Decreto promete enrijecer fiscalização no combate à covid-19 em Lagoa da Prata

Decreto promete enrijecer fiscalização no combate à covid-19 em Lagoa da Prata

Ao assumir o executivo, Di Gianne Nunes manteve a decisão de  Teodoro, mas impondo medidas mais restritivas.

O atual prefeito de Lagoa da Prata emitiu um decreto, que visa enrijecer as medidas de enfretamento ao coronavírus no município. No decreto 01/2021, Nunes reforçou que trabalhará em conjunto com o comitê de enfretamento ao coronavírus, onde  foi aprovada novas orientações para a “onda vermelha” com adoção de medidas mais restritivas, mantendo o funcionamento apenas dos serviços essenciais, conforme a classificação do Minas Consciente para a macrorregião Centro-Oeste de Minas.

No dia 31 de dezembro, em seu último dia de mandato, o ex-prefeito Paulo Teodoro, decretou a saída do programa Minas Consciente. Ao assumir o executivo, Di Gianne Nunes manteve a decisão de  Teodoro, mas impondo medidas mais restritivas.

Veja o vídeo com o posicionamento do prefeito, vice e a secretária de Saúde do município.

Registro geral de casos

Confira o que fica proibido:

  • a realização de eventos e atividades com a presença de público, ainda que previamente autorizados, que envolvem aglomeração de pessoas, tais como: eventos desportivos, atividades esportivas, de recreação e lazer, atividades extracurriculares, locação de quadras poliesportivas, shows;
  • O consumo local em bares, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência e supermercados, sem prejuízo dos serviços de entrega (delivery) e drive thru somente poderão ocorrer até às 24h;
  • Durante o período de funcionamento dos bares, restaurantes, lanchonetes e supermercados somente será permitida a permanência de quatro pessoas por mesa, observado o distanciamento entre as mesas de, no mínimo, dois metros;
  • Fica vedada ainda a venda de bebida alcoólica em estabelecimentos comerciais localizados em praças públicas, feiras livres, bem como em centros comerciais pertencentes ao Município de Lagoa da Prata.
  • Fica proibida a locação de imóveis e quaisquer tipos de espaços privados para a realização de eventos particulares, independentemente do número de pessoas. A responsabilidade pela implementação e fiscalização desta medida ficará a cargo do proprietário do imóvel ou espaço privado ou do procurador devidamente autorizado, incluindo imobiliárias e/ou sites específicos, ensejando, no caso de descumprimento, a atuação dos órgãos fiscalizadores municipais, inclusive de vigilância sanitária, que, observado o contraditório e a ampla defesa, poderá culminar na aplicação das sanções previstas na legislação pertinente, incluindo a imposição de suspensão das atividades.

O Jornal Cidade entrou em contato com a secretária de Saúde, Margarete Borges, que as novas medidas visam controlar o aumento de casos no município. “As novas medidas são para a gente tentar controlar o aumento de número de casos sem tem que fechar o comércio. Estamos contando com o apoio de todos, pois a situação é muito grave. A fiscalização vai ocorrer de forma mais punitiva, já que todos já foram alertados durante toda a pandemia. Vamos reavaliar a situação com o comitê na quinta-feira (7).

O decreto ainda estabelece que a fiscalização ficará por conta da Guarda Civil Municipal, Polícia Militar e Polícia Civil.  Leia o documento na íntegra.

Feira de agricultores

Tradicionalmente, aos sábados acontece a feira dos agricultores na Praça dos trabalhadores, em Lagoa da Prata. Um local que chama atenção pelo número elevado de pessoas circulando e pela quantidade de apreciadores de cervejas artesanais vendidas no local. Conforme o decreto, que passa a vigorar neste sábado (2), será restringido a venda de bebidas alcoólicas no local.

A reportagem do Jornal Cidade conversou com Jonas Melo, proprietário da Cervejaria Leiva, que informou que cumprirá o decreto. “Vamos cumprir o que é determinado pela prefeitura”.

Netwise

O proprietário da cervejaria Du Krönst, César Santo, informou que também cumprirá o determinado pela prefeitura no decreto. “Não estamos funcionando, não. O pessoal está vendendo lá, mas nós da cervejaria, não. Deixamos uma mesa lá e anexamos o decreto e deixamos avisado que não iríamos trabalhar por este motivo”, afirmou.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄