COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Liderado por Anderson Vicente de Souza, o Movimento “Salve Nossa Água” se consolidou como uma associação. A proposta foi apresentada à comunidade de Santo Antônio do Monte em reunião realizada no auditório da Câmara Municipal na quinta-feira passada (05/02). De acordo com Souza, o movimento sentiu a necessidade de se tornar associação devido ao aumento das demandas e exigência de relacionamento formal com os órgãos públicos. “Com personalidade jurídica temos mais legitimidade para agir. Como associação, podemos estar em juízo, celebrar acordos e convênios para estar viabilizando o nosso objetivo maior, que é o cuidado com o meio ambiente”, afirmou Souza.
O movimento “Salve Nossa Água” já existe há quase um ano e começou com o intuito de manter a preservação do córrego Gandú, que abastece a cidade. “Estamos passando por um momento de escassez de água e de chuva, e este estava comprometendo o abastecimento da cidade. E outro fato preponderante foi o loteamento que se pretendia fazer ali. Então os pontos cruciais são estes. Através de nossas lutas conseguimos várias vitórias e isso vai culminar com a nossa associação, onde teremos mais condições para lutar pelo nosso meio ambiente. Não é somente o rio Gandú e a água, mas sim todo o ecossistema de Santo Antônio do Monte, mas isto acontecerá no futuro quando estivermos mais bem estruturados”, destacou.

Anderson ainda destacou que a associação tem tido o apoio das autoridades, mas que a comunidade ainda é omissa em alguns aspectos. “Temos encontrado muito apoio no legislativo e executivo, mas sinto que falta mais engajamento da sociedade. A comunidade, que deveria ser a maior interessada nessas questões, está um pouco alheia à discussão. Mesmo sentindo na pele não pensam na necessidade de se preservar o meio ambiente. Em virtude de nossa limitação, temos prioridades como é o caso do córrego Gandú. Aquela área é muito visada economicamente tanto em questão de loteamento quanto na questão ambiental, já que lá se encontra um manancial que abastece a cidade. Depois quando estivermos mais bem estruturados dividiremos a cidade em partes e cada área terá alguém nomeado para cuidar do local”, afirmou.

Continua depois da publicidade.

AGÊNCIA DO IEF

O diretor regional do Instituto Estadual de Florestas (IEF) Patrick Timontchenco, destacou no dia 5 de fevereiro durante uma reunião no Plenário da Câmara de Santo Antônio do Monte que o município foi eleito para ter uma agência do IEF. “O município dará o espaço físico e um técnico, e nós entraremos com veículo e equipamentos. Na agência serão recebidos todos os produtores rurais, porém, algumas atividades específicas serão tramitadas no regional (SUPRAM ou IGAM). Daremos todo o apoio para o povo que necessitar de documentações e orientações”, enfatizou.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp