COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade .

Presidente da Fundação Lucas Machado afirma que entidade fará, nas próximas semanas, um estudo sobre a demanda na região por cursos de graduação na área de saúde.

Nas próximas semanas Lagoa da Prata receberá a visita de técnicos da Fundação Lucas Machado (Feluma) que irão fazer um diagnóstico das áreas de saúde e educação para avaliar a viabilidade de firmar parceria para oferecer cursos na área de saúde. O anúncio foi feito na terça-feira (17/08) pelo presidente da entidade, Dr. Wagner Eduardo Ferreira, após receber a visita do prefeito de Lagoa da Prata, que apresentou as potencialidades do município e formalizou o interesse em oferecer cursos de graduação aos estudantes da cidade. “Vamos estudar o aprofundamento desses laços e ir além de internato rural para, quem sabe, avançarmos na criação de estruturas mais sólidas que possam renovar a questão da educação e da academia com a saúde. Quando somos convidados por cidades que a gente vê e vislumbra futuro, como Lagoa da Prata, que conhecemos bem, estudamos com carinho. Nossos técnicos farão uma visita em curtíssimo prazo”, disse Dr. Wagner ao Jornal Cidade.

A Fundação Educacional Lucas Machado é a entidade mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas, que é a segunda mais tradicional do Estado de Minas Gerais, com 66 anos de existência.

Continua depois da publicidade .

Leia, a seguir, a entrevista com o presidente Dr. Wagner Ferreira:

Como o senhor avalia esse primeiro encontro?
Vejo com bons olhos para podermos dinamizar, estruturar o sistema de saúde e ajudar com nossa experiência na área de ensino. Já temos uma relação de longa data. Tivemos, no passado, o internato rural em Lagoa da Prata. Também tivemos alunos nossos na área de psiquiatria, que era a especialidade que a cidade oferecia no consórcio intermunicipal de saúde. Agora renovamos esses laços de parceria.

Vamos estudar o aprofundamento desses laços e ir além de internato rural – que já é uma iniciativa importante – para, quem sabe, avançarmos na criação de estruturas mais sólidas que possam renovar a questão da educação e da academia com a saúde.

Quais as áreas de atuação da Fundação?
Temos parcerias no Amazonas, em Mato Grosso e em São Paulo. Vamos chegar a 12 mil alunos na pós-graduação. Temos aprovado o campus de Lagoa Santa, que está em construção, com capacidade para atender 4 mil alunos. Estamos, predominantemente, na área de saúde, mas temos também um estudo no MEC em fase final de aprovação para oferecer curso de engenharia aeroespacial e manutenção de aeronaves no polo de Lagoa Santa. Vamos levar cursos de tecnologia para Minas Gerais. E quando somos procurados por cidades sérias, com competência administrativa e gestão, a gente vislumbra futuro, como Lagoa da Prata, que conhecemos bem, vamos estudar com muito carinho. Nossos técnicos farão uma visita em curtíssimo prazo.

Quais serão as próximas etapas?
Vamos estudar as questões estratégicas de Lagoa da Prata. Depois vamos estudar, in loco, com a permissão do prefeito e da câmara de vereadores, um diagnóstico da região na questão da saúde e educação. Isso é rápido, uma espécie de auditoria. Depois faremos o planejamento estratégico do que vai acontecer em seis meses, um ano, dois anos… e se a viabilidade do curso de medicina existir, vamos dinamizar e fazer a oferta para a região.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp