COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade .

“Temos relatos de jovens que defecam e fazem xixi na porta das residências e fazendo sexo na calçada”, denunciou o vereador Preto

Durante a reunião ordinária da Câmara de Lagoa da Prata realizada na última segunda-feira (13/05),

o vereador Olair Dias de Castro (Preto) apresentou um Projeto de Lei Complementar que pretende proibir a venda e o consumo de bebidas alcoólicas em postos de combustíveis, no período de 23h às 6h. A proposta prevê que os estabelecimentos infratores estarão sujeitos à multa.

Continua depois da publicidade .

Preto explica os motivos que o levaram a apresentar o projeto. “Fiz o projeto devido a várias ocorrências registradas tanto na Polícia Militar quanto na Guarda Civil Municipal e algumas reclamações de populares que não estavam suportando mais o que vinha acontecendo. Sem contar a questão das drogas, quebra de garrafas, discussão em frente às casas, som alto, cavalo de pau com os carros etc. O valor imobiliário daquele local caiu bastante e às vezes alguns locatários não conseguem alugar ou fazer negócio, tudo por causa do barulho”, afirmou, referindo-se ao conhecido “Postinho”, localizado na avenida Brasil e alvo de reclamações por parte dos moradores da região.

O vereador acrescentou que já houve casos de pessoas que precisaram ser hospitalizadas após confusão no referido local. “Temos agravantes de pessoas que brigaram em uma lanchonete de um posto de gasolina e uma delas teve fratura craniana, chegando a ir parar no Hospital João XXIII. Eu respeito o trabalho do dono do local e até conversei com ele pelo Facebook, porém, a população quer paz e tranquilidade. O dono do local alegou que eu estou tirando o direito dele de trabalhar, mas ele também está quando deixa o barulho incomodar pessoas que têm que passar a noite toda acordada e no outro dia trabalhar. Ele passa a noite trabalhando e dorme de dia”, enfatizou.

Na justificativa do projeto, Preto ainda destacou que existem na Câmara Municipal dezenas de pedidos de populares que se sentem incomodados. “Temos relatos de pessoas que dizem que os jovens bebem a noite toda no local, defecam e fazem xixi nas portas das residências, além de já terem visto pessoas fazendo sexo nas calçadas, vomitando nas entradas das residências e outras coisas mais”, relatou.

O outro lado

O Jornal Cidade entrou em contato com o empresário Reinato Fantoni, proprietário de postos de combustíveis em Lagoa da Prata, que disse ser favorável à aprovação da lei. Ele destacou que tem o atendimento aos seus clientes prejudicado devido ao consumo excessivo de bebidas por parte de alguns jovens. “Tenho sido afetado pelos excessos provocados por alguns frequentadores de estabelecimentos que comercializam bebidas próximo a um dos meus postos. Além de provocarem a perturbação de sossego, atrapalham o fluxo de veículos no referido posto, afetando as vendas. Portanto, em razão dos fatos expostos acima, a minha opinião é favorável quanto à aprovação da referida lei”.

A reportagem tentou contato com um dono de um estabelecimento que é alvo de constantes reclamações de barulho, excesso de bebidas dos consumidores e brigas, mas as ligações não foram atendidas.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp