COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade .

Estudante foi retirado do Salão de Atos da PUCRS pelos seguranças do evento chamado “Fórum da Liberdade” após perguntar ao senador tucano sobre droga em helicópetero de Perrella

 

Um estudante da Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) foi expulso do Fórum da Liberdade, em Porto Alegre, após fazer uma pergunta ao pré-candidato tucano à Presidência Aécio Neves. Ele questionou sobre o helicóptero da família Perrella – considerada aliada de Aécio – apreendido em novembro passado com quase 500 quilos de cocaína.

Quase me agrediram, foi isso o que aconteceu

Continua depois da publicidade .

O senador ignorou a pergunta e deixou o palco, onde foi convidado para falar sobre “competitividade”. No mesmo momento o estudante de ciências sociais Marcelo Ximenes, 25,  foi abordado pelos seguranças e retirado do Salão de Atos da PUC-RS, onde ocorria o evento, a 27ª edição do chamado Fórum da Liberdade. “Quase me agrediram, foi isso o que aconteceu”, disse o estudante, reclamando dos seguranças. “Eu gritei alto (a pergunta), já que não tinha microfone. Se eu colocasse uma pergunta como essa no papel, ninguém ia ler. Esse não é um espaço democrático, como todo espaço da direita. Que democracia é essa que não se pode fazer uma pergunta? ”, questionou Marcelo.

Em seu discurso, o senador fez críticas ao governo da presidente Dilma Rousseff, como tem sido comum em seus pronunciamentos, e quando saiu do palco, após ficar visivelmente incomodado com o questionamento, ele já estava finalizando a sua participação. O público vaiou o estudante após a pergunta. A organização do evento ainda confiscou a credencial de identificação dele e disse que opiniões divergentes são aceitas no fórum, mas que é preciso “educação”.

Em sua conta no Facebook, Marcelo demonstrou sua indignação em relação ao episódio:

“Hoje, durante a palestra do Senador Aécio Neves no Fórum da Liberdade, fui expulso do evento após perguntar em voz alta no meio da plateia sobre o caso do helicóptero de Zezé Perella, seu aliado encontrado com quatrocentos e cinquenta quilos de cocaína no interior de Minas Gerais. Ora, se ele não tem nada a temer, porque simplesmente não pegou o microfone e respondeu minha pergunta de volta? Admito que ficou um tanto complicado, já que seus partidários psdbistas começaram a me ameaçar e agredir verbalmente. No pretenso Fórum da “ Liberdade ” quem tem opinião divergente ou faz algum tipo de questionamento que incomoda é expulso e achincalhado. Aviso ao senador Aécio Neves e aos organizadores deste fórum, que a Liberdade humana não se realiza na maioridade penal como o candidato a presidente tanta prioriza em seu discurso, muito menos no mercado, mas sim no debate franco e aberto, bem como através das reais potencialidades humanas que estão longe de ser exaltadas na competição.

OBS : Lembrando que é bem contraditório para alguém que defende a maioridade penal de forma tão veemente ser conivente com toda essa quantidade de pó no helicóptero de seu aliado político.”

Procurada pela reportagem, a assessoria do PSDB informou que ainda não irá se manifestar.

Relembre o caso

Em novembro passado, um helicóptero que estava no nome da empresa do deputado estadual Gustavo Perrella (SDD-MG), filho do senador Zezé Perrella (PDT-MG),  foi apreendida com 445 kg de pasta base de cocaína na zona rural de Afonso Cláudio (ES). A Polícia Militar da cidade investigava o local, que apresentava movimentação suspeita há 15 dias, e flagrou a aterrissagem. Além disso, também foram encontrados R$ 16 mil em dinheiro na aeronave. Piloto, co-piloto e dois homens que receberiam a droga foram presos.

O total de 445 kg de pasta base de cocaína, que equivale a até R$ 10 milhões, segundo cálculo da Polícia Federal, possui entre 92% e 96% de pureza. A droga estava em formato de tabletes, dentro de caixas, que encheram quatro picapes Hilux da polícia.

 

Fonte: O Tempo

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp