Festa clandestina termina com morte de jovem baleado em Lagoa da Prata

Festa clandestina termina com morte de jovem baleado em Lagoa da Prata

De acordo com a Polícia Militar, houve uma briga durante o evento e um dos envolvidos efetuou um disparo contra um jovem que não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo após receber atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade.

Uma festa clandestina realizada no bairro Sol Nascente, em Lagoa da Prata terminou com a morte de um jovem baleado e um homem atropelado. Conforme divulgado pela Polícia Militar — acionada para se dirigir ao local,  durante a festa aconteceu uma briga entre alguns dos participantes e um dos envolvidos teria pego o próprio veículo e atropelado um outro homem que participava da briga.

Netwise

Após o atropelamento, uma briga generalizada foi iniciada e vários indivíduos vieram a quebrar o veículo, identificado como um VW/Gol. Um indivíduo que estava no local, ainda não identificado, efetuou um disparo de arma de fogo contra o jovem, que foi socorrido por amigos que estavam na festa. O Samu foi acionado e encaminhou o jovem para a Unidade de Pronto Atendimento(UPA). No entanto, não resistiu aos ferimentos e veio a óbito. O homem que foi atropelado também foi encaminhado para UPA da cidade. A Polícia Militar segue investigando o caso para localizar o autor do homicídio, que não foi localizado até o momento.

Em um registro, é possível identificar pessoas no local do ocorrido sem máscaras. Foto: Reprodução/Redes Sociais

Eventos proibidos

Conforme o Decreto Nº 007/2021, não é permitida a realização de eventos aberto ao público na cidade, enquanto durar a situação de emergência em saúde pública na cidade, devido a pandemia da covid-19. Conforme informado pela Polícia Militar, os militares estão identificando os organizadores, fazendo as ocorrências e encaminhando para o Ministério Público —  que está ajuizando uma ação civil pública com multas consideradas altas para os autores.

Leia o Decreto na íntegra clicando aqui!

O que diz a Prefeitura

A fiscalização conforme o Decreto citado acima, é de responsabilidade da Vigilância Sanitária, dos fiscais de postura do Município e das Polícias Civil, Militar e da Guarda Civil Municipal.

Nossa equipe de reportagem entrou em contato com a Prefeitura da cidade, no entanto, até o fechamento desta matéria os questionamentos não foram respondidos. Assim que houver um retorno, o JC publicará o posicionamento da Prefeitura.

 

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄