COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Sobre as investigações ajuizadas contra o Prefeito Paulo Teodoro, Ferdynan disse: “Quem sejam julgadas e muito bem esclarecidas. Se estiver fazendo coisas erradas, que pague”.

O web-designer Rogério Ferdynan enviou ao Jornal Cidade e a outros órgãos de imprensa de Lagoa da Prata (rádios Divinal e Veredas) o seu posicionamento no qual contrapõe as afirmações feitas pelo Promotor Luís Augusto de Rezende Penna, ao responder um questionamento publicado pelo próprio Ferdynan em seu perfil no Facebook.

CLIQUE AQUI E RELEMBRE O CASO

Veja a seguir o posicionamento de Rogério Ferdynan

“Venho a público me manifestar em resposta ao “feedback” do excelentíssimo Promotor de Justiça da Comarca de Lagoa da Prata – MG Dr. Luiz Augusto, apresentado pela imprensa local, depois que eu, Rogério Ferdynan publiquei de livre e espontânea vontade usando o meu próprio computador (IP: 66.249.83.4) e em horário livre, um post no Facebook, expondo a minha opinião e minha posição em relação às medidas adotadas por ele contra 16 pessoas que compartilharam, de forma infeliz, uma publicação, ofensiva e caluniosa envolvendo vários nomes, dentre eles o de Vossa Excelência, Dr. Luiz Augusto.

Certo de que tenho o direito da liberdade de expressão, não venho a público me desculpar pelo que escrevi, até mesmo porque não ofendi, destratei e, nem desacatei ninguém, o que escrevi, escrevi! E não reescreveria nem uma só vírgula do que foi publicado. Deixei bem claro que não concordo com publicações “Fake”.

Quero deixar bem claro para que todos entendam com muita clareza, eu não trabalho para o Prefeito Paulinho, (sei que isso interessa a muitos) e, não fiz essa publicação a mando de ninguém, sou um cidadão cansado de viver em uma sociedade onde quase nada funciona do jeito certo!

Meus comentários e questionamentos como dito por Vossa Excelência, estão de fato, assentados em um ambiente onde segundo Vossa Excelência, é reservado a democratização da imbecilidade e da boataria criminosa, mas, meu post “tá de pé” em meu perfil pessoal, na rede mundial utilizada por mais de 2 bilhões de seres humanos, não considero o Facebook, muito menos o meu perfil, como um espaço inútil, foi tão útil que graças a minha publicação, muita gente tomou conhecimento de fatos até então desconhecidos e que são sim de interesse público e, foi justamente pelo alvoroço desta publicação como citado por Vossa Excelência que obtive uma resposta direta.

Achei sua resposta uma atitude muito positiva, Vossa Excelência mostra que nossos representantes do Estado não estão distantes e, que não são deuses ocultos, como “mita” a mentalidade de muita gente e, que podem conversar com os seus “patrões – por assim dizer”, como bem explica o promotor a coletividade.

Destaco aqui, que compartilho do mesmo ponto de vista de Vossa Excelência em relação a publicações caluniosas, não vejo como tais manifestos podem de fato resolver, ou ajudar em alguma questão, ainda mais questões complexas que não são amplamente divulgadas nem tão pouco bem compreendidas por estarem em constantes modificações! Bom, repito, isso eu achei que já tinha deixado bem claro na minha publicação, mas, pelo visto não ficou bem esclarecido.

Não compartilho “pimenta nos olhos dos outros”, minha ação não é típica de comodistas, acredite excelentíssimo, nesse caso a “pimenta, está mais nos meus olhos do que nos seus, ou de quem quer que seja” Mas, prefiro “pimenta nos meus olhos” do que as lagrimas, que por vezes caíram de meu rosto ao passar necessidades por depender dum sistema público de saúde tão precário como o que temos em Lagoa da Prata.

Muitas pessoas ficaram espantadas por esse assunto ter ganhado essa grande repercussão, por ter sido “exposto”, acredito que sua atitude Vossa Excelência possa ser intimidadora para muitos, talvez por essa razão muitos se escondem atrás do manto pouco nobre do anonimato, felizmente, eu não penso assim!

Entendo bem que a lei cobra mais de uma pessoa como Vossa Excelência e, lamento que a publicação do “Fake” tenha lhe causado transtornos e, me estendo aos demais. Vossa Excelência tem total razão em afirmar que qualquer idiota pode perceber que o conteúdo da mensagem tem a finalidade de ofender gratuitamente a todos os citados.

Não sugeri que as acusações do “Fake” fossem algo de somenos, realmente é um conteúdo ofensivo, Mas, Vossa Excelência é promotor de justiça, ser ofendido por uns e exaltado por outros, faz parte do seu trabalho, afinal de contas, o seu trabalho não é agradar a todos! E sim, fazer o que é certo. Mas, proceda a tempo e modo, da forma com que achar melhor!

Questionei o fato dos nomes das 16 pessoas serem divulgados oficialmente, não se está certo ou errado o que elas fizeram, essa parte não compete a mim. Os endereços e locais de trabalho precisavam mesmo serem divulgados? (Recentemente, um enfermeiro do hospital foi preso após PF encontrar imagens de pedofilia e vídeo de sexo com adolescente, ninguém citou o nome dele oficialmente, creio que seja por medidas de segurança, tais medidas se aplicam a ação ajuizada por Vossa Excelência também? Pois, os nomes, endereços e locais de trabalho foram divulgados). Em minha publicação
também, questiono o fato de que as contas públicas do hospital devem ser divulgadas à
população, Vossa Excelência tem esse poder, se achar por bem, poderia fazer isso.

Não estou sugerindo como Vossa Excelência deve ao não fazer o seu trabalho, quem sou eu, até mesmo porque Vossa Excelência deixou bem claro que o faz bem feito.

Agora, qualquer um pode perceber que estou fazendo um pedido a Vossa Excelência, porém, em nem um momento Vossa Excelência menciona abrir uma sindicância para apurar essas questões (me refiro as contas públicas do hospital) Assim como a UPA pode ser investigada, o Hospital São Carlos também pode! E melhor ainda, se for por Vossa Excelência. – Digo isso, com muito respeito! É claro.

Desde já quero lhe informar que, desejo que as investigações ajuizadas por Vossa Excelência contra o Prefeito, sejam julgadas e muito bem esclarecidas, em qualquer circunstância suspeita, o Prefeito pode e deve ser investigado, se estiver fazendo coisas erradas que pague! E se estiver fazendo coisas certas, que continue. Nem parabéns ele ou qualquer outro funcionário público merece ganhar por isso, não há mérito em fazer a obrigação bem feita, agora, “chicote que bate em Chico, também bate em Francisco” como Vossa Excelência mesmo deixa bem claro que também pode ser investigado.

Não vejo como valentia pedir uma investigação contra Vossa Excelência, não há valentia no direito. Eu tenho esse direito, o que eu não tenho Vossa Excelência, são provas, contra Vossa Excelência, contra o prefeito ou quem quer que seja, pois, se as tivesse não estaria batendo boca no Facebook. A única coisa que tenho, é fé, fé de que um dia viveremos numa sociedade melhor do que essa. Nesse particular, sempre peço a “pessoa extraterrestre” de Jesus Cristo que nos ajude, não posso enviar documentos ao vaticano, nem ao Papa, mas, posso pedir a Deus que certamente tem conhecimento de todos os fatos, para que nos abençoe e nos dê forças pra ir à luta, porque a única coisa que cai do céu é chuva. (Entendedores entenderão) O que eu fiz, foi um alarido, pedindo a Vossa Excelência. Deixo claro que, não estou fazendo nem um tipo de acusação aqui. Meu apelo na publicação é um “grito de insatisfação acumulada”, onde peço que parem de fazer coisas que não ajudam a população e o município, que segundo Vossa Excelência, está sendo lesado.

As ofensas a Vossa Excelência e, a todos, não ajudam em absolutamente nada, porém, acho que revidar ou punir aquelas pessoas também não vai resolver. (Mas, proceda da forma que achar que deve) Eu não teria vergonha nem uma de vir a público novamente, agradecendo a Vossa Excelência ou quem quer que seja por colocar um fim nisso.

Vossa Excelência deixou bem claro, que não a nada a ser feito senão a representação criminal e, francamente, faço de suas minhas palavras, seja lá qual for a sentença, me é de todo indiferente! Sou para muitos “um peixe pequeno, em briga de tubarão” ou como Vossa Excelência queira, um ignorante falando.

Para finalizar, reafirmo que o único motivo pela qual estou usufruindo do meu direito de resposta é, resguardar qualquer pessoa que tenha alguma espécie de convívio comigo, todas as palavras escritas aqui são exclusivamente minhas, por tanto, toda e qualquer responsabilidade, será também única e exclusivamente minha, ninguém além de mim deve ou será responsabilizado pelos meus atos.

No mais, agradeço respeitosamente a Vossa Excelência, por se dar ao direito de me responder, honestamente, fiquei muito agradecido, humildemente peço desculpas por eventuais agravos que essa nossa “conversa assistida” possa causar, me coloco também a disposição para quaisquer esclarecimentos que se façam necessários, seja de forma pessoal, jurídica ou judicial. Porém, faço votos de que isso não seja necessário, pois, não vejo como esse diálogo pode nos levar algum lugar, o melhor é deixar que a justiça seja feita. Estendo essa parte a todos o que tomaram e tomarão ciência desse episódio”.

Muito obrigado!
Rogério Ferdynan

Continua depois da publicidade.

A reportagem entrou em contato com o Promotor Luís Augusto, que preferiu não se manifestar.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp