fbpx

Covid longa – Por que alguns sintomas permanecem mesmo após a cura?

A médica ainda alertou que, caso haja a permanência de sintomas por um período prolongado, principalmente que causem impactos na rotina, é fundamental procurar ajuda médica.

Rhaiane Carvalho


Teve covid-19, mas os sintomas permanecem mesmo após a cura? Isso tem sido queixa frequente nos consultórios médicos. Com a disseminação da ômicron, um assunto que já era complicado entender para algumas pessoas ganhou novos capítulos: a chamada covid longa. O termo passou a ser utilizado para se referir a sintomas do coronavírus que permanecem mesmo após um longo período da infecção. A Organização Mundial de Saúde (OMS) chama este fenômeno de síndrome pós-covid.

E quais seriam essas queixas? A reportagem do Jornal Cidade conversou com a médica Vanessa Cristina, que explicou que elas são muitas e até mesmo variáveis, veja:

  • Fadiga, o cansaço extremo;
  • problemas de memória e concentração (“névoa mental”);
  • tosse;
  • forte dor de cabeça;
  • falta de ar,
  • palpitações no coração,
  • dor ou aperto no peito;
  • alterações no olfato e paladar;
  • dor nas articulações;
  • alterações bruscas de humor e depressão.

“São raros os casos em que a covid longa tem manifestações sérias a ponto de exigir uma reabilitação, por exemplo, ou ameaçar sobrecarregar os serviços de saúde. Mas qualquer um que, por azar, foi contaminado pelo Sars-CoV-2 corre o risco de ficar com um ou outro sintoma persistente como herança, inclusive, quem mal percebeu que estava com covid-19. No entanto, todos notam que a tendência de o problema se prolongar é maior naqueles pacientes que tiveram quadros moderados ou graves na fase aguda”, explicou.

A médica ainda alertou que, caso haja a permanência de sintomas por um período prolongado, principalmente que causem impactos na rotina, é fundamental procurar ajuda médica.

“Sobre tratamentos, até o momento, não há nenhum que seja à base de medicamentos comprovados. Portanto, o foco principal está no controle dos sintomas e no aumento gradual da atividade. Estudos sobre a melhor forma de identificar, tratar e melhorar a vida de pessoas com covid longa ainda estão em andamento”.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄