COMPARTILHAR
Este é um dos primeiros registros fotográficos da sede do S. O. S.
Continua depois da publicidade.

No dia 30 de julho o Serviço de Obras Sociais (S.O.S) completou 48 anos em Lagoa da Prata. A história do SOS teve início com os trabalhos da missionária holandesa Maria Tereza Winters em abril de 1968, quando ela veio para descansar em Lagoa da Prata depois de tantos anos de serviços prestados em diversas cidades. Seu repouso era interrompido a todo instante pela campainha da casa, pois sempre alguém estava pedindo alguma coisa.

Maria Teresa Winters registrou, de próprio punho, todos os fatos que culminaram com a criação do S.O.S. O Jornal Cidade teve acesso aos documentos, que estão disponíveis na secretaria da entidade. A missionária disse ter ficado impressionada com tantos pedintes e começou a questionar o que ela poderia fazer pelo povo. Conquistou vários amigos e amigas e contou-lhes sobre seu projeto. Todos se prontificaram em ajudar. Depois de várias reuniões, foi criado o S.O.S, em 30 de Julho de 1968. Foi escolhida a primeira presidente a senhora Alda de Castro. Com a diretoria formada, começaram a trabalhar arrecadando cobertores, roupas e alimentos para distribuir a quem necessitasse. As distribuições eram realizadas nas praças. Mas havia a necessidade de um local próprio, para melhor realizar o trabalho.

Maria Teresa Winters (ao lado do pároco) participa da celebração ministrada pelo então pároco Waldemar
Maria Teresa Winters (ao lado do pároco) participa da celebração ministrada pelo
então pároco Waldemar
Continua depois da publicidade.

O INÍCIO

A diretoria procurou o prefeito da época, Fausto Rezende, homem generoso, que ouviu e deu o seu apoio. Foram atrás de Otavianinho e sua esposa Isabel de Castro. Otavianinho era um líder carismático e doou o um terreno para a construção de um ambulatório. Começaram a surgir as doações e mais voluntários foram surgindo para ajudar na construção. Maria Tereza tinha experiência, era dinâmica, tinha formação em enfermagem, e, apesar da idade avançada, era incansável. Otavianinho liderava a construção e o galpão ficou pronto. Simples e bem repartido para ambulatório médico, distribuição de alimentos, palestras educativas para pessoas que recebiam os alimentos e para as mães que tinham filhos menores.

Exigente, cobrava de todos o cartão de vacinas em dia e combateu a desnutrição das crianças, acompanhando o peso e a higiene. Nesta época, chegaram mais amigas holandesas para ajudar com os clubes de mães, clubinhos de crianças nos bairros, onde incentivava o plantio de hortas e trabalhos manuais para gerar renda.

A construção crescia, e a equipe de sindicância em suas visitas notava a falta de um local para abrigar os idosos acamados, pois seus familiares saiam para o trabalho e não tinham ninguém para lhes dar um copo de água.

CRIAÇÃO DO “NOSSO LAR”

Em 1973, surgiu o “Nosso Lar”, abrigando idosos e pessoas que precisassem de cuidados. Muito foi feito nesta época. Com a ajuda de voluntariado, o S.O.S foi crescendo, ministrou cursos para gestantes, eletricistas, bombeiros, corte e costura, bordados, pintura, tricô, crochê e culinária, onde a promoção humana era o alvo principal. Na medida em que a Assistência Social da prefeitura passou a oferecer os mesmos serviços, o S.O.S priorizou o atendimento aos idosos.

HOMENAGEM DA VOLUNTÁRIA MARLENE

“Não podemos esquecer do passado do S.O.S. Devemos uma enorme gratidão

Marlene Maria Siveli Borges - Conselheira Fiscal do SOS e amiga de dona Tereza. Foi para ela que dona Tereza deixou todas as suas recomendações para que continuasse a obra e não deixasse o SOS acabar. Pessoa de confiança e estima da fundadora, que ajudou a fundar a Instituição também.
Marlene Maria Siveli Borges – Conselheira Fiscal do SOS e amiga de dona Tereza. Foi para ela que dona Tereza deixou todas as suas recomendações para que continuasse a obra e não deixasse o SOS acabar. Pessoa de confiança e estima da fundadora, que ajudou a fundar a Instituição também.

aos pioneiros que batalharam tanto para que a instituição tivesse essa linda história de amor. Cada diretoria que por aqui passou fez o seu melhor, doando seu tempo para que o bem fosse feito. A todos, nossa gratidão pelas marcas deixadas! Aos funcionários do início, aos profissionais e doadores, que Deus os recompense!

Hoje, 48 anos depois, novas pessoas com o mesmo ideal de Dona Maria Tereza estão modernizando a casa e a adequando para oferecer conforto e praticidade aos nossos idosos, dando continuidade ao projeto aqui plantado por ela. Obrigado a todos os incansáveis doadores por sua generosidade. A sua parceria mostra como nosso povo é maravilhoso em favor do próximo. Sempre é tempo de lançar sementes, sementes de ontem, frutos de hoje, sementes de hoje, frutos de amanhã! Ainda há muito que fazer, por isso siga em frente, sorriso no rosto e firmeza nas decisões. Deus resolveu reformar o mundo e escolheu o seu coração para iniciar a reforma, isso prova que Ele acredita em você!

Parabéns S.O.S, pelos 48 anos de muitas lutas, conquistas e de muito amor. Clique e leia a história do SOS escrita por Maria Teresa Winters.

 

 

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp