COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.
Abaixo-assinado dos moradores pede que rua volte a ser de mão única

Os vereadores Luis Resende e Américo Libério apresentaram um requerimento na sessão ordinária, realizada no dia 30 de março, da Câmara Municipal de Santo Antônio do Monte, solicitando à prefeitura que volte o tráfego da rua Dr. Álvaro Brandão para mão única. Em julho de 2014, a Secretaria Municipal de Transportes e a Comissão de Trânsito do município implantou a mão dupla na via e em outras ruas da cidade.

A intenção da administração municipal era reorganizar o trânsito e melhorar a fluidez no centro e nos bairros – o que não aconteceu na rua Dr. Álvaro Brandão.

Continua depois da publicidade.

Moradores realizaram um abaixo-assinado, com 240 assinaturas, alegando que a mudança trouxe muitos riscos devido ao fluxo de veículos pesados, veículos estacionados
em ambos os lados, buracos e falta de local adequado para a travessia de pedestres, o que tem causado vários acidentes. Alegam também que a mudança seria um teste pelo período de 90 dias.

Eu fico indignado. Cadê a abertura do Executivo? Nós não temos resposta para nada. Muda agora e muda depois. Não tem um posicionamento. Virou um pandemônio o lugar.

Para o vereador Luis Resende, a mudança realmente foi um erro da administração municipal. “Errar é humano. A administração cometeu um erro com aquela mudança. O prefeito falou a mim e ao vereador Geraldo Magela Góis que se não desse certo a modificação, voltaria. Essa mudança na rua Dr. Álvaro Brandão foi um teste que infelizmente não deu certo. Temos que reconhecer isso”, afirmou.

O vereador Américo Libério, em seu pronunciamento sugeriu que o legislativo também errou ao se posicionar sobre as mudanças no trânsito. “Em muitas de nossas ações na câmara municipal, nós podemos errar, já erramos muito. Nós não podemos é permanecer no erro”.

“NÃO TEMOS RESPOSTA PARA NADA”, RECLAMA VEREADOR

Todos os vereadores se manifestaram durante a apresentação do requerimento. A maioria reconheceu o erro na mudança do tráfego da rua e outros criticaram a falta de planejamento do governo. “Eu fico indignado. Cadê a abertura do Executivo? Nós não temos resposta para nada. Muda agora e muda depois. Não tem um posicionamento. Virou um pandemônio o lugar. Temos que ter respeito pela opinião da população. Estamos pedindo um engenheiro de trânsito, mas não temos respaldo. A casa não tem como legislar sem um estudo. Contratar um técnico não é gasto, é investimento diante da situação que estamos vivenciando aqui”, questionou o vereador Carlos Campinho.

Antônio Miranda concordou com as críticas do colega. “Já pedimos várias vezes um engenheiro de trânsito para o município, porque, em termos técnicos, não entendemos. Se for para mexer tem que trazer uma pessoa que entenda e regularize o trânsito. Meu voto é contrário, pois temos que votar em cima de um trabalho técnico”, disse o parlamentar.

 

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp