Projeto “Doce Vida” beneficia mais de 300 pessoas em Moema

COMPARTILHAR
Fotos: Arquivo do Projeto Doce Vida
Continua depois da publicidade .

Através de atividades físicas para a terceira idade, aulas de dança e atividades psicológicas o projeto Doce Vida, idealizados pelas professoras Sabrina Mendes e Fabiana Amaral, por meio da Prefeitura Municipal de Moema, beneficia mais de 300 pessoas de Moema e do Distrito da Chapada. O projeto teve início em 2013 e hoje faz parte da rotina de várias pessoas. Jovens e adultos participam de aulas de zumba duas vezes por semana (às segundas e quintas-feiras), às 18h30, na Praça de Eventos.  As aulas para a terceira idades acontecem terças e sextas-feiras, às 7h, no Centro Ecológico, e quarta às 17h50 na quadra do Distrito da Chapada.

“Uma aula de dança é capaz de trazer dezenas de benefícios para o corpo e a mente. Além de movimentar o esqueleto inteiro, queimar calorias e aumentar o condicionamento físico, dançar fortalece ossos e músculos, melhora o equilíbrio e o humor. Também reduz as dores, potencializa o aprendizado, a memória, atenção e retarda o processo de envelhecimento. Isso sem falar no convívio coletivo, que pode garantir novas amizades e boas risadas. O projeto proporciona aos usuários uma melhor qualidade de vida, controle de diabetes, artrite, doenças cardíacas, colesterol alto e hipertensão, além de evitar o isolamento social do idoso”, explicaram as professoras por meio de nota enviada ao Jornal Cidade.

Professoras Sabrina Mendes e
Fabiana Amaral
Continua depois da publicidade .

De acordo com Mendes e Amaral, o atendimento ao público vai além das aulas. “Fazemos um trabalho de valorização à pessoa idosa. Como exemplo, podemos citar um evento que fazemos em comemoração ao dia deles”, explicaram.

Os interessados em participar do projeto devem procurar o CRAS, que está localizado na rua Aimorés, 444, no Centro de Moema. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 3525-1486

Depoimentos de alunas

“Participo das atividades do projeto desde o início. O projeto me ajudou muito, pois tive um quadro de depressão forte, onde não saía de casa, não me arrumava e tinha dias que eu não conseguia nem sair da cama. Recuperei a minha autoestima, a alegria de viver, melhorei a minha saúde. Hoje, sou vaidosa, pinto o cabelo, gosto de dançar e participo das apresentações. Tenho o projeto como a minha segunda família. Muitas pessoas me falam que quando ficarem idosas desejam se parecer comigo, mas eu digo que se não fosse o projeto eu não conseguiria sozinha. As professoram me ajudaram muito também”. – Conceição Geacaiaba, aposentada

Conceição Geacaiaba, aposentada

 

“Participo do projeto desde seu início em 2013. Era uma pessoa sedentária e hoje não perco uma aula. Faz muito bem para a minha saúde e também me ajudou no convívio social. Além de perder a timidez, aprendi a dançar e hoje até participo de apresentações de dança feitas pelo projeto. Consegui uma ajuda do projeto e venci a depressão. Recuperei a autoestima e a vontade de viver melhor. Hoje sou uma pessoa muito feliz. Amo esse projeto, minhas professoras e meus amigos”. –  Aparecida Maria de Oliveira (Simênia) – 1ª aluna do projeto de zumba, dona de casa

Aparecida Maria de Oliveira (Simênia) – 1ª aluna do projeto de zumba, dona de casa

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp