COMPARTILHAR
Bombeiros fiscalizam galpão usado como depósito de fogos em Santo Antônio do Monte (Foto: Nayara de Paula/G1)
Continua depois da publicidade.
Ela acontece em Minas. no Distrito Federal e em outros 11 Estados brasileiros e é uma forma de prevenir explosões acidentais ou ameaças terroristas para os jogos das Olimpíadas

O Exército Brasileiro deu início, nesta quarta-feira (4), à operação “Azoto I”, que tem como objetivo fiscalizar o processo de fabricação de explosivos em uma medida de segurança para as Olimpíadas que acontecem no Brasil este ano. A ação acontece desde as 8h em Minas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Sergipe, Tocantins e no Distrito Federal.

Com a coordenação da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados, o Exército pretende intensificar o controle na fabricação do Nitrato de Amônio, matéria-prima para a produção de explosivos e que também compõe a cadeia produtiva de fertilizantes. A fiscalização abrange não só a fabricação e a importação do produto, mas também seu transporte, armazenamento, comércio e uso industrial.

Continua depois da publicidade.

Segundo o Exército, essa é uma forma de prevenir explosões acidentais e dissuadir possíveis ameaças terroristas. Em Minas, por exemplo, o maior pólo de produção de fogos de artifícios, a cidade de Santo Antônio do Monte, no Centro-Oeste do Estado, tem um histórico de explosões acidentais nas fábricas. A última aconteceu no final do mês de março e causou a morte de um trabalhador.

Por: G1

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp