COMPARTILHAR
Tenente Batista e Tenente Andreote
Continua depois da publicidade .

A Polícia Militar tem intensificado suas ações de prevenção de crimes em Lagoa da Prata e região. Só no mês de fevereiro foram realizadas 43 ações de fiscalização de trânsito e batidas policiais, com a apreensão de mais de 6 mil reais provenientes de tráfico de drogas. Na sub-área da 107ª Cia, que abrange os municípios de Lagoa da Prata, Japaraíba, Santo Antônio do Monte, Pedra do Indaiá, Luz e Córrego Danta, foram realizadas 140 prisões e apreensões.

Em entrevista exclusiva para o Jornal Cidade, o Tenente João Batista falou sobre as ações da PM.

Continua depois da publicidade .

Jornal Cidade: A Polícia Militar tem realizado diversas blitze e operações em Santo Antônio do Monte e Lagoa da Prata. Qual o principal foco delas?

Tenente Batista: O principal foco das operações policiais militares e blitze de trânsito é aumentar a sensação de segurança da população, seja por meio de ações educativas, preventivas ou repressivas. A prevenção ativa e as ações repressivas são norteadas para o combate aos crimes de roubo e tráfico de drogas. Salientamos a extrema importância da parceria entre a comunidade e a PMMG durante o desencadeamento da blitze de trânsito. Quando o cidadão de bem divulga em redes sociais os locais onde ocorrem as fiscalizações,
orienta a conduta e apoia as ações dos cidadãos infratores. O próximo veículo a ser abordado poderia conduzir um assaltante, um estuprador ou um autor de sequestro transportando a sua vítima no veículo.

Nas últimas semanas a PM intensificou o trabalho e é possível ver o resultado. Mesmo sem o apoio necessário por parte do Estado, como é planejar e executar uma operação, já que o efetivo também é pouco?

As ações da PMMG buscam maximizar de forma racional os recursos humanos e logísticos disponíveis para o emprego operacional. Com o uso de ferramentas de estatística e georreferenciamento, aliadas ao capital intelectual dos policiais militares, são executadas operações previamente planejadas, com o foco na produção com qualidade dos serviços de segurança pública, pautada pela melhoria contínua dos processos e procedimentos operacionais. Entretanto, para uma execução perfeita das ações educativas, preventivas e repressivas da instituição policial militar é de extrema importância a participação social, seja por meio de denúncias encaminhadas via 181, 190 ou pessoalmente aos funcionários encarregados pela aplicação da lei.

A PM tem utilizado o bafômetro nas operações?

A PMMG utiliza rotineiramente o etilômetro, popularmente conhecido como bafômetro, como uma ferramenta para redução dos crimes de trânsito. Não podemos nos esquecer de que no Brasil a principal causa de morte acidental está relacionada aos acidentes de trânsito. Como exemplo da utilização do equipamento, destacamos a operação desencadeada na região do “Postinho” no penúltimo sábado.

E quanto à perturbação de sossego, tem sido intensificada a vigilância?

O desencadeamento operacional para repressão nas imediações de um posto de gasolina, em que havia muitas reclamações, foi intensificado e, conforme relatado anteriormente, estamos desenvolvendo ações repressivas pontuais na região. Tivemos vários veículos
autuados e removidos, além das ações decorrentes do uso do etilômetro. Todavia, a resolução do problema não ocorrerá com medidas paliativas, mas sim com ações preventivas em conjunto entre a população, os Poderes Executivo e Legislativo Municipal, o Ministério Público e o Poder Judiciário. Tais medidas estão em andamento por meio de
uma ação civil pública, pela proposição de uma lei municipal que regulamente a venda de bebidas alcoólicas nos postos de revenda de combustíveis e por ações conjuntas entre a PMMG e o Poder Executivo Municipal.

Quais os canais de denúncia anônima que a PM possui?

Os canais de denúncia anônima utilizados pela PMMG são o disque denúncia “181” e, subsidiariamente o telefone de emergência policial “190” ou diretamente aos policiais militares.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp