fbpx

Anota aí – representatividade negra no audiovisual

Produções audiovisuais recentes mostram que, mesmo a passos de formiga, protagonismo negro ganha espaço.

João Alves


Se tratando de cinema, e das demais produções audiovisuais, especialmente no que diz respeito aos seus efeitos sobre a sociedade, é mais que bem-vinda uma comparação com o “Toque de Midas”, importante personagem da mitologia grega.  Tal qual o rei que, cada coisa que tocava transformava em ouro, filmes e séries têm a capacidade de tornar seus espectadores mais ou menos tolerantes de acordo com a forma com que abordam determinado tema. 

Este efeito é visível, sobretudo, quando se analisa a representatividade negra em produções audiovisuais. Afinal, qual o impacto de se ver personagens pretos representados sempre da mesma forma – geralmente esteriotipada e em papéis secundários e – mais importante – qual o impacto de não se ver artistas negros, seja nos bastidores ou em frente às câmeras, sobre uma sociedade ainda marcada pela exclusão racial?

Citando a grande atriz – e ícone do cinema mundial – Viola Davis, “ a única coisa que separa mulheres de cor de qualquer outra pessoa é a oportunidade”. Esta poderosa fala foi dita durante o seu discurso no Emmy Awards de 2015, quando se tornou a primeira mulher negra a conquistar o prêmio de melhor atriz em uma série de drama. De lá pra cá, seja do ano em que Viola cruzou essa linha para o ano em que estamos, ou do cinema norte-americano para as produções brasileiras mais recentes, fica a reflexão sobre o que mudou e o que ainda é necessário mudar em termos de equidade de raça no audiovisual.

Com isso em mente, de forma breve e, correndo o risco de não abranger o assunto da forma que ele merece, dada a sua riqueza e complexidade, o Jornal Cidade lista algumas das produções recentes que merecem ser vistas em função da forte representatividade negra que é mostrada. Anota aí:



1) Infiltrados no Klan (2018)

Nada mais justo que encabeçar a lista com Spike Lee – cineasta negro considerado um dos maiores da sua geração. O filme gira em torno do personagem Ron Stallworth, policial que, em 1978, consegueiu se infiltrar no Ku Klux Klan, mesmo sendo negro. A produção pode ser assistida na Amazon Prime. 

2) AmarElo – É tudo para ontem (2020)

No documentário da Netflix, o rapper, ativista e escritor Emicida, tendo como pano de fundo uma apresentação no Theatro Municipal de São Paulo, relembra e celebra o legado da cultura afro-brasileira. 

(Foto: Netflix/Reprodução)

 

3) Corra (2018)

Dirigido por Jordan Peele, um dos mais proeminentes nomes do audiovisual da atualidade, o filme, que ganhou o Oscar de melhor roteiro original, conta uma história de racismo usando elementos típicos do gênero de terror. Na trama, o personagem Chris viaja para o interior a fim de conhecer a família de sua namorada. Chegando lá, ele descobre estar no centro de uma armadilha racista, perturbadora e claustrofóbica. Disponível para assistir no youtube. 

4) Temporada (2020)

Disponível na netflix, o filme mineiro dirigido pelo cineasta André Novais, da importante produtora Filmes de Plástico, gira em torno de Juliana, mulher que se muda para a periferia de Contagem, para trabalhar no combate às endemias da região. Em seu novo trabalho, ela conhece pessoas e vive situações que, aos poucos, começam a mudar sua vida. A produção é estrelada por Grace Passô, atriz que também dirigiu o curta-metragem República (2020).

5) How to get away with a murderer (2014-2020)

A série de sucesso é estrelada por Viola Davis, que vive Annalise Keating, uma advogada da área criminal e professora de direito em uma universidade de prestígio. Junto com seus alunos, ela se envolve em uma trama de assassinato ao mesmo tempo em que tanta salvar o seu casamento. Disponível para assistir na Netflix.

(Foto: Netflix/Divulgação)

 

6 – Café com Canela (2017)

Dirigido por Ary Rosa e Glenda Nicácio, o filme se passa no Recôncavo da Bahia e conta a história de Margarida, mulher que vive isolada pela dor da perda do filho até encontrar Violeta, uma ex-aluna disposta a levar um pouco de luz de volta à sua vida. A produção, reconhecida por sua forte personalidade, está disponível na Amazon Prime. 

7 – Pantera Negra (2018)
Sucesso de crítica, a produção é dona de uma narrativa que tenta preencher a histórica lacuna de heróis negros na mídia. O ineditismo da obra não para por aí – o filme, que conta a trajetória de T’Challa, príncipe do reino de Wakanda, é assinado pelo jovem e negro diretor, Ryan Coolger, e conta com um casting de mais de 90% de atores pretos ou pardos. Disponível para assistir na DisneyPlus. 

(Foto: Marvel Studios/ Reprodução)

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄