fbpx

Biosev lidera com mulheres ocupando cargos tradicionalmente masculinos

Mais de 1.100 mulheres desempenham funções de liderança e de operação nas áreas agrícola, industrial e administrativa

O mundo corporativo muda com o tempo e uma das marcas mais significativas disso é o aumento da participação feminina no mercado de trabalho, especialmente, em setores considerados masculinos como o agronegócio. Cada vez mais, as mulheres estão conquistando o seu espaço e fazendo a diferença, deixando de ser somente as protagonistas de mães e esposas e para ocupar espaços que antes eram liderados apenas por homens.

A Biosev acredita na diversidade e igualdade de gênero no ambiente de trabalho e, safra após safra, gera novas e iguais oportunidades de emprego para mulheres e também outros profissionais. Na safra 2015/2016, 1.132 mulheres ocupavam diversos cargos e funções em toda a empresa. Na unidade Lagoa da Prata são 103 mulheres em áreas como laboratório industrial, controle e operação agrícola, administrativo entre outras.

A partir da finalização de um Diagnóstico Social Participativo, realizado nos principais municípios de atuação empresa, a diversidade foi um dos temas definidos entre as causas sociais da Biosev, desenvolvendo a preocupação de estabelecer, prioritariamente, políticas para mulheres e pessoas com deficiência. Com isso, uma das bandeiras de Responsabilidade Social – Integração Comunidade – também prioriza a valorização da diversidade e a promoção da igualdade de gênero Como forma de promover o engajamento interno para esses temas foi criado o Fórum Diversidade, um grupo multidisciplinar de trabalho que contou com a participação de representantes de diversas áreas da companhia (RH, Saúde, Segurança, Auditoria, Responsabilidade Social, Comunicação, Jurídico e Tributário). A preocupação inicial do grupo foi entender o contexto da empresa no que diz respeito à atração e à retenção de talentos com esse perfil, além de mapear oportunidades de atuação. As possibilidades levantadas pelo fórum estão sendo consideradas para instituir políticas e ações sobre diversidade na Biosev.

Mulher no poder em Lagoa da Prata

Indo para sua segunda safra liderando as operações agroindustriais da unidade Biosev em Lagoa da Prata, a superintendente Tânia Fernandes provou que a mulher pode sim ocupar cargos de destaque. Em sua gestão, a unidade registrou a maior safra da história com recorde de moagem e produção de açúcar. Além de investir em tecnologia agrícola e realizar uma colheita 100% mecanizada, o trabalho da Tânia também aproximou ainda mais a empresa da comunidade local, por meio de programas sociais e ambientais.

Tânia Fernandes, Superintendente Agroindustrial da Unidade Lagoa da Prata

Desde que você assumiu a Biosev quais foram os maiores desafios enfrentados?

Acredito que os maiores desafios foram relativos à segurança do trabalho e estabilidade das operações, ambos ligados ao desenvolvimento de pessoas. A empresa está investindo bastante na construção de uma cultura sólida, baseada na segurança de todos e no Espírito Biosev, que orienta as ações dos nossos colaboradores por meio dos pilares de conquista, trabalho em equipe e excelência. Conquistas dos nossos objetivos, o companheirismo do trabalho em equipe e a busca permanente pela excelência.

Um grande desafio que temos é engajar os nossos colaboradores neste Espírito, atuando como exemplo e facilitando o processo de consolidação da cultura.

Você é a primeira mulher a ocupar um cargo na superintendência nesta unidade da Biosev. Desde então, a empresa registrou a maior safra de sua história em Lagoa da Prata. Como você avalia esse recorde e o que foi feito para que se chegasse a esse volume?

Fico muito feliz por ter participado desta importante conquista. Registramos o recorde de moagem e também de produção de açúcar, nosso produto de maior valor agregado no momento. Para atingir este resultado investimos muito em atração de talentos locais e regionais e na capacitação da equipe. Além do capital humano, aportamos recursos consideráveis na formação e manutenção dos nossos canaviais, por meio de modernas técnicas de plantio, tratos culturais e colheita. Na indústria, investimos na renovação e manutenção de equipamentos críticos, além de projetos de melhorias.

Hoje, a mulher vem ocupando grandes cargos em empresas, você acha que sua história pode inspirar outras mulheres que desejam ocupar cargos de liderança?

Acredito que posso inspirar outras mulheres sim. Quando elas me veem em uma posição estratégica, vislumbram a real possibilidade deste caminho. É claro que não se trata de uma escolha simples e requer algumas renúncias, mas para quem realmente gosta do que faz e deseja fazer a diferença na sua área de atuação, a liderança é muito gratificante.

Quais as atividades com maior número de mulheres na Biosev?

O maior número está na área agrícola. São 40 mulheres, sendo a maior parte auxiliares agrícolas, rurícolas, operadoras de máquinas e líderes. Lembrando que não realizamos o corte manual e as auxiliares e rurícolas trabalham no plantio e também em outras áreas de apoio, como no controle de água potável.

A partir de quando a empresa passou a integrar mais mulheres?

Nunca tivemos restrições, porém, a procura das mulheres por emprego na Biosev se intensificou nos últimos anos, sendo mais forte a partir de 2015.

Quantas mulheres são empregadas na área tecnologia, indústria e agrícola?

Em todas as unidades da Biosev temos mais de mil mulheres trabalhando. Aqui em Lagoa somos 103 mulheres. São 40 no setor agrícola, 18 na indústria, nas áreas de laboratório/qualidade temos 13, nas áreas de saúde, segurança e meio-ambiente são 12, na área administrativa 7 e 13 menores aprendizes.

Sempre foi seu sonho trabalhar em empresas amplamente conhecidas?

Não. Na verdade, meu sonho era trabalhar e ser independente. Decidi estudar Engenharia Química e, em função da minha formação, sempre atuei no ambiente industrial. Ao longo da minha vida profissional já trabalhei em empresas de grande e de médio porte, sendo que algumas não são amplamente conhecidas.

Você morou em diversas cidades devido a sua trajetória profissional. O que Lagoa da Prata tem de diferente das demais?    

Lagoa da Prata recebe muito bem quem vem de fora. Se o mineiro é receptivo, o povo de Lagoa da Prata é muito mais. Além de ter pessoas maravilhosas, a cidade é bonita e muito agradável para viver. As ruas largas e as áreas verdes fazem toda a diferença.

Depoimentos

“Desempenho minha função sempre com muito otimismo, garra, paixão pelo que faço e com meu jeito feminino de ser. Comecei a trabalhar na Biosev de Lagoa da Prata como analista ambiental júnior. Em junho de 2012 fui promovida para analista ambiental pleno e em setembro de 2015 conquistei o cargo de Supervisora de SSMA. Quando fui convidada para participar do processo seletivo, trabalhava em uma consultoria ambiental e de engenharia e ministrava aulas na Escola Santa Clara.  Sempre busco analisar e avaliar minhas atitudes, com uma postura que ajude o time a se desenvolver. Em algumas empresas ainda existe o preconceito de mulheres ocuparem cargos de liderança, mas isso não existe na Biosev. Mulheres participam do processo seletivo, assim como os homens, sem nenhuma restrição. Realmente sou privilegiada em ser uma gestora de uma área significativa e estratégica. Primeiramente, quero preencher todo o espaço na cadeira que ocupo. Posteriormente, em médio/longo prazo, lutarei para conquistar o cargo de gerência”. – Fernanda Oliveira Mateus Borges, 29 anos, supervisora de Saúde, Segurança e Meio Ambiente (SSMA).

Fernanda Oliveira Mateus Borges

 

“Sou responsável pela gestão de pontos de toda equipe agrícola. Em 2011 tive a oportunidade de iniciar minhas atividades na Biosev como estagiária e, desde 2012, ocupo cargo de liderança. Tenho um ótimo relacionamento interpessoal com todos meus colegas de trabalho. Nesses anos que trabalho na empresa, tenho observado o quanto nós mulheres estamos conquistando espaço no mercado de trabalho em diversos cargos. Alguns anos atrás isso parecia algo muito distante e alguns cargos eram restritos somente ao público masculino. Fico feliz em ver que aqui, em nossa unidade, mulheres ocupam cargos variados. Sou grata por fazer parte do time agrícola da Biosev aqui em Lagoa da Prata”. Viviane Aparecida de Oliveira, 31 anos, líder Agrícola

Viviane Aparecida de Oliveira

A operação da centrífuga é pesada e tipicamente masculina e eu sou a primeira mulher de Lagoa da Prata a operar este equipamento, tendo o respeito de todos os homens que trabalham nessa função. Na centrífuga eu olho a cor do açúcar e quantidade entre outras coisas. Estou na empresa há quatro anos e amo o que faço. Eu trabalhava no restaurante da empresa, mas sempre tive vontade de trabalhar na indústria e eu falava para as minhas colegas que eu ainda iria trabalhar aqui. Na época, eles queriam uma mulher na centrífuga porque, até então, era só homens. Eles me chamaram para a entrevista e perguntaram se eu tinha interesse e eu disse que tinha. Quando vi aqueles motores e máquinas enormes, achei que não iria dar conta. Mas foi muito tranquilo. Requer muita responsabilidade, mas independente de qual seja o seu serviço, acredito que sempre deve ser realizado com responsabilidade. Dizem até que as máquinas dão menos problema quando são manipuladas por mulheres. Apesar da minha formação ser Técnica de Segurança, tenho muita vontade de crescer dentro do meu setor mesmo. Quero aprender sobre o cozimento, ter noção da parte de evaporação, caldeira, destilaria, e saber mais do COI (Central de Operações Industriais). A empresa sempre dá oportunidades e eu quero aprender sempre. Eu combino com todo mundo e sou muito comunicativa e alegre. Eu acho interessante estarmos rompendo a barreira de que só homens podem exercer algumas funções. Pude provar que uma mulher também é capaz de fazer. A gente só não faz aquilo que não temos vontade. Admiro muito a nossa superintendente Tânia, pois ela fala, faz e mostra”.  –  Iraídes Correia Borges Carvalho, 38 anos, supervisora de espaço confinado e membro da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA).

Iraídes Correia Borges

 

“Há mais de 3,5 anos sou a responsável por manter as instalações da Biosev em perfeito funcionamento, acompanhando as atividades dos colaboradores e terceirizados. Quando comecei na empresa, trabalhava no setor de contas a pagar, passei pelo setor fiscal e recepção. Na época, vinha de mais de 7 anos de trabalho em outra empresa em Lagoa, quando surgiu a oportunidade na Biosev. Me candidatei para a vaga, pois vi como uma oportunidade de crescimento profissional. Dentro da empresa quero ampliar meus conhecimentos buscando sempre crescimento pessoal e profissional e engajada no Espírito Biosev do trabalho em equipe, conquista e excelência. Tenho um relacionamento saudável com todos os colaboradores, pois todos são peças chaves para o sucesso da Biosev.  Vejo a Biosev como uma empresa de vanguarda, onde as funções são ocupadas por pessoas com habilidades e conhecimentos e não por gênero, com isso sinto que melhorando minhas habilidades e competências as oportunidades vão surgir. Conhecimento e experiência são ganhos que cada um, inevitavelmente, carrega consigo para onde for. Cuidar do próprio desenvolvimento é uma tarefa que cabe a cada um de nós, independentemente das oportunidades que venham, ou não, a surgir. A empregabilidade depende de um investimento contínuo, seja ele financeiro, de tempo, força de vontade, persistência e, acima de tudo, foco”. – Edirose Amaral, 32 anos, analista de Facilities

Edirose Amaral

 

 

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄