plataformas de comunicação em rede.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄