Empresária denuncia na internet imagens de cão maltratado no canil de Lagoa da Prata

Empresária denuncia na internet imagens de cão maltratado no canil de Lagoa da Prata

 

Um vídeo, feito pela empresária Márcia Helena, sensibilizou a população de Lagoa da Prata. Ela esteve, juntamente com outras pessoas, no Canil Municipal de Lagoa da Prata e ao verificar a situação dos cães resolveu fazer um vídeo e fotografar para posteriormente postar em rede social. O objetivo é que a mensagem chegasse às autoridades competentes.

O vídeo mostra claramente um cão, com olhar decadente e aparentemente fraco, com uma enorme ferida na orelha. Ao seu lado vários filhotes correndo o risco de contaminação.

Após um convite Márcia participou do Jornal da Divinal e em entrevista ao jornalista Juliano Rossi falou da sua indignação com o caso. “Pelas fotos e pelo vídeo vê que se trata de puro descaso com os cachorros. A manifestação de pulgas lá é monstruosa, Um absurdo. A culpa pode ser tanto da Prefeitura quanto dos veterinários que trabalham lá, mas isso não importa. O que queremos é a solução”, disse Márcia na entrevista.

Segundo ela, a população de cães de rua já deveria ter sido controlada e a castração seria uma solução.

Depois da postagem várias pessoas foram até o canil para conferir o que viram nas imagens. Josiane Almeida também foi uma das voluntárias que esteve no local e fez imagens da situação dos cães. Márcia disse que é impossível os cães continuarem no canil da maneira como está. “Desde que o canil iniciou seus trabalhos eu venho aqui e chamo a atenção dos responsáveis. Em 2008 os cachorros estavam comendo uns aos outros. A situação lá é tão séria que eu acredito que eles estão piores do que se tivessem nas ruas”, completou Márcia.

Na última segunda-feira (06), os voluntários foram até o Canil Municipal para medicar o cão com a ferida na orelha. Segundo Márcia, o veterinário Bruno Leopoldo Malta fez a doação de medicamentos que foram aplicados no animal.

Márcia ainda disse temer pela vida dos cães que segundo ela, correm o risco de serem sacrificados.

A auxiliar de veterinária Fabiana Fernandes, esteve no local para analisar a situação e concedeu uma entrevista à TV Alterosa e Jornal da Cidade. Segundo ela o canil não tem a menor condição de abrigar os cães. Ela ressaltou a quantidade de pulgas, a sujeira do terreno e pediu à população que cobre das autoridades uma solução. “As pessoas têm que se manifestar e cobrar uma postura das autoridades. Isso aqui não tem a menor condição de funcionar. Os cães estão todos misturados, tanto os sadios quanto os doentes,  os machos com as fêmeas”, disse Fabiana.

A auxiliar de veterinária afirma que a cadela que está com a orelha machucada tem que ser retirada do local, pois a situação pode piorar, uma vez que os filhotes estão lambendo a orelha machucada, correndo o risco de uma contaminação.

Para o secretário municipal de Saúde, Antônio Juarez de Castro, o local está adequado e estruturado para receber os cães, pois segundo ele ali não é um canil e sim um abrigo para receber os animais doentes, tratá-los e, caso não consigam adoção, são devolvidos novamente para as ruas. “O abrigo é mantido com recursos da prefeitura, não temos tido outras ajudas. Dentro das condições do município o local está funcionado normalmente. Não falta ração e temos um veterinário que faz sempre vistoria. Aqui não é um Centro de Zoonoses. As pessoas devem trazer pra cá somente os cães doentes. Os cães sadios devem ficar onde estão, nas ruas ou nas casas”, disse Juarez.

Sobre os cães ficarem todos juntos, inclusive machos e fêmeas, o secretário disse que o espaço não oferece locais separados para os cães, mas que em breve a prefeitura irá reativar o sistema de castração, especialmente nas fêmeas. Ele explicou que o local deve ser usado apenas para tratamento e não permanência. “Aqui os cães doentes que chegam são apenas tratados. Esse local aqui é um abrigo, não um canil”, reforçou Juarez.

De acordo com o secretário, o munício não tem previsão de ter um Centro de Zoonoses. Na manhã de quarta-feira (07), o cão com o ferimento na orelha foi retirado do canil e entregue aos cuidados de uma pessoa voluntária. Ele recebeu, por meio de uma profissional na área de veterinária, um atendimento mais detalhado e os medicamentos necessários.

Os voluntários participaram de uma reunião com funcionários da Vigilância Sanitária e controle de zoonoses, onde foram apresentadas várias reinvindicações para melhorias no Canil Municipal. Márcia postou em seu perfil no Facebook que a conversa foi positiva. “Logo, logo vai estar tudo em ordem. Fizemos alguns pedidos ao Juarez, chegarão mais medicamentos e em breve voltarão com as castrações”, completou Márcia. Josiane Almeida também postou em seu perfil que todo esforço dedicado nesse trabalho é unicamente voluntário, sem fins lucrativos. “Gostaria de deixar bem claro para todos que não estamos ganhando NADA com isso, e nem queremos! Até a gasolina que gastamos duas vezes ao dia para irmos até o canil somos nós quem pagamos. Não queremos nada em troca , fazemos por amor!”, disse Josiane.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄