Biosev inicia safra e gera mais empregos em Lagoa da Prata e região

Biosev inicia safra e gera mais empregos em Lagoa da Prata e região

A empresa é uma das maiores geradoras de emprego do município, chegando ao número de 4.300 empregos indiretos na região e 1.422 postos de trabalho diretos.

Ilustração de colheita de cana-de-açúcar. (foto: Premium)

A Biosev – unidade de Lagoa da Prata iniciou sua safra que corresponde aos anos 21/22 neste mês de abril. A empresa é uma das maiores geradoras de emprego do município, chegando ao número de 4.300 empregos indiretos na região e 1.422 postos de trabalho diretos. A reportagem do Jornal Cidade conversou com superintendente da Unidade Lagoa da Prata, Leonardo Lovato, que falou sobre as políticas de cuidados para a não-contaminação por covid-19 de seus colaboradores; a expectativa de mercado, detalhes sobre a produção de etanol e açúcar, dentre outros assuntos. Confira a entrevista:

Netwise

Jornal Cidade: Qual a geração de empregos direta e indireta para esta safra?

Leonardo Lovato: O setor sucroenergético, em geral, tem vivido um momento de muita geração de empregos por estarmos no início da Safra 21/22. Temos um volume de contratações neste início de ano bem expressivo e a Biosev, de forma geral, é responsável pela geração de mais de 10 mil empregos diretos e 30 mil indiretos. Em Lagoa da Prata, especificamente, temos 1.422 colaboradores o que nos garante um total de 4.300 empregos indiretos que geramos na região.

 Jornal Cidade: Quando ela termina?

Leonardo Lovato: A Safra começou agora em abril e tem previsão de encerrar no início de novembro.

Leonardo Lovato, superintendente da Biosev – unidade de Lagoa da Prata. (Foto: Júnior Nogueira)

 Jornal cidade: Qual a política da empresa para evitar a contaminação pelo coronavírus de seus colaboradores?

Leonardo Lovato: Desde março de 2020, atua de forma proativa e intensa no controle e combate da doença em suas instalações a fim preservar a integridade e saúde dos colaboradores e das comunidades onde atua.  Desde o início do ano passado, a empresa adotou rapidamente novas regras de conduta seguindo estritamente as recomendações dos órgãos oficiais de saúde e do governo. Entre elas estão:

  • Criação de comitê específico para avaliar diariamente a situação geral e coordenar as medidas preventivas e de mitigação de riscos;
  • Como forma de prevenção e respeito aos colaboradores, foram afastados do trabalho todos os colaboradores em grupo de risco: 60 anos ou mais; diabéticos; hipertensos, entre outros;
  • Adoção da rotina de trabalho remoto (home office) para as equipes que desempenham funções administrativas do escritório de São Paulo e de Sertãozinho, bem como realização de reuniões remotas (telefone, aplicativos ou videoconferências);
  • Intensificação da higienização dos locais de trabalho, inclusive refeitórios e transporte coletivo, e de orientações sobre procedimentos de higiene pessoal;
  • Distribuição de equipamentos de proteção individual a todos os colaboradores.

Diante desse trabalho, no final de 2020, a Unidade Lagoa da Prata (MG) foi reconhecida pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais da cidade pelas boas práticas trabalhistas adotadas para o enfrentamento da pandemia. Além disso, reforçando o compromisso com o entorno, a Biosev doou, em 2020, cerca de 9 mil litros de Álcool 70% ao município para uso em hospitais e no combate local da doença.

 Jornal Cidade: Nesta safra, o investimento maior será em etanol ou açúcar?

Leonardo Lovato: Ambos têm um peso relevante para a companhia e nós nos adaptamos de acordo com a demanda de mercado. Não abrimos guidance do mix de açúcar ou etanol nas safras, mas ficaremos atentos as melhores oportunidades do mercado. Vamos trabalhar com flexibilidade para atender às demandas nacionais e internacionais.

Jornal Cidade: Qual a expectativa de produção para esta safra?

Leonardo Lovato: A safra 20/21 foi muito boa operacionalmente para a Companhia. Nossa expectativa é manter nossos recordes de produção e a melhora dos índices de eficiência operacional.

Colheita da safra totalmente mecanizada. (Foto: Arquivo Jornal Cidade).

Jornal Cidade: A empresa tem como objetivo produzir álcool comum para auxiliar no combate ao coronavírus? Existe algum projeto social neste sentido?

Desde o ano passado, adaptamos a produção de nossas unidades para transformar o etanol em álcool 70%. Com isso, contribuímos ativamente com a SIAMIG/ UNICA para doações do material ao Sistema Único de Saúde (SUS) no primeiro semestre de 2020.  Entre julho e agosto de 2020, também doamos cerca de três mil litros de álcool 70%, envasados pela CicloFarma, além de 900 quilos de alimentos e produtos de limpeza e higiene a municípios do entorno de nossas operações, beneficiando as cidades de Lagoa da Prata (MG), Barretos (SP), Barrinha (SP), Pitangueiras (SP), Morro Agudo (SP), Guariba (SP) e Pontal (SP). Em 2021, também fizemos doações pontuais aos municípios nos quais estamos presentes, reforçando uma mobilização emergencial em apoio às unidades de saúde locais.

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄