fbpx

Em Lagoa da Prata e Arcos, universitários realizam projeto para conscientizar sobre leishmaniose

Embora a leishmaniose seja mais frequente em cachorros, pode ser transmitida para os humanos através da picada de pequenos insetos, conhecidos como flebótomos.

Um grupo composto por sete universitários, que estudam na Una – Bom Despacho, estão realizando um projeto para conscientizar a população sobre a leishmaniose e os problemas causados por ela.

Leishmaniose é uma doença parasitária, e pode ser dividida em dois conceitos, sendo a “leishmania tegumentar”, quando afeta a pele e a “leishmania visceral”, quando afeta os órgãos.

Sua transmissão se dá por meio da picada do mosquito-palha e essa condição é considerada majoritariamente tropical, sendo mais comum em países de clima quente e úmido, como certas regiões do Brasil. Embora a leishmaniose seja mais frequente em cachorros, pode ser transmitida para os humanos através da picada de pequenos insetos, conhecidos como flebótomos. Para isso basta que o inseto pique um cachorro doente e depois pique a pessoa.

O grupo é formado por Ana Luísa [1 período de Farmácia], Brenda kelly [2 período de Fisioterapia], Mariana [1 período de Fisioterapia], Iasmin Rocha Coelho [2 período de enfermagem], Yasmin Alves e Maria Fernanda [1 período de fisioterapia], Cadu [1 período de farmácia].

O projeto dos alunos será feito em Lagoa da Prata e Arcos, e conta com diversas ações.

Em Lagoa, as ações consistiram na entrega de panfletos em clínicas veterinárias, feira de produtos na Praça de Eventos, e também em uma feira de adoção de cachorros, e em todas as ações, o grupo faz uma explicação sobre a doença para a população.

Na cidade de Arcos, foram feitas visitas no setor de zoonoses, onde entrevistaram o veterinário responsável João Henrique Lima Vieira e também foram distribuídos panfletos na feira da cidade, onde fizeram a abordagem por meio de entrevistas; na oportunidade, também fizeram uma breve explicação sobre a doença.

Ao Sou+Lagoa e Jornal Cidade, a universitária Brenda Kelly falou sobre o principal intuito do projeto, que é conscientizar a população sobre os graves problemas causados pela doença leishmaniose.

“O objetivo é conseguir alcançar o maior número de pessoas, politizando sobre as formas de prevenção, tratamento, sintomas e como se dá a doença. Notamos que as pessoas são bem leigas sobre esse assunto e que quase ninguém escuta falar sobre a doença. A cada ponto que passamos as pessoas ficavam mais interessadas no assunto e falavam que a Prefeitura deveria fazer uma campanha sobre essa doença. Então decidimos conversar também com o prefeito da cidade de Lagoa da Prata, apresentar o nosso trabalho e nos deu todo apoio e se colocou à disposição para qualquer ajuda em relação ao movimento”, contou Brenda.

Vale ressaltar que trabalhos, principalmente, voluntários é de extrema importância para levar informações à população, esclarecer dúvidas sobre os mais diversos assuntos e ainda fazer a diferença na comunidade.

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄