COMPARTILHAR
Quase todos os dias a PM efetua multas a veículos estacionados na ilha em frente ao Solar Hotel.
Continua depois da publicidade.
Motoristas insistem em estacionar em locais proibidos e também deixam os veículos o dia inteiro ocupando uma vaga de estacionamento

É muito comum encontrar comerciantes e até a própria população reclamando da dificuldade que é para encontrar uma vaga de estacionamento no Centro da cidade. Com isso, o famoso “jeitinho” para estacionar em qualquer canto vem acarretando multas e mais multas, e uma procura frenética para parar o veículo em qualquer lugar.

Veiculos estacionados em frente a garagens é comum na região central de Lagoa da Prata.
Veiculos estacionados em frente a garagens é comum na região central de Lagoa da Prata.

Diariamente, a Polícia Militar tem efetuado multas em veículos estacionados em locais com ilhas (área delimitada por tartarugas e faixas contínuas). Os infratores, além de terem o seu carro removido, têm que pagar uma multa de R$ 127,69 e perdem 5 pontos na carteira de habilitação.

Continua depois da publicidade.

Para o comerciante, Geraldo Donizete da Silva, a organização do trânsito deve ser urgente. “O centro da cidade é o mais prejudicado. O estacionamento tem um grande problema.

Para o empresário Geraldo Donizete, da Padaria Pão Quente, a regulamentação de estacionamento rotativo reduziria parte dos problemas.
Para o empresário Geraldo Donizete, da Padaria Pão Quente, a
regulamentação de estacionamento rotativo reduziria parte dos problemas.

Funcionários e donos de comércio estacionam durante todo dia na porta do meu estabelecimento e não têm consciência de que idosos ou deficientes podem necessitar parar ali. Quando vou receber mercadorias é outro problema. Não tem como o caminhão
parar e temos que sair procurando os donos dos carros para tentar receber as entregas. É preciso que um profissional capacitado analise bem a situação no trânsito de Lagoa da Prata e proponha soluções”.

Segundo o empresário Derek Gombradi, em alguns locais o trânsito está começando a ficar ruim. “Na questão de vagas para estacionar está complicado. Penso que se tivesse um rotativo nos pontos de maior fluxo, como as ruas do Centro, isto seria ótimo. E sem contar que muitos vão de carro para andar dois quarteirões. Infelizmente a educação às vezes tem que ser pelo bolso, sendo assim, acho que um rotativo resolveria em partes este problema inicial que estamos tendo na nossa cidade”.

Carlos Augusto, proprietário de um estacionamento localizado no

Dono do estacionamento Stop Car, Carlos Augusto (Esq.) afirma que a procura por vagas aumentou em 60%.
Dono do estacionamento Stop Car, Carlos Augusto (Esq.) afirma que
a procura por vagas aumentou em 60%.

Centro da cidade disse que a procura no estabelecimento aumentou 60% no último ano. “O pessoal tem reclamado muito da falta de estacionamento na cidade, principalmente no Centro. Muitas vezes as pessoas precisam estacionar o seu veículo muito longe do lugar onde precisam ir. Isso gera certo desconforto. Comerciantes e funcionários que estacionam o carro e ficam o dia todo é uma reclamação constante”.

Para o sargento Washington, da Polícia Militar, o problema precisa ser solucionado. “É preciso pensar em trânsito, em soluções modernas. A cidade cresceu e é necessário acompanhar esse crescimento por meio de ações que possibilitem um trânsito mais eficaz. O município poderia assumir o papel previsto no Código de Trânsito Brasileiro. Uma medida que poderia ser utilizada para organizar o estacionamento em Lagoa da Prata seria a municipalização do trânsito, que já é exigida desde 1997 pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e traz diretrizes aos municípios para oferecer eficiência na gestão do trânsito, segurança nos deslocamentos e na qualidade da sinalização e fiscalização. Dos 853 municípios mineiros apenas 55 estão com o trânsito municipalizado, de acordo com o Denatran. Lagoa da Prata faz parte das cidades que ainda não passaram por este processo”, afirma o policial.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp