COMPARTILHAR
O projeto atende cerca de 300 crianças com aulas de pintura, desenho, grafite, artesanato e skate.
Continua depois da publicidade.

O Projeto Locomotiva Cultural vem enfrentando dificuldades para manter os trabalhos, que consistem em oferecer aulas de pintura, desenho, grafite, artesanato e skate. Cerca de 300 crianças das escolas municipais Dr. Jacinto Campos e Monteiro Lobato são beneficiadas pela iniciativa. As aulas acontecem na sede da Futura. “Recebemos no início do mês cinco ofícios de outras escolas que desejam o projeto. O nosso desejo é estendê-lo, mas sem remuneração fica complicado”, afirmou o artista Silas Cândido, um dos idealizadores do Locomotiva Cultural, que trabalha voluntariamente no projeto.

Silas ressaltou que os trabalhos da Futura continuarão normalmente, apenas o Locomotiva Cultural está sem condições financeiras de dar sequência às atividades. “Projetos como o nosso deveriam ser visto com outros olhos. Com o nosso trabalho a Fundação Futura foi revigorada, pois o Rômulo Valadares, que é o responsável pelo local, atendia nas escolas e a sede ficava fechada. Eu e o Diego recebemos o convite dele e lá desenvolvemos vários projetos”, destacou.

Continua depois da publicidade.

Várias entidades em Lagoa da Prata estão em dificuldades financeiras devido à queda das doações espontâneas e ao atraso nos repasses dos governos estadual e federal. Os trabalhos vêm sendo mantidos com subsídios do Município e com o empenho de centenas de voluntários, que promovem eventos e ações para arrecadar recursos.

Quem quiser contribuir com o projeto deve ligar para  (37) 99870-8934 e falar com o Silas.

Ana Paula - projeto“Esse projeto não pode parar, pois os alunos amam. Precisamos do projeto! As mães que trabalham podem ficar mais tranquilas sabendo que os filhos estão aprendendo.” – Ana Paula Oliveira, mãe da aluna Letícia Oliveira, da Escola Monteiro Lobato.

 

 

Terezinha“O projeto trouxe um ganho incalculável para as crianças, uma vez que elas podem colocar em prática, através dos desenhos e pinturas, o que aprenderam dentro da sala de aula ou mesmo externar o que sentem. Empresários, estendam as suas mãos! Nós, professores, agradecemos.” –  Terezinha das Graças Santos Silva, professora da Escola Municipal Jacinto Campos.

 

Adriana - coordenada da escola“Esse projeto tem feito grandes coisas para as nossas crianças. Temos a maior confiança nos colaboradores e eles têm o maior carinho com o que fazem.” – Adriana Carvalho, coordenadora da Escola Monteiro Lobato.

 

 

“O projeto na vida da minha filha foi e é muito bom. Ela fica muito feliz e tem se Sandra Reginadesenvolvido muito. A Ana Flávia ama os coordenadores e ela fica triste quando não é possível ir.” – Sandra Regina, mãe da aluna Ana Flávia, da escola Monteiro Lobato.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp