Câmara de Lagoa da Prata suspende transmissões ao vivo das sessões

Câmara de Lagoa da Prata suspende transmissões ao vivo das sessões

Vereadores de oposição não se conformam com atitude da presidência da casa e solicitam explicações sobre os motivos que levaram à suspensão das transmissões ao vivo.

Reportagem: Alan Russel

O ano de 2020 começou agitado na Câmara Municipal de Lagoa da Prata. As sessões ordinárias acontecem todas as segundas feiras, às 18 horas, e as votações quase sempre são motivos de embates entre os representantes do legislativo. O ano de eleições municipais favorece o clima tenso na Câmara, afinal, muitos dos vereadores irão tentar a reeleição e há também os que almejam o cargo de executivo municipal.

Quem esteve na Câmara no dia 27 de janeiro percebeu que não existe mais o sistema de transmissão ao vivo das sessões para o youtube e facebook. Conforme disseram os vereadores da oposição, a suspensão foi uma decisão da presidência da casa por orientação do servidor Maycon Bento, onde o mesmo alega que os gastos com os profissionais que realizam as transmissões são desnecessários e oneram o caixa da Câmara Municipal.

A vereadora Cida Marcelino discorda do posicionamento da presidência da câmara e do servidor. Cida, com o apoio dos vereadores da oposição, entrou com um requerimento solicitando explicações plausíveis para os motivos que levaram ao cancelamento do contrato com a empresa que prestava o serviço para a Câmara. Diante da solicitação, alguns vereadores da base de apoio ao prefeito justificaram a escolha da presidência.

O vereador Cabo Nunes foi o primeiro a defender a ideia de que não há necessidade das transmissões ao vivo das sessões e chegou a dizer que o legislativo municipal não é o Big Brother Brasil. Já o vereador Adriano Moreira alega que, com as transmissões ao vivo, há uma concorrência desleal com a mesa diretora, que fica mais em evidência em comparação com os demais vereadores. Adriano também defende que cada vereador pode filmar por conta própria a sua participação nas sessões sem a necessidade de uma empresa especializada para realizar as transmissões ao vivo das sessões. O vereador Preto defende que não há necessidade de gastos com as transmissões, uma vez que, nem sempre existe um número representativo de pessoas assistindo e acompanhando a sessão via youtube e facebook.

O estudante de Direito e Ciências Sociais, Filipe Almeida, estava na sessão da câmara e discorda da alegação da presidência da casa. Filipe alega que sempre acompanhou as sessões via internet quando não podia comparecer à câmara e salienta que as transmissões ao vivo eram uma forma de dar mais transparência ao trabalho do legislativo.

“Sempre que não podia ir até a câmara eu acompanhava as transmissões ao vivo no youtube. Ao meu entender, a base aliada do prefeito não quer dar publicidade a certos absurdos que estavam fazendo no legislativo. A alegação de que o custo com as transmissões é inviável não é válido. As transmissões ao vivo não é custo e sim um investimento do legislativo municipal. O vereador Preto teve fez um comentário infeliz, dizendo que as vezes haviam apenas seis pessoas acompanhando a sessão. Não importa, se uma pessoa já estiver acompanhando, o investimento já é válido. São tantos projetos desnecessários que são apresentados na câmara e quando há algo que venha de encontro com a transparência, como é o caso das transmissões ao vivo, a base do prefeito vem e interrompe. Isso é inadmissível”, completou o estudante.

Transparência e Publicidade dos atos do legislativo

O Supremo Tribunal Federal, Senado Federal e Câmara dos Deputados têm seus próprios canais de TV com programação exclusiva com o intuito de dar publicidade e transparência aos seus atos. Todas a câmaras municipais das cidades do porte de Lagoa da Prata na região realizam transmissões ao vivo das sessões para a internet. A atitude da presidência da câmara em suspender as transmissões surpreende e vai na contramão das ações relacionadas à transparência.

Atualmente, a Câmara Municipal não conta com um profissional para realizar a função de assessor de comunicação, não existe um design responsivo no site oficial e postagens em  redes sociais são esporádicas. Com as transmissões ao vivo, além de qualquer pessoa ter a oportunidade de acompanhar a sessões de qualquer lugar via internet, possibilita ao cidadão ter acesso às sessões antigas, por meio de um banco de dados audiovisual disponível no portal da Câmara Municipal. Com o fim das transmissões ao vivo, isso não será mais possível. Quem tiver interesse em acompanhar as sessões do legislativo municipal deve se dirigir até a câmara municipal ou acompanhar as sessões via rádio.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄