COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Decisão foi tomada após o delegado ouvir o único sobrevivente da explosão, um jovem de 20 anos; quatro pessoas ligadas a empresa Fogos Globo devem ser ouvidas nesta quinta-feira.

 

 

Continua depois da publicidade.

Após ouvir, nessa quarta-feira (16), por mais de quatro horas, o jovem de 20 anos sobrevivente a explosão em um dos galpões de uma fábrica de fogos de artifício em Santo Antônio do Monte, na última terça-feira (15), o delegado responsável pelas investigações do caso, Lucélio Silva, vai solicitar uma perícia completar no local do acidente.

Por meio da assessoria de impressa da Polícia Civil, o delegado afirmou que é preciso compreender melhor o cenário onde a explosão aconteceu, se as condições para o trabalho eram adequadas, já que em depoimento, Elenilson Gonçalves contou que o fogo começou em sua área de atuação, chamada de “bicação” (processo de se colocar os bicos nos explosivos). Silva voltará ao barracão nesta quinta-feira, na companhia de um engenheiro especializado em explosivos.

Também nesta quinta, o delegado deve colher o depoimento de mais quatro pessoas, entre diretores e funcionários da Fogos Globo.

Relembre o caso

O acidente aconteceu por volta das 7h20, em um dos 150 barracões da Fogos Globo, no bairro Bela Vista. Duas bombas estouraram dentro de uma caixa, espalhando o fogo até acontecer a explosão, momentos depois. Elenilson Gonçalves, que manuseava os explosivos, contou que gritou ao perceber o problema, para que as colegas saíssem, mas só ele conseguiu escapar a tempo. O jovem teve ferimentos leves. As outras vítimas são Daiana Cristina Maciel, 25, e Maria José Campos, 26.

O incêndio ocorreu em um barracão onde é feita a “bicação” da “bomba batom”. O local ficou completamente destruído. Seis pessoas trabalhavam no espaço, mas uma delas faltou ao serviço, porque estava passando mal.

Fonte: O tempo

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp