COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

O pedido para a desativação da cadeia de Santo Antônio do Monte foi feito pela juíza Lorena Teixeira Vaz Dias, que atua na cidade há 3 anos. ” Agora em junho eu solicitei a ajuda e depois de várias tentativas de fuga dos presos da cadeia, eu tive a resposta por telefone de que irão propiciar a desativação da cadeia local”, afirmou a juíza.

Agora em junho eu solicitei a ajuda e depois de várias tentativas de fuga dos presos da cadeia, eu tive a resposta por telefone de que irão propiciar a desativação da cadeia local

 

Continua depois da publicidade.

De acordo com o delegado regional, Ivan José Lopes, a notícia foi muito bem recebida pelos delegados, militares e população. “Esta foi uma ótima notícia, pois os policiais civis que estão na cadeia se dedicando à escolta destes presos e alguns serviços administrativos agora irão para o serviço de investigação”, salientou Lopes.

 

Esta foi uma ótima notícia, pois os policiais civis que estão na cadeia se dedicando à escolta destes presos e alguns serviços administrativos agora irão para o serviço de investigação

 

Há dez dias cinco presos já foram transferidos, e a juíza concorda que já não tem como os detentos ficarem na cadeia. “A situação da cadeia de Santo Antônio do Monte é extremamente precária, não tínhamos segurança e nem estrutura para a manutenção dos presos. A situação só foi se agravando ao longo destes últimos anos”, destacou Lorena.

De acordo com o delegado regional, a estrutura do prédio passou por reformas entre 2005 e 2011, mas a estrutura do prédio não é ideal. “A cadeia está localizada no centro da cidade, fazendo divisas com residências, o que contribui para a fragilidade do local e que possibilita esta sequencia de fugas”, afirmou Lopes.

Em abril, cinco detentos conseguiram fugir do local devido a fragilidade da estrutura que é antiga. Em junho, a Polícia Militar apreendeu seis celulares, carregadores e dez buchas de maconha. no mesmo mês, durante uma inspeção conjunta, foram apreendidos máquinas para fazer tatuagem, celulares, tesoura, mp4, cartões de memória, pedaços de madeira, carregadores, barras de ferro e lâminas de barbear.

De acordo com  o Cabo Silva, o prédio foi construído em 1963 e teve poucas reformas, assim constantemente a PM tem que dar apoio devido as tentativas de fuga.

A cadeia de Samonte tem cerca de 42 detentos, enquanto a capacidade é para apenas 20. “A informação que nos foi passada é que eles seriam distribuídos pelas penitenciárias do estado, que também estão superlotadas. Porém, não temos a mínima condição de manter os presos ali, esta atitude é por eles e pela população”, destacou a juíza.

 

Fonte: Tv Alterosa

 

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp