COMPARTILHAR
Foto: Carina Lelles/G1
Continua depois da publicidade.

Pelo menos três crimes foram registrados na última semana na região. Policiais Civil e Militar passaram por treinamento com armamento pesado

Por: G1

As polícias Civil e Militar criaram uma força-tarefa para combater a explosão de caixas eletrônicos nas cidades da região do Centro-Oeste de Minas. Apesar do número de ataques em 2017 ser menor que do ano passado, moradores se sentem inseguros. Diante dos últimos crimes registrados, pelo menos três grupos distintos foram identificados nas investigações.

Continua depois da publicidade.

Na manhã desta sexta-feira (17), autoridades apresentaram trabalhos feitos para combater o crime. As equipes serão formadas por agentes e militares especializados e atuarão principalmente nas cidades menores da região que têm sido o alvo dos ataques dos criminosos.

Na semana passada, por exemplo, o G1 noticiou dois ataques a caixas eletrônicos e uma tentativa. Em Pitangui, criminosos explodiram a agência dos Correios e tentaram arrombar o caixa eletrônico do Banco Itaú. No dia seguinte, o crime aconteceu na agência do Bradesco, em Formiga. Houve também explosão em São Francisco de Paula, onde o alvo foi uma agência do Sicoob.

Números na região

A região de comando da 7ª Região da Polícia Militar e 7º Departamento da Polícia Civil é formada por 50 cidades. De acordo com dados apresentados durante uma coletiva de imprensa, em 2016, na região, foram registradas 22 explosões de caixas eletrônicos – onde os criminosos conseguiram subtrair algum valor em dinheiro.

Já em 2017, até o dia 16 de novembro, foram registrados 19 casos consumados, além de sete tentativas e um preparatório, onde a Polícia Militar conseguiu evitar a explosão.

Durante a investigação destes crimes, foram identificados pelo menos três grupos diferentes que age nas cidades da região. “Não podemos passar mais informações para não atrapalhar nas investigações. Mesmo com estes grupos identificados pode haver participação de criminosos de outras regiões e até mesmo de outros estados”, informou o comandante da 7ª Região da Polícia Militar, coronel Helbert William Carvalhaes.

Força-tarefa

Diante dos dados e da repercussão dos crimes, uma força-tarefa será feita na região pelas polícias Militar e Civil, que visa atuar diretamente no combate a explosão de caixas eletrônicos. Segundo o coronel Carvalhaes, as cidades de menor porte receberão reforço e todos os militares passaram por treinamento com armamento pesado e de enfrentamento aos criminosos.

“Vamos também fazer reuniões com as instituições bancárias para solicitar o reforço dos dispositivos de segurança. Se essa conversa não surtir resultados, vamos solicitar aos prefeitos que elaborem um decreto obrigando que os bancos possam reforçar estes dispositivos”, revelou.

Além disso, segundo o comandante, será implantado um sistema chamado de OCR que permite monitorar e analisar imagens de câmeras de trânsito instantaneamente e verificar em tempo real ilegalidades diversas, tais como carros roubados, documentação irregular e placas clonadas.

Dentro da força-tarefa também está envolvida a investigação e repressão a roubos e furtos de materiais explosivos como aconteceu em Itaúna. Na madrugada do domingo (12), quatro homens armados com pistolas e espingardas calibre 12 chegaram, em dois veículos, e invadiram uma empresa de distribuição de materiais explosivos, localizada na região de Três Barras, zona rural da cidade. Foram roubados quatro caminhões carregados de materiais explosivos.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp