COMPARTILHAR
Incêndio em fábrica de fogos de artifício deixou um trabalhador morto (Foto: Matheus Garrôcho/G1)
Continua depois da publicidade.

Por Carina Lelles, G1 Centro-Oeste de Minas
Um homem de 51 anos morreu carbonizado em um incêndio em uma fábrica de fogos de artifício em Pedra do Indaiá. A perícia esteve no local e, segundo o Exército Brasileiro, o título de registro do local está dentro da validade. O G1 não conseguiu contato com representantes da empresa.

Conforme informações da Polícia Militar (PM) o incêndio aconteceu no início da manhã desta terça-feira (26). A vítima estava sozinha em uma estufa de cores. A perícia da Polícia Civil esteve no local e informou que o homem carregava uma bandeja de pólvora, caiu e o atrito com o solo causou o incêndio.

Continua depois da publicidade.

O Corpo de Bombeiros informou que a vítima não conseguiu sair a tempo e morreu carbonizada. O incêndio atingiu somente a parte da estufa e não se alastrou para os outros setores. Após o trabalho da perícia, o corpo foi removido por uma funerária local.

A assessoria de comunicação do Exército informou que o título de registro da fábrica em questão está ativo, com validade até o dia 28/02/18. Um perito deslocou-se para o local da fábrica para realizar uma inspeção técnica da área e dos motivos que levaram à explosão. O acidente ocorreu no setor de estufa de cores e esse setor será interditado até a conclusão da avaliação técnica a ser conduzida pelo perito do Exército.

G1 tentou contato via telefone com a fábrica onde aconteceu o acidente, mas as ligações não foram atendidas.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp