fbpx

Barreira metálica usada na interdição da ponte Rio Jacaré é vandalizada; DER-MG alerta para risco de ruptura

Defesa metálica colocada para impedir a entrada de veículos na ponte foi instalada na terça-feira (4); na quarta-feira, contudo, vídeos registraram que parte da estrutura foi supostamente removida por moradores como forma de ultrapassar a barreira.

A interdição da ponte Rio Jacaré, iniciada na última semana, continua dando dor de cabeça aos usuários da rodovia MG-170, que liga Lagoa da Prata e outras cidades da região à BR-262. 

Após um bloqueio de pista que pareceu improvisado, com pedras de calcário e placas de sinalização ilegíveis, o Departamento de Estradas e Rodagens de Minas Gerais (DER-MG), fechou definitivamente a ponte com defesas metálicas nesta terça-feira (4). No entanto, já no dia seguinte, moradores registraram que a parte lateral das barreiras, colocadas nos dois extremos da ponte, haviam sido danificadas, deixando uma pequena abertura que permitia a passagem de veículos pequenos.

Nesta quinta-feira (6), o Jornal Cidade foi até o local e confirmou o suposto ato de vandalismo. Confira as imagens:


O engenheiro José Tadeu, responsável pela obra, foi questionado sobre a abertura e, a princípio, demonstrou desconhecer qualquer alteração. “Está tudo fechado, o que a população retirou foi a barreira de pedras”, alegou. Na oportunidade, o engenheiro ressaltou que há um estudo em andamento para saber o grau de comprometimento da ponte. Só após o resultado, será possível saber se o tráfego de veículos leves será liberado. 

O engenheiro ainda alertou para o risco de ruptura da ponte caso a ordem de interdição seja violada

“A ponte está com fadiga estrutural, então, se não passar veículos ela não cai, mas como ainda não sabemos, se passar pode cair. O Diretor do DER já foi informado sobre o problema e vamos resolver. Esses estudos serão confrontados brevemente e o resultado apresentado por especialistas ao DER; também vamos arrumar a estrada que não está em boas condições. Por enquanto, é necessário que as pessoas utilizem as rotas alternativas”, explicou José Tadeu, engenheiro do DER- MG

O Jornal Cidade entrou em contato com a Polícias Cível e Militar de Minas Gerais, além da Polícia Militar Rodoviária, sobre o registro de boletim de ocorrência acerca do ato de vandalismo contra a estrutura. No entanto, até o momento, as entidades não foram notificadas. Em caso de novas informações, será notícia será atualizada.

Entenda a interdição da ponte Rio Jacaré

A ponte sobre o rio Jacaré foi interditada na a quinta-feira (30), por medida de segurança. O Departamento de Estrada e Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) interrompeu o tráfego das duas pistas da ponte sobre o rio Jacaré, localizada na MG-170, quilômetro 24,8, no trecho Córrego Santa Luzia – Rio Jacaré, perímetro urbano de Lagoa da Prata.

A medida segue a orientação das diretorias de Projetos e Manutenção do Departamento e foi justificada a partir da identificação da fadiga na estrutura da ponte, que recebe um tráfego diário médio de 800 veículos por dia, entre pesados e leves.

A ponte, que já tinha o tráfego restrito à 24 toneladas, era monitorada pelo DER-MG. Para orientação dos motoristas, placas foram instaladas. A ação de vândalos promoveram a retirada das placas.

O desrespeito à restrição de peso permitia que caminhões com cargas de 60 toneladas utilizassem diariamente a ponte.

Para restabelecer o tráfego da ponte sobre o rio Jacaré, será necessário uma avaliação técnica para indicar qual a solução a ser adotada.

Técnicos do DER-MG já estão com estudos preliminares em andamento para recuperação da estrutura.

A execução dos serviços dependerá das condições climáticas favoráveis e da disponibilidade de recursos, conforme explica o DER-MG.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄