COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

A municipalização é a solução do trânsito em Lagoa da Prata, afirma sargento da Polícia Militar

Em Lagoa da Prata é comum encontrar pessoas reclamando do trânsito, em especial da dificuldade para encontrar uma vaga de estacionamento no centro da cidade. Como consequência, tem se tornado comum as aplicações de multas e apreensões de veículos estacionados em local proibido, principalmente no entorno da Praça da Matriz, no Centro.

Continua depois da publicidade.

Diariamente, a Polícia Militar tem efetuado multas em veículos estacionados em frente ao Solar Hotel, nas ilhas (área delimitada por tartarugas e faixas contínuas). Os infratores, além de terem o seu carro removido, têm que pagar uma multa de R$ 127,69 e perdem 5 pontos na carteira de habilitação.

A municipalização do trânsito, exigida desde 1997 pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) traz diretrizes aos municípios para oferecer eficiência na gestão do trânsito, segurança nos deslocamentos e na qualidade da sinalização e fiscalização. Dos 853 municípios mineiros apenas 55 estão com o trânsito municipalizado, de acordo com o Denatran. Lagoa da Prata faz parte das cidades que ainda não passaram por este processo.

O sargento da Polícia Militar, Washington Filipe, em entrevista ao Jornal Cidade, fala da necessidade da revitalização do trânsito municipal.

Jornal Cidade: Quais são as infrações mais comuns em Lagoa da Prata? Quantas multas foram lavradas no último mês?

Sgt. Washington: São de estacionamento fora das normas especificadas pelo Código de Trânsito Brasileiro: estacionamento em cima da faixa de pedestre, em cima de ilhas (locais delimitados com faixa contínua que são utilizadas para dar visibilidade e desobstrução do trânsito), estacionamento em ponto de táxi, em área de segurança (em frente aos bancos), em porta de garagem, estacionamento a menos de 5 metros da esquina são as infrações mais comuns em Lagoa da Prata. No último mês foram lavradas 63 multas por estacionamento  irregular.

Jornal Cidade: Qual a causa desse transtorno no trânsito da cidade?

Sgt. Washington: As pessoas estão cometendo esse tipo de infração porque o centro da cidade é frequentado por muitas pessoas, e como consequência por muitos veículos. O espaço é o mesmo de quarenta anos atrás, mas a quantidade de veículos não é a mesma.

Jornal Cidade: Como solucionar o problema?

Sgt. Washington: É preciso pensar em trânsito, em soluções modernas. A cidade cresceu e é necessário acompanhar esse crescimento por meio de ações que possibilitem um trânsito mais eficaz. Isso é modernidade, avanço e progresso. Um sonho da Polícia Militar e da população é a municipalização do trânsito. O município assumindo o papel previsto no Código de Trânsito Brasileiro.

Jornal Cidade: O que é a municipalizar o trânsito?

Sgt. Washington: A municipalização do trânsito é o processo legal, administrativo e técnico por meio do qual o município assume integralmente a gestão, organização e fiscalização do trânsito, tem responsabilidade pelo planejamento, o projeto e a operação, não apenas no perímetro urbano, mas também nas estradas municipais. O município, por meio de uma secretaria específica, Guarda Municipal ou de agentes de trânsito, passa a fiscalizar,  tornando o trânsito mais eficiente.

Jornal Cidade: Enquanto o processo de municipalização não acontece, o que a Polícia Militar tem feito para amenizar o problema do estacionamento da cidade?

Sgt. Washington: Estamos autuando, porque o que nos cabe hoje é fiscalizar o que está aí. A sinalização de trânsito, a destinação de vagas, são de anos atrás. Só para termos uma ideia, não existe uma vaga de estacionamento público destinada para cadeirantes ou idosos em todo o centro de Lagoa da Prata. Não adianta haver rampas nas esquinas se não há vagas para estacionamento de deficientes.

Jornal Cidade: Como a população pode colaborar para a melhoria da situação?

Sgt. Washington: A população precisa ter paciência, a cidade é grande e não dá para estacionar na porta do local que ela vai. Muitas vezes é preciso estacionar distante de onde se vai. Isso não é exclusividade de Lagoa da Prata. Tem gente que vai ser contra a municipalização do trânsito, alegando que haverá mais arrecadação de impostos. Quando o município fizer, que as pessoas acatem de bom grado. Sabendo que essa medida será positiva para a população.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp