COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte, Pedra do Indaiá e Japaraíba alegam que seus reservatórios têm capacidade suficiente para enfrentar o período de escassez.

 

Continua depois da publicidade.

Com a falta de chuva, várias cidades do centro-oeste de Minas Gerais vêm enfrentando problemas de racionamento de água. Em Lagoa da Prata, o diretor-adjunto do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) Antônio de Pádua Lima Sampaio, explica que a autarquia há alguns anos está se preparando para a possibilidade de faltar água. “Aumentamos a capacidade de captação e armazenamento do líquido através da construção de reservatórios, perfuramos mais poços artesianos, para ficar de reserva, temos melhorado a linha de distribuição, temos projetos em andamento para a construção de mais reservatórios (caixas d’água) e estamos licitando a construção de uma ETA (Estação de Tratamento de Água)  para melhorar a qualidade da água”, ressaltou.

Sampaio ainda destacou que mesmo com essas medidas ainda existe o risco de racionamento. “O risco sempre existe, pois a crise hídrica pode se agravar. Mantidos os quadros atuais, podemos assegurar que não teremos racionamento”, afirmou Sampaio. A capacidade de armazenamento de água, segundo o diretor, é de quatro milhões de litros.

Em Santo Antônio do Monte, apesar da vazão atual do rio Gandú estar abaixo dos valores observados em anos anteriores, o abastecimento está normal. As últimas chuvas contribuíram para o início da recuperação da vazão do manancial.

Em Pedra do Indaiá, o córrego Tapera, responsável pelo abastecimento do município, embora esteja sofrendo impactos da atípica estiagem, neste momento apresenta vazão compatível com a demanda da população, principalmente após as últimas chuvas. A Copasa ressalta que o abastecimento de água também está sendo realizado normalmente na cidade.

Japara_baJá em Japaraíba, de acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, a administração municipal implantou, no primeiro semestre de 2014, dois reservatórios de água de 60 mil litros, no Centro e no bairro São José, e instalou dois poços artesianos da zona rural. O município também implantou o projeto “Redes de Distribuição de Água” nas comunidades Fernandes, Laje, Ponte Velha, André e Mimoso. “A Rede foi o maior benefício que eu recebi”, ressaltou Divino Cândido, morador da comunidade André.

Segundo a assessoria, não há riscos de racionamento no município de Japaraíba. Porém, a administração municipal pede que a população continue evitando o desperdício de água. Com a instalação dos dois novos reservatórios, o município possui uma reserva de 120 mil litros de água.

 

 

 

 

 

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp