E se você fosse Você?

E se você fosse Você?

Prezado leitor, essa semana resolvi mudar um pouco o estilo dos textos que escrevo. Não sei se você vai gostar. Acredito que algumas pessoas sim, outras não, o que é muito normal acontecer. De toda forma, decidi arriscar. Quero tratar de um tema que considero muito bacana e que acredito que algumas pessoas também possam se interessar. Você se recorda de algum momento de sua vida em que fez algo que não queria apenas para agradar outras pessoas? Imagino que sim né… Pois é… eu também já. E é sobre isso que vamos “conversar” um pouco hoje.

Netwise

Percebo cada vez mais, que um dos dilemas mais comuns enfrentados por quem deseja ou busca por apoio psicológico é exatamente esse: a dificuldade e o medo de ser o que realmente se é. Fazer o que você deseja e desagradar alguém? Ou agradar alguém fazendo algo que você não deseja? Pronto. Está feito um conflito capaz de gerar ansiedade e muitos outros males que atingem aquele que o enfrenta. Difícil decidir né? Imagino que sim… Convido-lhe agora a refletir um pouco mais sobre isso.

Lembre-se de uma situação em que viveu esse dilema e que optou por fazer o que não queria para agradar outras pessoas… O que teria acontecido se tivesse feito o que realmente queria? Como você se sentiria em relação a você? Como se sentiria em relação às pessoas que você acha que não aprovariam sua escolha? Teria literalmente prejudicado alguém com sua decisão? Magoaria aos outros ou magoaria a si mesmo com isso? Pense agora no que de fato levou-lhe a fazer o que não queria?  Pois é… inúmeras ideias devem ter surgido em sua cabeça agora, não é mesmo?! Espero que sim. Acredite nelas, considere e dê créditos ao que você pensa e acredita e, pelo menos de vez em quando, arrisque-se a ser Você mesmo(a). Um fraterno abraço!

Luciene Morais Batista é graduada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Psicóloga da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de Lagoa da Prata, atua também em consultório particular, situado na mesma cidade. Trazer a psicologia para mais perto dos leitores através de textos que relacionem esse conhecimento ao cotidiano é o objetivo de sua coluna.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄