COMPARTILHAR
Câmara Lagoa da Prata
Continua depois da publicidade.

“Quem já ocupa um cargo público tem essa prerrogativa institucional de prestar contas e contato com a população. Em razão da nova dinâmica imposta pela lei eleitoral válida pra este ano, sim, os ocupantes de cargo público saem em vantagem”

A Câmara Municipal de Lagoa da Prata iniciou nesta segunda-feira (23) a transmissão das reuniões ordinárias, que acontecem nas segundas-feiras, às 16 horas. A vencedora da licitação foi a Rádio Veredas FM. O setor de compras do Legislativo conseguiu um preço 41% menor do que o cobrado em 2015 devido aos lances oferecidos durante o pregão, que também contou com a participação da Rádio Divinal FM. O valor por hora transmitida caiu de 340 reais para 200 reais. Até o mês de junho, somente as duas primeiras horas das reuniões serão transmitidas para atender à nova lei sobre publicidade de órgãos públicos em ano eleitoral.

A transmissão das reuniões, se por um lado cumpre o objetivo de democratizar o acesso à informação e facilitar ao cidadão o acompanhamento dos trabalhos dos vereadores, por outro, proporciona visibilidade aos atuais parlamentares, o que pode se tornar uma vantagem na corrida eleitoral em relação aos candidatos que não possuem espaço em mídia. Pelo menos isso é o que dois especialistas em marketing apontaram em consulta feita pelo Jornal Cidade.

Elias Costa
Elias Costa
Continua depois da publicidade.

Para o professor universitário e jornalista especializado em marketing político, Elias Costa, com a redução do tempo da campanha, de 90 para 45 dias, os candidatos mais conhecidos do povo saem na frente. “Quem já ocupa um cargo publico tem essa prerrogativa institucional de prestar contas e contato com a população. Em razão da nova dinâmica imposta pela lei eleitoral válida pra este ano, sim, os ocupantes de cargo publico saem em vantagem”, afirma.

 

 

Rubens Macouff
Rubens Macouff

O diretor da Van Gogh Marketing, Rubens Macouff, também concorda que as transmissões das reuniões beneficiam os atuais vereadores, mas ponderou: “Cada vereador deverá ter o bom senso de realizar seu trabalho com lisura e eficiência como se este não fosse um ano eleitoral. Pensando assim, qualquer um que tente autopromover-se utilizando o espaço público estará sabotando a si mesmo, pois estará demonstrando um caráter duvidoso”, avalia.

 

PRÉ-CANDIDATOS

Elias Costa ressalta que os cidadãos que pretendem se candidatar em 2016, mesmo que ainda não tenha seu nome homologado nas convenções partidárias, já pode se posicionar como pré-candidato. “Não pode pedir voto, mas pode falar das suas qualidades e posições. Os políticos poderão se apresentar como pré-candidatos sem que isso configure propaganda eleitoral antecipada, mas desde que não haja pedido explícito de voto. A nova regra está prevista na Reforma Eleitoral 2015, que também permite que os pré-candidatos divulguem posições pessoais sobre questões políticas e possam ter suas qualidades exaltadas, inclusive em redes sociais ou em eventos com cobertura da imprensa. Para os menos conhecidos é um avanço diante da vantagem que os já ocupantes têm”, explica o professor.

O site do TSE esclarece alguns pontos, veja neste link mais informações sobre as novas regras das eleições municipais.

O POVO FALA

Os atuais vereadores levam vantagem em relação aos outros candidatos por causa das transmissões das reuniões?

Ricardo Freitas
Ricardo Freitas
“Na teoria não beneficia, já que eles ainda não são candidatos, e se vierem a ser só serão a partir da convenção de seus partidos. A partir daí a Câmara não poderá transmitir as reuniões, mas na prática acaba beneficiando sim, porque eles acabam deixando um recadinho direto ao eleitor. Sai na frente com certeza”.
Ricardo Freitas, radialista

 

 

Tarcília Castro
Tarcília Castro
“Não. O vereador pode até achar que usufruir desse meio de comunicação o deixará em vantagem e que as palavras ditas terão poder de influência. Porém, essas podem ter mil e uma formas de interpretação. O microfone pode ser um instrumento de comunicação muito perigoso quando utilizado de forma errada. O que fará a diferença visível serão os serviços que os mesmos prestaram à sociedade, com responsabilidade e dentro da legalidade, esses não têm dupla interpretação, é fato, e não palavras ao vento”.
Tarcília Castro, coordenadora da Casa Lar da Apae

 

Carlos Castilho Gonçalves
Carlos Castilho Gonçalves
“Sim, com certeza. Não deixa de ser uma propaganda em prol dos candidatos. Deveria ser suspensa tão logo inicie a corrida eleitoral”.
Carlos Castilho, funcionário público

 

 

 

 

Gusttavo Vieira
Gusttavo Vieira
“Mas é claro que traz benefícios para quem está com a máquina nas mãos. A própria Justiça Eleitoral, em ano de eleições, não permite esta ação. Agora é engraçado, foi só paralisar a transmissão das reuniões que já aumentaram os próprios salários. Isso que é manobra”.
Gusttavo Vieira, vendedor

 

 

 

Synara Nicolau
Synara Nicolau
“A transmissão das reuniões da Câmara pode, sim, interferir na opinião que o povo tem em relação aos atuais vereadores. Porém, não acredito que, com o nível de discussão que até então temos visto, isso possa beneficiar eleitoralmente os nossos atuais representantes na Câmara”.
Synara Nicolau, bancária

 

 

 

Ariel do Gás
Ariel do Gás
“Eu acho que sim, pois manipulam bem o que fazem no rádio. Às vezes o que fizeram ou vão fazer é uma coisa sem muito destaque. Então, por estar transmitindo, falam umas 100 vezes para dar ‘ibope’”.
Ariel do Gás, empresário

 

 

 

 

Janeany Castro Almeida
Janeany Castro Almeida
“Acho que não, pois durante esses três anos de mandato já deu tempo suficiente para que cada vereador pudesse mostrar o seu trabalho, a sua postura, compromisso, dedicação e atuação de cada um. Já sabemos exatamente quem é quem. O povo não é bobo, e não será nesses últimos meses que um ou outro vereador conseguirá reverter qualquer tipo de opinião que já foi formada em relação à atuação de cada um deles”.
Janeany Castro, funcionária pública

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp