COMPARTILHAR
Atleta participa do Campeonato Brasileiro XCO em Juiz de Fora no Domingo (Foto: Laudemir Dourado/Arquivo Pessoal).
Continua depois da publicidade.
Laudemir Dourado de Lagoa da Prata se espelha em ídolo nas competições. Além do Brasileiro em Juiz de Fora, ele já se prepara para Internacional de MTB final do ano.

A bicicleta foi um presente do pai que despertou o interesse pelo esporte. Na primeira experiência em competições, um segundo lugar. Este é o resumo do início da carreira de Henrique Avancini, representante brasileiro no Mountain Bike na Rio 2016. Mas também serve para contar os primeiros passos de Laudemir Dourado, de 15 anos. Mineiro de Lagoa da Prata, o garoto quer que a história transcenda o status de coincidência e mira na carreira do ídolo do ciclismo para chegar ao mesmo patamar de Avancini. Para isso, treina diariamente e tenta, neste fim de semana, subir mais um degrau no Campeonato Brasileiro de XCO em Juiz de Fora.

Assim como o ídolo, Laudemir disputa na modalidade XCO Cross Country e disputa com atletas entre 15 e 17 anos. Depois das primeiras pedaladas com amigos, dois anos depois, o praticante, se arriscou em competições. Pouco mais de um ano participando de campeonatos, o garoto estreou no fim de 2014, em provas da categoria sub-15, e ficou com o segundo lugar em uma competição regional. Em 2015 foi vice-campeão Mineiro e terminou em terceiro no Brasileiro. No fim do ano passado um novo segundo lugar na Copa Internacional de Mountain Bike, disputado em Congonhas. Competição em que teve oportunidade de ver de perto o ídolo. “Estou sempre acompanhando o Avancini no esporte e procuro espelhar minhas atitudes, o vendo competir. Quero ser igual ele, melhor do Brasil. Tenho muito chão ainda para chegar ao nível dele, mas sou novo, determinado e sei aonde quero chegar. Além disso, tenho estrutura física que favorece e sou alto”, disse.

Continua depois da publicidade.

Estrutura física que, segundo o técnico do ciclista, Thiago Faria, não se parece com o de Avancini. Para o técnico, o garoto se assemelha com outro atleta, mas não menos importante que Henrique: Jaroslav Kulavi, da Republica Checa, ouro nas Olimpíadas de Londres e vice-campeão mundial. “Vejo semelhanças entre Laudemir e Jaroslav quanto ao tipo físico. Ele tem baixa massa corporal, tem um desenvolvimento muito grande biologicamente que garante melhor desempenho nas subidas e tem se dado bem nos intervalados de curta duração. Agora estamos trabalhando técnicas de pilotagem, mas com certeza ele tem muitas chances para ser forte no MTB”, avaliou.

Brasileiro de XCO
Para a competição o atleta buscou por adaptações. Recentemente subiu de categoria, passando de sub-15 para juvenil, com atletas de 15 a 17 anos. Laudemir afirmou que a mudança causou dificuldades para ele, já que o nível das provas aumentou e alguns adversários estão na categoria a mais de dois anos. “A prova aconteceu em Juiz de Fora/MG , onde recebeu os melhores atletas de moutain bike do brasil. Tive o privilégio de participar em uma das competições com níveis mais altos, e assim estou feliz com o resultado e meu desempenho durante a prova, pois este é o meu primeiro ano na categoria sub-17, a cada dia que passa me sentindo mais forte e preparado para cada competição”, afirmou .

O atleta ainda agradeceu a torcida. “Queria agradecer primeiramente a Deus, por me abençoar neste dia tão especial. Família e amigos que sempre estão na torcida por minhas vitórias, e a equipe TSW pelo apoio de sempre”, disse

Segundo ele, o objetivo é continuar treinando para chegar entre os favoritos. “Dá certa insegurança, pois os atletas são mais velhos e mais fortes, alguns têm dois anos no juvenil. Além disso, o percurso da prova aumentou e meus resultados neste ano têm sido inferiores por causa disso, mas pelas minhas colocações estou bem. Meu treinador ficou surpreso com o resultado e espero trazer o título para casa”, concluiu.

Por: Globo Esporte

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp