fbpx

Enxame de abelhas ataca pessoas durante Festa Literária de Martins Guimarães (Flimg)

Na ocasião, foram empenhados o Corpo de Bombeiros, Samu e a Guarda Civil Municipal para tentar auxiliar nos atendimentos.

Neste domingo (24), enquanto acontecia a Festa Literária de Martins Guimarães (Flimg), ocorreu um ataque de abelhas e dezenas de pessoas foram picadas pelos insetos. Pessoas foram encaminhadas para as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) de Lagoa da Prata e Santo Antônio do Monte.

Mais cedo havia ocorrido também o evento esportivo Corre Martins, portanto, havia grande movimentação no vilarejo.

Na ocasião, foram empenhados o Corpo de Bombeiros, o Samu e a Guarda Civil Municipal para tentar auxiliar nos atendimentos.

O Jornal Cidade conversou com o João Evaristo, de Nova Serrana, que informou ter participado do evento.

“Estávamos em cinco sendo: eu, minha esposa, uma irmã e um irmão e minha mãe. Fomos para curtir o evento pois meu irmão Judas Tadeu é escritor e somos todos envolvidos com música e banda de música, eu sou maestro da banda de Nova Serrana e temos muita amizade com o maestro de Santo Antônio do Monte e de Lagoa da Prata, o maestro Igor. Portanto fomos ao evento! Ficamos todos encantados com o distrito e principalmente com a organização da festa literária”, contou.

(Na foto, maestro Igor de azul, João Evaristo Silveira e sua esposa Vânia Policarpo durante a Flimg) Foto: João Evaristo/Arquivo Pessoal.
(Na foto, Angélica Alves Azevedo de 86 anos, mãe de João Evaristo, durante a Flimg) Foto: João Evaristo/Arquivo Pessoal.

 

Conforme João, acontecia uma roda de bate papo por volta de 13h com os escritores quando alguém alertou sobre algumas abelhas que estavam picando os presentes.

“E foi tudo muito rápido até elas [abelhas] chegarem com tudo. Quando estávamos todos correndo para nos protegermos, deparamos com as abelhas atacando minha mãe e minha irmã. Quando fomos tentar defendê-las do ataque, as abelhas juntaram todas em mim e na minha esposa e corremos para a capela da igreja. Fechamos as portas, mas elas continuavam a entrar. Ficamos sem saber o que tinha acontecido com minha irmã e minha mãe porque elas tinham corrido para outro lado. Foi um momento que jamais vamos esquecer. Não conseguimos realizar ligação pois os celulares estavam sem área de cobertura. Depois de um tempo que aparecia ter acalmado um pouco, saímos da igreja e as abelhas ainda estavam atacando, mas tivemos notícias de que um morador de Martins Guimarães de grande coração socorreu minha mãe, meu irmão e minha irmã. Levou eles até a UPA de Santo Antônio do Monte. Como elas tinham jogado as bolsas no chão e tínhamos conseguido pegar antes de entrar na igreja, a sorte é que a chave do carro estava na bolsa. Corremos até o carro e fomos ao encontro delas. Estávamos muito preocupados quando minha esposa conseguiu completar uma ligação e por sorte e alegria minha mãe que atendeu. Chegamos a UPA e lá estavam elas já em tratamento”.

Por fim, João contou que sua mãe foi a que teve menos reação, e agradeceu ao morador de Martins que socorreu ela e sua irmã.

“Minha mãe, graças a Deus, ela é muito forte, com seus 86 anos foi a que teve menos reação. Minha irmã ficou muito picada e teve mais reação. Meu irmão também. Eu também tive uma reação e ânsia de vômito pouco depois que cheguei na UPA, e também tive que ser atendido. Minha esposa não teve nada, mesmo sendo picada também. Agradecemos muito ao morador que fez o resgate deles e conduziu até Santo Antônio do Monte e ao atendimento da UPA pela atenção, agilidade e profissionalismo ao atender todos muito bem!”, finalizou.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄