fbpx

Embaré evitará a emissão de toneladas de gás carbônico com implementação de programa de logística reversa

Em parceria com a cleantech Polen, a empresa prevê reciclagem das embalagens colocadas no mercado.

Consciente da importância das práticas Ambientais, Sociais e de Governança para a sociedade, a Embaré, cujo polo industrial está localizado em Lagoa da Prata, firmou parceria com a Polen, startup que oferece soluções sustentáveis com tecnologia blockchain (que permite rastrear o envio e recebimentos de informações pela internet) para a certificação e comprovação da reciclagem dos resíduos gerados pelas suas embalagens.

O mercado de créditos de logística reversa, que vem conquistando cada vez mais espaço nos setores da economia brasileira, funciona com uma mecânica similar ao dos créditos de carbono. As empresas geram embalagens e podem compensar os resíduos colocados no meio ambiente comprando créditos de logística reversa, ou de reciclagem, de empresas do ramo, como a Polen, por exemplo. No caso da Embaré, a cleantech gera tokens (cada um deles equivalem a 1kg de material compensado) em seu sistema blockchain, faz a certificação do processo de triagem dos resíduos em cooperativas e gestores de resíduos, audita todas as licenças cabíveis à operação e garante a rastreabilidade do material reciclado para comprovação exigida pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

De acordo com Luiz Augusto Rezende, gerente de garantida da qualidade da Embaré, responsável pelo gerenciamento das políticas de sustentabilidade da empresa, a Embaré possui uma gestão pautada na busca contínua de alternativas que minimizem os impactos da fabricação de produtos lácteos ao meio ambiente e que contribuam com a melhoria da qualidade de vida da sociedade.

O trabalho da Polen consiste em mapear, credenciar e desenvolver operadores de reciclagem. O credenciamento inclui uma avaliação minuciosa de questões sociais envolvidas no trabalho de reciclagem e o desenvolvimento do projeto está pautado em fornecer equipamentos necessários, treinamentos e outras necessidades demandadas pelos próprios operadores,” explica o gerente.

Luiz Augusto Rezende Lima. (Foto: Embaré/Divulgação)

 

Ainda de acordo com Luiz Augusto, esse projeto permite a empresa abraçar tanto a parte ambiental, quanto a social já que as embalagens que foram colocadas no mercado pela Embaré são recolhidas e destinadas para novas cadeias produtivas, fomentando a Economia Circular a partir do investimento e desenvolvimento de diversos operadores de reciclagem espalhados pelo Brasil.

No segundo semestre de 2021, a Embaré já realizou a compensação de 1.159,58 toneladas, sendo 688,24 de papel e 431,34 de plástico, que foram repassadas para  cooperativas, por meio dos créditos de logística reversa. Esse montante, representa 16% de todas as embalagens disponibilizadas no mercado em 2020. A meta da companhia é chegar a reciclagem de 22% do volume de embalagens colocadas no mercado. Iniciativa esta que evitará a emissão de 80,48 toneladas de gás carbônico (CO²) na atmosfera.

Essa compensação da massa de embalagens da empresa, aconteceu em seus mercados de atuação: Minas Gerais (900,59 ton), Pernambuco (142,09 ton), Paraíba (21,72 ton), Rio de Janeiro (17,57 ton), Rio Grande do Norte (16,08 ton), São Paulo (15,42 ton), Espírito Santo (4,46 ton), Rio Grande do Sul (1,33 ton) e Mato Grosso (0,33 ton). O relatório detalhado desse projeto está disponível na página da empresa e pode ser acessado através do link: https://www.creditodelogisticareversa.com.br/logistica-reversa-embare

Para Renato Paquet, CEO da Polen, essa atitude da Embaré Indústrias Alimentícias S.A mostra que a empresa está preocupada com as gerações futuras, e tomando atitudes para mitigar os impactos provocados pelas suas embalagens, mas também assume um protagonismo nas questões ambientais relativas à empresa para além de indústrias.

Renato Paquet (Foto: Divulgação)

 

O Brasil recicla apenas 3% de todo o resíduo que produz, segundo ABRELPE, e nós aqui na Polen lutamos muito para que esse número aumente exponencialmente e consigamos ter um mundo melhor. Uma empresa com o reconhecimento que a Embaré têm, adotando nosso sistema, e trabalhando em prol da sustentabilidade, mostra que estamos no caminho certo e vamos conseguir transformar o mindset do mercado e da sociedade com relação a esse tema”, finalizou o CEO da Polen.

Sustentabilidade

A redução da emissão de carbono na atmosfera está no radar das políticas de sustentabilidade da empresa.

Que tem adotado de forma crescente a utilização de fontes renováveis de energia, a modernização de suas fábricas, com máquinas e equipamentos cada vez mais eficientes e que consomem menos energia, além da introdução de tecnologias mais eficientes em todos os seus processos.

De acordo com Luiz Augusto, no momento a companhia está estudando a viabilidade a implementação de veículos elétricos na frota logística da empresa. As análises estão sendo feitas com uma van elétrica, com autonomia de 300km e capacidade de 700kg de carga e uma carreta Double Deck, com capacidade para 60 pallets, possibilitando aumento de volume nas cargas. Além disso, já estão estudando o próximo teste, que será com um caminhão Cavalo Truck movido a GAS GNV. “Seguimos investindo e desenvolvendo projetos para encontrar alternativas mais benéficas ao meio ambiente”, destaca.

A companhia possui um longo histórico de comprometimento com a preservação do meio ambiente e com a sustentabilidade e possui diversas iniciativas em prol do meio ambiente: Coprocessamento de resíduos sólidos, tratamento dos efluentes industriais, por meio da Estação de Tratamento de Efluente Industriais (ETEI), Projeto de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL); de 100% de reaproveitamento do biogás, uso consciente de recurso não renovável – como a recuperação da água evaporada no processo de concentração e secagem de leite –, dentre outras iniciativas, são exemplos de ações focadas em prol do meio ambiente, Todas elas são coordenadas pela Comissão Interna de Conservação de Energia (CICE), equipe multidisciplinar que avalia medidas a serem adotadas dentro do processo de produção da empresa para redução de consumo de energia, água e vapor.

Sobre a Embaré

Fundada em 1935, a Embaré possui fábricas em Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e Patrocínio, em Minas Gerais, que somam aproximadamente 40 mil m² de área construída e contam com nove laboratórios próprios. A empresa tem capacidade de processamento diário de 2,8 milhões de litros de leite.

Sua linha de lácteos, assinada pela marca Camponesa, é composta por leite em pó, leite UHT, leite condensado, creme de leite, doce de leite, bebida láctea, manteiga, além de uma variedade de queijos. A empresa também produz os tradicionais caramelos, que são hoje exportados para países dos cinco continentes.

O uso das melhores tecnologias com certificações internacionais, como a FSSC22000 (Certificação do Sistema de Gestão de Segurança dos Alimentos) e a ISO 140001 (Certificação Sistema de Gestão Ambiental), garante, por meio das práticas seguras e sustentáveis de produção, a integridade do leite puro do campo e mais nutrição e sabor para os produtos.

Sobre a Polen

Fundada em 2017, pelo ecólogo Renato Paquet, que atualmente também é Diretor Presidente de Cleantechs da Associação Brasileira de Startups (ABSTARTUPS) e membro do Conselho de Competitividade do Sistema FIRJAN, e por seu sócio, Lucas Sarmento, economista e especialista em tecnologia blockchain.

Em 2018, a empresa participou do programa de aceleração InovAtiva Brasil e foi selecionada como a melhor startup na categoria serviços B2B. Também foi acelerada pelo Founder Institute, com sede no Vale do Silício e está no Top 3 do portfólio da aceleradora na América latina. Em 2019 e 2020, ficou entre as dez startups mais inovadoras e atraentes para o mercado corporativo na categoria Environment no Ranking 100 Open Startups 2019, um dos rankings mais importantes sobre inovação do mundo. Recentemente se tornou uma Scale-up Endeavor, startup que atinge a validação de seu produto no mercado e escala seus resultados em números muito expressivos.

A Polen trabalha toda a cadeia da economia circular: meio de pagamento em garantia, logística, seguro ambiental para cobrir os possíveis acidentes ambientais no transporte da carga, e o seguro da carga em si.

Mais informações Polen: https://www.brpolen.com.br/

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄