COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

A Associação América Futebol Clube, de Lagoa da Prata, tradicionalmente conhecida como “Sucata”, realizou no último final de semana dois jogos amistosos contra a Associação Veteranos do Araçá, conhecida como “Bagaço”, de Vila Velha, na região metropolitana de Vitória, capital do Espírito Santo.

Com uma média de idade bem mais elevada do que o time anfitrião, os capixabas venceram o primeiro jogo e seguraram o placar na segunda partida até o momento em que o fôlego acabou.

Continua depois da publicidade.

O primeiro confronto aconteceu no sábado à tarde entre os times considerados aspirantes (cascudos), com a vitória do Bagaço por 4 a 2. E no domingo foi a vez dos times considerados principais das duas associações.  Os capixabas entraram em campo com vários atletas que jogaram a partida de sábado, e os lagopratenses colocaram mais de 20 jogadores no confronto – metade em cada tempo – e venceram pelo placar de 2 a 0.

CONFRATERNIZAÇÃO

A realização dos jogos amistosos foi intermediada pelo atleta Rogério Aparecido de Oliveira, que atualmente é jogador do Bagaço e já participou do Sucata durante muitos anos antes de se mudar para Vila Velha.

De acordo com Marcos Alves, um dos diretores da Associação América, o principal objetivo do encontro foi a confraternização com os capixabas. “Fizemos o melhor para recepcioná-los. O placar do jogo é o que menos importa. O que vale mesmo é a confraternização, a união de amigos e suas famílias. Todos nós estamos felizes”, disse Alves.

A diretoria da Associação América ofereceu aos visitantes todo o suporte, incluindo alimentação e hospedagem.

Os atletas da Associação Veteranos do Araçás saiu de Vila Velha na sexta-feira às 20 horas e viajou por volta de 13 horas até chegar a Lagoa da Prata. A delegação veio composta por 43 pessoas, entre atletas e seus familiares.

O presidente do Bagaço é Samuel Nunes, 52 anos, comandante da Guarda Municipal de Vila Velha. Ele ressaltou o espírito de confraternização desse jogo amistoso em Lagoa da Prata. “O bacana é isso. Conseguimos reunir as famílias para participar. Foi uma confraternização muito bacana. Já jogamos em São Paulo e no interior do nosso estado. Mas a recepção de vocês foi muito acolhedora. Lagoa da Prata ficará em nossos corações. O time de vocês é mais jovem, porém, é muito leal e joga com fair play. O resultado ficou em segundo plano. O mais importante foi a confraternização”, disse Nunes.

O advogado Max, 54 anos, é tesoureiro do Bagaço. Ele também ressaltou o acolhimento da cidade e dos companheiros de Lagoa da Prata. “Estar nesse grupo é muito importante para nós, pois valoriza a autoestima do jogador, a gente vai para o campo com a vontade de brincar, a convivência de grupo, então só temos a agradecer”, concluiu.

Os jogos de volta entre as duas associações deverão ser realizados no mês de novembro em Vila Velha.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp