COMPARTILHAR
Rafael Cruz no pódio junto com o mestre Marcos Fejão (Foto: Marcos Fejão/Arquivo Pessoal)
Continua depois da publicidade.
Aos 14 anos, Rafael Cruz deixa atividades típicas da idade de lado para se concentrar em se tornar melhor lutador. Dedicação rende títulos e medalhas em competições

Relembre a adolescência. Aos 14 anos, o que você fazia? Quais foram suas experiências? Em uma breve busca na memória podem vir à cabeça algumas brincadeiras: futebol no campinho da esquina, pique-esconde, pega-pega, cabra-cega, queimada, pipa na vizinhança… Dá para lembrar até das primeiras paqueras. Pois é, mas essa realidade tem sido diferente para o adolescente Rafael Cruz, e por opção dele. O garoto de 14 anos se propôs a ser, desde cedo, um grande lutador. Ele se dedica de forma especial ao jiu-jítsu, e o esforço vem compensando. Rafael coleciona medalhas, a última delas da V Copa do Mundo Interclubes de Jiu-jítsu, em Vespasiano, em julho deste ano.

“Já deixei de estar com meus amigos, me divertir, brincar, sair, ir a festas ou a até eventos familiares. O esporte é minha prioridade, e a rotina está voltada para o jiu-jítsu. Continuarei treinando quando for preciso, nos finais de semana, feriados, o que for. Procuro treinar de forma séria para aprender melhor, quero continuar campeão”, disse o lutador, que compete na categoria infanto-juvenil B, faixa laranja.

Continua depois da publicidade.

No esporte há quatro anos, não bastasse à dedicação nos treinos, Rafael, natural de Lagoa da Prata, no Centro-Oeste de Minas Gerais, também usa outra forma de aprendizado. Inspirado nos irmãos Mendes e Miyao, ele acompanha os lutadores através de vídeos no Youtube. Lá, o adolescente observa as lutas a fim de aperfeiçoar o jogo. Apesar de estar mais novo na categoria, Rafael afirma que vê características parecidas, já que eles também são guardeiros.

“O meu jogo é parecido com o deles, por causa disso sempre os acompanho na internet, procurando aprender novas técnicas. Além disso, eles me inspiram. Os irmãos Miyao, por exemplo, não tinham nada e conquistaram tudo por causa do esporte, chegaram até a morar no tatame, treinavam quase que o dia inteiro. A dedicação é essencial e procuro me guiar através desses caras, para um dia me destacar de forma semelhante”, afirmou.

Com treinamentos diários, de até quatro horas, neste ano ele também foi campeão da Copa Leão Dourado, em Belo Horizonte, além de acumular conquistas em Minas e São Paulo. Para o mestre Marcos Fejão, apesar da pouca idade, Rafael tem muito potencial de crescimento, já que é responsável, obediente e atento aos ensinamentos.

“Ele é um atleta diferenciado, a técnica é superior e ele é dedicado, a seriedade que trata o esporte é impressionante, realmente um profissional. Apesar de ter apenas 14 anos, Rafael tem responsabilidade de sobra, por isso vem ganhando todos os campeonatos que participa. Para mim, ele é um dos melhores da categoria em Minas Gerais”, concluiu o mestre.

Por: Globo Esporte

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp