fbpx

Cortadores de cana de Lagoa da Prata ganham homenagem de compositor

A reportagem do Jornal Cidade conversou com o compositor, que falou sobre como surgiu a ideia de homenagear cortadores de cana de Lagoa da Prata.

Rhaiane Carvalho

O compositor musical Luciano Costa Bento, nascido no bairro da Consolação, em São Paulo, e morador de Lagoa da Prata há 9 anos, através de seu trabalho homenageou os trabalhadores canavieiros. Luciano nasceu em 26 de dezembro de 1980, é filho de Noemia Costa Bragança e José Antonio Bento, e pai de Davi, Luka e Giovanna.  Seu primeiro contato com a música foi através do seu avô materno, Valdemar, que gostava de ouvir música de Genival Lacerda, Trio Parada Dura, Irmãs Galvão, entre outros. “Minha primeira composição foi um rap em 1992, ainda menino. Depois da partida do meu avô. Eu e mais quatro amigos formamos um grupo de rappers para abrir o show dos Racionais mcs no Jardim Alvorada, em Santo André- SP. O evento estava sendo feito por um amigo locutor de uma rádio comunitária. Eu já tinha umas ideias na gaveta de samba no estilo Bezerra da Silva de quem sou fã. Infelizmente, não pudemos participar do evento por sermos menores de idade”.

(Na foto, o compositor Luciano Costa/arquivo pessoal)

Outra grande influência na vida do compositor foi seu padrasto. “Ele (Belchior – o padrasto) chegava final de semana fazia caipirinha e ia lavar o carro ouvindo Fundo de Quintal, Dicró, Zeca Pagodinho, Candeia, Reinaldo Príncipe do Pagode,  Biro do Cavaco,  Exportasamba, Casquinha da Portela,  Monarco,  Xango da Mangueira, Cartola, Beth Carvalho,  Almir Guineto,  Jovelina,  Clara Nunes,  Dona Ivone Lara, Bebeto di São João,  Pedrinho da Flor, Grupo varanda, Só preto sem preconceito,  Grupo Raça, Feitiço, Vara de família e outros. Daí nasceu meu interesse maior pelo samba. Comecei a escrever algumas coisas meu primeiro parceiro foi o Rubinho Garotão, onde fizemos um samba na sala de aula batucando na mesa”.

A homenagem

A reportagem conversou com o compositor, que falou sobre como surgiu a ideia de homenagear cortadores de cana de Lagoa da Prata. “Trabalhei um tempo na usina, onde tive contato com muitos trabalhadores, e um dia tive a ideia de homenagear eles. O que temos hoje vem de um passado sofrido por muita gente que fez história e venceu as dificuldades. Tenho outras composições em homenagem a outros públicos que a sociedade não vê, não conhece a sua história (Menino de rua). Nela, conto na música a história de um menino morador de rua que busca, através do trabalho de limpar vidro de carro, levar o sustento para casa. Conheci esse menino que me inspirou a compor em sua homenagem. Já na música “De vida mudar”, conto um pouco sobre a dificuldade de um amigo ex-detento, que foi preso por coisa banal, atraso de pensão, mas teve seu nome no artigo policial, e hoje vive um drama para arrumar um trabalho. Entre outras composições. Mas também tenho outras composições que vem de humor do dia-a-dia da gente”.

Luciano também destacou o que mais chama sua atenção na cidade e nas histórias que o norteou a compor a letra. “Lagoa da Prata é uma cidade maravilhosa para se morar e criar seus filhos. Tem bastante coisa que ainda precisa melhorar, mas está crescendo. O que mais me chamou atenção nas histórias, sobretudo, uma em particular, de um senhor que prefiro não citar o nome, é originalidade dela. A emoção da pessoa ao falar sobre sua família e seu filho. Dava para sentir na sua voz, nos seus olhos o orgulho do seu sacrifício para ver o filho crescido e formado. Hoje o filho não toma sol na cabeça como ele tomava, trabalha dentro de um escritório com ar-condicionado. Sua luta deu a ele hoje a vitória; sua determinação e fé em Deus fez seu filho hoje ser chamado de doutor”.

A letra

CANAVIAL ( TOM GM )

LUCIANO COSTA

 

A BRISA LEVE DO VENTO

QUE VEM A REFRESCAR

MEU ROSTO CANSADO DE TANTO TRABALHAR

NA MENTE SÓ POSSO A DEUS AGRADECER

POR TE ME DADO TRABALHO PRA PODER SOBREVIVER

LEVA PRA CASA O QUE COMER

PRA NÃO PRESENCIAR MEU FILHO PADECER

O SOL QUENTE NA CABEÇA O DIA INTEIRO

MAS MESMO ASSIM NÃO PERCO A FÉ SÔ GUERREIRO

PENSO QUE UM DIA VAI SE DIFERENTE

POIS TÔ CRIANDO MEU FILHO PRA SE GENTE

ESTUDO NÃO TENHO NUNCA VIM A TER

NEM MEU NOME EU SEI ESCREVER

APRENDI COM A VIDA O QUE DE BOM ELA TEM PARA DÁ

NUNCA SE QUER SOUBE ALGUÉM ENGANA

MAS ENGANADO E PASSADO PARA TRÁS

NESSA VIDA EU JÁ FUI ATÉ DEMAIS

 

HOJE PRA VÊ MEU FILHO FORMADO

PARA ELE TE O QUE NUNCA VIM A TER

EM MEIO AO CANAVIAL

E AONDE EU CHORO SEM ELE SABER

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄