COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

O Governo de Lagoa da Prata perdeu força na Câmara Municipal. O vereador Adriano Moraes, em entrevista exclusiva ao Portal TV Cidade, anunciou a sua saída da base governista, que agora conta, na teoria, apenas com o vereador Edmar Nunes, presidente do Legislativo. Moraes disse que não irá para o bloco oposicionista, mas garantiu que não defenderá o governo nas discussões dos projetos.

O vereador afirmou que o motivo de sua saída da base governista deve-se, segundo ele, a uma suposta perseguição política que a Administração Municipal estaria colocando em prática contra a vereadora Cida Marcelino, a Cida da Saúde. Ela, que também é funcionária pública da Secretária Municipal de Saúde, recentemente votou contrário em um projeto de interesse do governo e, em seguida, foi transferida para outro setor da mesma secretaria. Adriano Moraes explica a sua decisão: “Política é uma coisa séria. Tem coisas que estão muito acima de projetos, que são os princípios morais. A minha índole não condiz com política de perseguição, senão, não vai haver democracia. Se eu aceitar que façam pressão numa vereadora para que ela vote a favor ou contra um projeto, então a Câmara não tem significado de existir. A questão ética para mim é essencial. Se eu aceitar esse tipo de política, naturalmente eu serei conivente com essa situação”, disse o vereador.

Cida de Saúde foi transferida de setor após dar voto contrário a um projeto de interesse do governo
Continua depois da publicidade.

Por telefone, Cida disse ao Portal TV Cidade que durante 13 anos (dois mandatos do prefeito Zezinho e cinco anos do governo Divininho), ela era a responsável na Secretaria de Saúde pelo agendamento de exames e consultas especializadas de pacientes que estavam aguardando por até 12 meses na fila do Sistema Único de Saúde (SUS) e decidiam fazer o tratamento por conta própria. Cida tem contatos com médicos e profissionais da área e conseguia as consultas na rede particular por um preço mais em conta.

Agora, a servidora municipal/vereadora foi transferida para o CEAC (Centro Especializado de Atendimento à Criança), setor no qual também fará atendimento ao público, mas cujo trabalho não tem a mesma visibilidade do que a marcação de exames e consultas da Secretaria de Saúde. Nos últimos anos, os cargos de atendimento ao público na área de saúde renderam muitos votos e a eleição de vários vereadores.

O secretário municipal de Saúde, Antônio Juarez de Castro, foi procurado pela reportagem, por telefone, mas não quis se manifestar sobre o assunto.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp