Em Arcos, Prefeitura exonera servidoras após proferirem comentários homofóbicos contra funcionários

Em Arcos, Prefeitura exonera servidoras após proferirem comentários homofóbicos contra funcionários

Conversa de servidoras criticando a gestão e proferindo comentários homofóbicos pelo WhastApp repercutiram nas redes sociais.

Servidoras da pasta de Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Integração Social, foram exoneradas, após proferirem comentários homofóbicos contra funcionários da Prefeitura de Arcos. Os comentários foram feitos  através do aplicativo WhatsApp por duas servidoras. Os áudios repercutiram nas redes sociais neste último final de semana e, além deles, foram feitas críticas à atual gestão do município.

Em um dos áudios,  com críticas aos funcionários e ao atual prefeito Claudenir José de Melo. “Esse baiano (prefeito) não me faz raiva não, se não eu junto todo mundo e nós vamos lá reclamar dessa viadada. Tomei uma antipatitia deles, aquele Leozim, não tô podendo nem ver a cara dele que menino falso e nojento,” reclamou.

Netwise

Em um dos áudios, uma servidora explica que alguém teria reclamado da presença de tantos jovens na Prefeitura e que já são 100 dias e que tem uma “meninada” na gestão. Em outro momento, ela afirma que a filha  a questionou se agora a Prefeitura fez uma “cota pra por uma porcentagem de viado”, assim como a gestão anterior.

“Comecei a contar e o Serginho estava perto. Mas, Igual o Rodolfo falando: Que isso gente!! Que administração é essa que o Baiano arrumou, gente?! O trem tá cheio de menino, mas ele não falou viado não. Eu tenho certeza que ele sabe que é isso. Tá cheio de menino aí e esses meninos nem sabe o que eles estão fazendo e nem porque estão aí. Pelo amor de Deus, já tem 100 dias que você está aí! E cadê? Nada! Nada! Na Casa de Cultura, está aquele menino lá! A Karen outro dia me perguntou: “Mãe, será que os prefeitos agora fizeram um trato de por uma porcentagem de viado?”. O Denilson colocou e agora o Baiano também”, disse a ex-servidora.

Em um outro áudio, outra servidora afirma que ambas foram deixadas de lado pelo atual prefeito.

Desligamento

Em nota divulgada pela Secretaria de Desenvolvimento e Integração Social, o secretário Sérgio José Veloso, afirma que as duas servidoras foram desligadas e que, tanto a pasta, quanto a atual gestão, não compactuam com os comentários homofóbicos proferidos.

“Mediante aos acontecimentos que tomaram conta das mídias sociais nesse final de semana, inerentes a servidoras da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Integração Social, este secretário, no gozo de suas atribuições, vem a público informar que já foram tomadas todas as medidas legais quanto ao desligamento das envolvidas. Na oportunidade, salientamos que de forma alguma compactuamos com a suposta manifestação de pensamento com relação à diversidade, sexualidade ou qualquer tipo de discriminação, seja ela por etnia, raça, cor, credo ou orientação sexual”, afirmou o secretário.

A reportagem entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura que, optou por não divulgar os nomes das servidoras. A exoneração deve ser publicada no Diário Oficial nesta semana. 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄