COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.
Verbas prometidas pelo Estado não chegaram, afirmou Sidney Ferreira. Boato prejudicou relação com fornecedores; Governo vai se posicionar.

A Santa Casa de Formiga divulgou nesta segunda-feira (13) uma nota com esclarecimentos sobre o repasse de verbas do governo estadual à entidade. O documento é assinado pelo provedor e administrador judicial, Sidney Ferreira.

Segundo o texto, desde o dia 4 de janeiro, quando houve uma reunião com o secretário de Estado de Saúde, Fausto Pereira dos Santos, o Governo de Minas fez promessas de envio de verbas à Santa Casa. Segundo ele, Isso teria feito com que surgissem boatos sobre a situação financeira do hospital. A Secretaria de Estado de Saúde prometeu se pronunciar sobre os repasses nesta terça-feira (14).

Continua depois da publicidade.

Segundo o provedor e administrador da Santa Casa, mentiras sobre os repasses prometidos se espalharam pela internet. “Muitos são os comentário e publicações, principalmente pelas redes sociais, por parte de algumas autoridades e personalidades públicas anunciando o envio de verbas para a Santa Casa de Formiga e justificando que conseguiram tais quantias em dinheiro. Porém, esses repasses que foram ‘anunciados’ nunca entraram em sua totalidade nas contas bancárias da instituição”, afirmou.

Ainda segundo o gestor, os boatos de que a Santa Casa de Formiga recebeu verbas causaram desconfiança entre fornecedores, prestadores de serviços e médicos. “Eles estão acreditando que a instituição recebeu tais recursos anunciados por terceiros e que a administração do hospital não quer efetuar o pagamento junto aos credores, o que não é verdade. Isso está prejudicando todo um trabalho sério e transparente que tem sido desenvolvido pela atual administração”, explicou.

Ainda de acordo com Ferreira, o Governo de Minas fez um adiantamento à Santa Casa, no valor de R$ 670.000, referente a repasses do Sistema Único de Saúde (SUS). “Assim que esse crédito caiu em conta corrente, foi descontado pelo banco uma importância de R$ 168.000, referente a pagamento de parcela de empréstimo. Assim, restou um valor líquido de R$ 502.000, dinheiro que foi utilizado no pagamento de fornecedores em atraso e salários de médicos e outros profissionais liberais também em atraso, para que fossem mantidos os serviços no hospital”, acrescentou.

A Mesa Interventora da Santa Casa informou que o governo estadual pagou apenas parte do que deve para a Santa Casa de Formiga. “Não há, até o momento, outro recurso liberado e disponível para uso da instituição além desses R$ 670.000 de adiantamento. Outros valores mencionados por essas autoridades e personalidades públicas são apenas promessas, infelizmente. Se forem cumpridas, serão de suma importância para a Santa Casa de Formiga. Mas é preciso ter cautela e muita responsabilidade ao anunciar repasses de verbas quando, na verdade, esses repasses não ocorreram”, pontuou Ferreira.

O G1 tentou contato por telefone com Sidney Ferreira, para saber quem teria publicado os supostos boatos, para que fosse possível entrevistar algumas dessas pessoas e produzir imagens que comprovassem as afirmações feitas por ele. No hospital, uma atendente disse à reportagem que ele não estava e se negou a fornecer o número de contato pessoal dele.

Repasses
A reportagem também fez contato com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), em busca de uma avaliação sobre o que disse o provedor da Santa Casa, principalmente sobre os repasses que teriam sido prometidos pelo governo. A assessoria de imprensa da SES prometeu responder até o início da tarde desta terça-feira (14).

Por: G1

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp