COMPARTILHAR
“Fiz da minha casa um quartel, no qual eu sou o refém e os bandidos ficam soltos”, lamenta vítima de assalto
Continua depois da publicidade.

Nas últimas semanas em Lagoa da Prata tem aumentado de forma significativa o registro de furtos e roubos. Os ladrões não estão perdoando ninguém. São carros tomados de assaltos, comércios assaltados à mão armada, casas invadidas, mulher roubada à luz do dia ao sair do trabalho e muitos sonhos despedaçados. Estatísticas da Polícia Civil mostram que de 1º de janeiro a 3 de junho de 2016 foram registrados 513 roubos e furtos na cidade, uma média de quatro ocorrências por dia .

O drama de chegar a sua casa e vê-la toda revirada, com a perda de vários pertences e objetos de valor, é retratado por duas pessoas entrevistadas pelo Jornal Cidade que foram vítimas dos assaltantes. Os dois homens pediram para não serem identificados e os chamaremos apenas por João e Antônio. “Eu estava almoçando na casa da minha mãe. Ao voltar, vi que o portão da minha casa estava arrombado e todos os objetos jogados ao chão. Minha esposa estava grávida e começou a passar mal. A sensação é a pior possível. Tudo que eu falar não chegará perto da sensação de viver aquele momento”, desabafa João.

Continua depois da publicidade.

Os ladrões conseguiram tirar o portão eletrônico dos trilhos e arrombaram a fechadura da porta da frente. Levaram televisão, joias, dinheiro e objetos pessoais. Em seguida, entraram na casa do vizinho ao lado que havia acabado de sair para o trabalho e também levaram alguns pertences. Como se não bastasse o susto e a perda de bens materiais, a ação dos ladrões deixou consequências na família de João. “Minha esposa estava grávida e começou a passar mal. Graças a Deus não perdeu a criança, mas teve que fazer tratamento psicológico durante um ano por causa do trauma. Qualquer barulho a gente já imagina que alguém está entrando na casa. Não durmo como antes. Minha casa já tinha cerca elétrica e coloquei monitoramento. Fiz da minha casa um quartel, no qual eu sou o refém e os bandidos ficam soltos. Pretendo comprar uma arma de fogo e já dei entrada nos procedimentos para adquirir legalmente. É injusto o bandido estar armado e a lei exigir que o cidadão de bem esteja desarmado”, lamenta João.

Ele diz não ter esperança de que a sensação de insegurança em Lagoa da Prata um dia acabe. “Eu acho que as autoridades de segurança tomarão alguma medida
concreta somente no dia que entrarem na casa delas. Você só sabe o que é quando entram em sua residência. Graças a Deus eu não estava em casa. Conheço gente que foi assaltada quando estava em casa e foi muito pior. A cidade cresceu. Com o crescimento vem muitos benefícios, mas também vêm coisas ruins, como os bandidos. Tem que instalar um batalhão de polícia na
cidade, tem que ter mais efetivo. A segurança é a prioridade da cidade neste momento”, afirma.

Antônio também passou por situação semelhante à de João. Ao final de um dia de trabalho, chegou em casa e viu todos os móveis revirados e o portão arrombado. Os ladrões levaram dinheiro e pertences de valor. Não se têm notícia se os bandidos foram presos. Outros moradores do bairro também foram vítimas de furto. “É impressionante! Os assaltos acontecem quase sempre na mesma hora e nas mesmas regiões. Não é possível que a polícia e a justiça não consigam tirar esses bandidos de circulação”, desabafa.

FORÇAS DE SEGURANÇA

De acordo com o delegado Dr. Leonardo Mota, a Polícia Civil tem realizado as

Dr. Leonardo Mota, delegado da Polícia Civil.
Dr. Leonardo Mota, delegado da Polícia Civil.

investigações necessárias para a devida identificação e punição dos autores de crime. “As operações policiais são desencadeadas diuturnamente, com o cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão. A cidade de Lagoa da Prata cresceu muito nos últimos anos e, infelizmente, o número de servidores não acompanhou o seu crescimento e, por incrível que pareça, teve seu quadro de servidores reduzidos. Mas, apesar de todas as dificuldades encontradas, trabalham, diuturnamente, para realizarem o seu trabalho da melhor maneira possível, sempre com a finalidade de prestar um serviço público de qualidade, em prol do cidadão lagopratense”, afirmou.

Segundo o comandante da Guarda Municipal, Emerson Silva dos Santos, o ideal seria ter um guarda para cada 800 habitantes, mas na situação de hoje é até um número fora da realidade. “Esperamos trabalhar com um número maior para dar

Emerson Silva dos Santos, comandante da Guarda Municipal
Emerson Silva dos Santos, comandante da Guarda Municipal

esse partir do momento em que estivermos armados a população pode ter certeza de que teremos passado por intensos treinamentos na Acadepol (Academia de Polícia), Polícia Federal e preparo psicológico. É questão de urgência a guarda estar armada. O comando da Guarda, os delegados, o comando da Polícia Militar estão conversando e daremos uma boa resposta para a população. Vamos diminuir esses furtos”, destacou.

Francisco Cabral, presidente do Consep, também destacou que algumas medidas

Francisco Cabral, presidente do Consep
Francisco Cabral, presidente do
Consep

estão sendo tomadas para minimizar a questão dos roubos e assaltos em Lagoa da Prata. “Além das medidas que já estão sendo tomadas, a nossa cidade será colocada em um outro patamar de segurança pública com a construção do quartel da Polícia Militar em nossa cidade. A PM já dispõe do terreno próprio e esse é um dos nossos projetos mais audaciosos”, frisou.

O deputado federal Newton Cardoso Júnior está empenhado, junto ao governo do Estado, em conseguir os recursos para a construção do quartel.

AUMENTO DE POLICIAIS CIVIS

No dia 31 de maio, o superintendente da Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS), André Pelli, recebeu o vice-prefeito Roberto do Tuim e o deputado Newton Júnior e garantiu que a cidade receberá de 6 a 10 novos policiais civis a partir do mês de setembro. “Garanto que a solicitação certamente será atendida. Temos cerca de 1000 investigadores fazendo o curso na Academia de Polícia Civil e serão designados após o término das Olimpíadas”. O pedido de mais investigadores foi reforçado pelo delegado regional Dr. Ivan José Lopes.

gráfico

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp