COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Em junho os olhos dos amantes da bola estarão voltados para o Brasil com o início do Mundial de Futebol. Nos próximos meses delegações de diferentes países começam a chegar no país para se preparar para a competição. Para que tudo ocorra bem um esquema especial de segurança é organizado. Um dos responsáveis por essa segurança será o delegado da Polícia Federal de  Divinópolis Benício Cabral, de 55 anos, natural de Bom Despacho, que foi selecionado para zelar pela seleção do Chile.

Com a notícia de que o país sediaria o evento, o delegado logo se inscreveu para ocupar a função de oficial de ligação, responsável pela ligação entre a segurança pública e a delegação. “Temos uma relação semelhante a diplomacia e assim como ocorreu na Copa das Confederações no ano passado, cada oficial é responsável por um país”, explicou.

Continua depois da publicidade.

Para ser selecionado, Benício precisou comprovar fluência na língua espanhola e ter disponibilidade para assumir a função por cerca de 60 dias durante o período do Mundial. A seleção do país que ele vai acompanhar durante o evento será a do Chile. “Assim que a delegação pousar no Brasil eu tenho que estar na porta do avião, me apresentar a comissão e estabelecer uma ligação com a pessoa responsável pela segurança do time. Devo mantê-los informados sobre como serão as deslocamentos e esquemas de segurança”, contou.

A seleção do Chile ficará hospedada na Toca da Raposa em Belo Horizonte. Nesse período ganhará um novo integrante no elenco que vai acompanhar a delegação 24 horas por dia. “Eu vou ficar hospedado no mesmo hotel que eles, do primeiro ao último dia deles no país. Quando eles forem jogar em outros estados eu sempre viajo no avião, coordeno a escolta em caso de coletivas e sou o responsável pelo esquema de segurança. Um trabalho complexo, mas ao mesmo tempo facilitado, já que envolve outras equipes”, informou Benício.

Isso porque um Centro de Controle de Segurança será montado em todas as cidades sedes dos jogos. Todos os órgãos de segurança se comunicarão constantemente para que nenhum imprevisto estrague a festa. E uma das aliadas dos oficiais de ligação será a tecnologia. “Vamos reportar tudo por meio de rádio, walk talk e um aplicativo semelhantes ao WhatsApp que será usado somente pelas policias”, disse o delegado de Divinópolis.

Uma curiosidade é que Benício será o único estrangeiro autorizado a ter acesso ao ônibus da seleção do Chile durante os deslocamentos. “Isso porque eu tenho que zelar pela segurança deles. Em caso de manifestações, eu me comunico com a central caso tenha alteração da rota”, informou.

Com tantos craques famosos do futebol a poucos centímetros de distância, a tentação em bater uma foto é inevitável, mas segundo o delegado, os oficiais de ligação vão precisar conter esses registros. “Não pode haver tietagem. Não podemos nos dirigir aos jogadores, bater foto pois tudo isso é vedado, afinal estaremos trabalhando. Durante os jogos ficamos sentados próximos aos técnicos e muitos perguntam se vou ver o jogo, mas não dá nem tempo, pois terei que ficar atento a qualquer perigo”, garantiu.

Convivendo com a delegação chilena mesmo que por um curto período, uma dúvida paira: Para qual país o delegado vai torcer na competição? “É claro que com o tempo você passa a se identificar com eles, afinal você está defendendo essa seleção, mas é importante ter sempre em mente que sou um profissional brasileiro. Mas confesso que estou torcendo para que Brasil e Chile cheguem longe no Mundial de Futebol”, brincou Benício.

 

Fonte: g1/centrooeste

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp