Aumento no combustível e gás de cozinha deixa consumidores em alerta

Aumento no combustível e gás de cozinha deixa consumidores em alerta

No dia 14 de junho passou a valer o novo preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) nas refinarias da empresa, R$ 0,19 mais caro, elevando o preço por quilo para R$ 3,40.

Foto: O Petróleo/Ilustração

Rhaiane Carvalho


O brasileiro tem enfrentado dificuldades em diversos sentidos quando se trata de manter o orçamento doméstico. Está cada vez mais caro abastecer os veículos nos postos de combustíveis. Qualquer aumento no preço do combustível acaba afetando a vida de todos que precisam abastecer. Os profissionais que trabalham com entrega também sentem muito no bolso. Em época de pandemia, em que o serviço de entrega tem tido muita notoriedade e necessidade, o ramo tem sido bastante afetado, conforme explica o motoboy Fernando Fernandes.

“Ficando praticamente impossível trabalhar até mesmo com delivery, com essa questão do combustível, que está muito alto. Infelizmente, vamos ter que começar a cobrar uma taxa um pouco mais alta”.

Foto: Rhaiane Carvalho

 

Mas não é só o setor de combustíveis que apresentou alta nos últimos tempos. Donas de casas e até mesmo proprietários de restaurantes estão ficando sem saída com o aumento do gás de cozinha.  Adriana Ribeiro tinha um restaurante na cidade de Arcos, mas com a pandemia passou a cozinhar em casa e atender somente via entrega, o conhecido delivery. Ela conta que de início já veio a pandemia comprometendo, mas agora enfrenta outros fatores como o aumento no valor do gás de cozinha.

“Tivemos uma alta muito grande nos alimentos desde o ano passado, no mesmo período em que a pandemia estava acentuando; depois sofremos com a alta nos combustíveis e que, de lá pra cá, continua subindo, dificultando a gente a trabalhar com as entregas. Agora, estamos enfrentamos a alta do gás, que cheguei a pagar quase 100 reais em um botijão. Quem trabalha nesse ramo, e que utiliza combustíveis para entrega; mercado para os insumos; e gás para a produção, terá que pagar pra trabalhar daqui uns tempos. Como que vou repassar todos esses aumentos para os meus clientes? Quem quer pagar um absurdo em um prato de comida? Ninguém!”.

 

O Jornal Cidade também fez um levantamento da alta do etanol e da gasolina, e do gás de cozinha de 2019 para 2021. Confira:

Produto

Valor em 2019

Valor em 2020 Valor até junho de 2021 Aumento médio
     Etanol      R$2,83      R$3,62      R$4,49         59%
    Gasolina      R$4,34      R$4,56      R$5,89         36%

    Gás de         cozinha

      R$69

     R$70,56

      R$95

        37%

 

Nova alta para o gás de cozinha

Mesmo antes de entrar em vigor o novo aumento de 5,9% do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), anunciado no dia 11 de junho, pela Petrobras, o preço médio do gás de cozinha (botijão 13 kg) para o consumidor subiu de R$ 85,27 para R$ 85,63 na semana de 6 a 12 de junho, com o valor máximo de comercialização voltando para o patamar de R$ 125,00, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

No dia 14 de junho passou a valer o novo preço do GLP nas refinarias da empresa, R$ 0,19 mais caro, elevando o preço por quilo para R$ 3,40, o primeiro aumento da gestão do general Joaquim Silva e Luna na presidência da Petrobras. De acordo com o reajuste da Petrobras, o novo preço médio para o botijão 13 kg passa a ser de R$ 44,20 nas refinarias.

Ao valor, porém, é adicionada a fatia da distribuição e revenda (35,6%) e impostos estaduais (ICMS), de cerca de 14%, depois de o governo ter zerado os impostos federais (PIS/Cofins) que representavam menos de 1% do preço na refinaria.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄