COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

A Escola Estadual Helena Aparecida comemorou no dia 24 de novembro 30 anos de trabalho. A festa de comemoração aconteceu na quadra Luciene Santos Carvalho, que está localizada no mesmo prédio e espaço físico da Apae de Lagoa da Prata.

Nei Cabral, diretor da Escola Estadual Helena Aparecida
Nei Cabral, diretor da Escola Estadual Helena Aparecida

Segundo o diretor Nei Cabral de Sousa, a comemoração foi marcada pela apresentação do Hino Nacional cantado pelos alunos da E.E. Helena Aparecida, acompanhadas pelo cantor Renato Ferreira, apresentação do coral Vozes Especiais, composto pelos alunos da escola e regido pelo maestro: Rik, da banda RZ, número de dança apresentado pelos alunos e organizado  pelo professor  Darlen Amorim, entrega dos certificados em agradecimento aos 12 primeiros alunos, aos 27 primeiros profissionais que atuaram nos primeiros anos da escola e aos 47 profissionais que trabalham atualmente na escola. Além disso, foi oferecido bolo para mais de 300 pessoas que estavam presentes. “Hoje temos 117 alunos matriculados, além dos atendimentos dados a alunos com deficiência de demais escolas. Ficamos muito felizes com a presença de mais de 300 pessoas entre funcionários, homenageados, alunos e familiares em nossa comemoração. A alegria e satisfação de todos em estar ali, além do sentimento de gratidão pelo reconhecimento de anos de trabalho em prol das pessoas com deficiência de Lagoa da Prata.

Hoje, posso dizer com muito orgulho que ela é tratada muito bem e percebo que a inclusão social precisa não somente de uma escola especial, de um prédio, de uma estrutura, mas ela precisa de pessoas especiais para direcionar nossos filhos

Continua depois da publicidade.

De acordo com Gilberto Resende, pai da aluno Maria Júlia, sua filha só de desenvolveu devido os trabalhos que são desenvolvidos pela escola. “Eu e minha esposa tínhamos o sonho de ver a nossa filha incluída em uma escola normal, então, não tenho vergonha de dizer isso, nós a tiramos da Apae e colocamos em uma escola de nosso bairro, mas ela foi ficando triste, não se socializava, não queria mais ir para a escola etc. Isso gerou um grande transtorno para ela. Então, nós vimos que era a hora de voltar atrás. Retornamos com ela para a Apae e ela foi muito bem recebida todos os profissionais e com o tempo vimos ela melhorando cada dia mais. Nós ligamos para o diretor Nei e explicamos a situação, ele, prontamente atendeu o nosso pedido. Hoje, posso dizer com muito orgulho que ela é tratada muito bem e percebo que a inclusão social precisa não somente de uma escola especial, de um prédio, de uma estrutura, mas ela precisa de pessoas especiais para direcionar nossos filhos ”

 A CONSTRUÇÃO DE UMA HISTÓRIA DE LUTA E REALIZAÇÕES 

Gratidão é uma virtude, que por si só, se mostra capaz de encantar o coração daqueles que doam parte de sua própria vida para ajudar a descobrir soluções ou simplesmente fazer com que fiquem mais leves as tormentas de nossa existência.

Por: Nei Cabral

A atual Escola Estadual Helena Aparecida-Educação Especial possui uma história rica, repleta de grandes momentos e ações que transformaram não só a vida dos alunos, familiares, professores e demais profissionais que aqui foram acolhidos, mas de toda sociedade de Lagoa da Prata e região.

A Escola Helena Aparecida e a APAE-Associação de Pais e Amigos de Excepcionais de Lagoa da Prata, nasceram de um sonho. Mas, todos sabem: um sonho que se sonha só, na maioria das vezes não passa de um mero sonho, mas um sonho que sonhamos juntos, ele já é em parte uma realidade. Foi assim com a nossa tão amada escola. Foi somando os sonhos, os desejos, as necessidades, o trabalho, empenho e apoio de muitos que, em dezembro de 1982 deram início ao projeto de implantação e, sob a benção de Deus, em 22 de maio de 1983, juntamente com a APAE, a Escola Helena Aparecida nasceu. Inicialmente pequena, com doze alunos, três professoras voluntárias e cinco liberadas pela Secretaria Estadual de Educação de Minas Gerais. Este foi um fato histórico de grande relevância para a cidade de Lagoa da Prata, a partir daquela data, as pessoas com deficiências que antes eram mantidas reclusas dentro de suas próprias casas, sem contato com a sociedade, passaram a serem vistas e respeitadas como pessoas de direitos, como todo e qualquer cidadão brasileiro.

13567147_119847115114308_661055740480096765_n

Mas o porquê do nome: Helena Aparecida? Este é um fato curioso cercado de mistério. O nome da Escola teve sua origem através de um sonho de uma das três primeiras pessoas que abraçaram a causa da implantação da APAE e da própria escola: Maria de Lourdes Dôco. Ela afirmava que, em uma noite, uma menina apareceu em seu sonho, lhe puxava o vestido e pedia insistentemente para que a escola recebesse o seu nome: Helena Aparecida. Na época, todos conheciam a estória triste desta menina que aos 7 anos de idade fora assassinada de forma trágica em Lagoa da Prata.

Como forma de marcar o momento e valorizar aquela tão desejada escola que por ora se inaugurava, a professora Guiomar Sampaio, compõe letra e música do hino da Escola Helena Aparecida, que com grande alegria e propriedade, ainda hoje representa muito bem o espírito de todos que aqui estão.

Aqueles primeiros anos foram de grandes alegrias e muitas conquistas, apesar das não poucas dificuldades financeiras enfrentadas. E foi em busca de amenizar parte daquelas dificuldades que, com o valoroso trabalho da direção da época, em 29 de outubro de 1986, a Escola Helena Aparecida deixa de ser uma escola da APAE e passa a integrar a Rede Estadual de Ensino de Minas Gerais, sob o novo nome: Escola Estadual Helena Aparecida – Educação Especial. Foi criada a partir do decreto número: 26.285, publicado no jornal Minas Gerais daquela mesma data. Desde então, a cidade de Lagoa da Prata passou a ser um dos 32 municípios mineiros privilegiados com a implantação de uma Escola Estadual de Educação Especial.

O primeiro prédio que abrigou esta instituição de ensino foi cedido pela Associação dos Vicentinos; o mobiliário e o primeiro veículo foram doados pela comunidade. Atualmente, com uma estrutura física ampliada, mobiliários renovados, alimentação adequada, atendendo a 117 alunos matriculados com idade mínima de 6 anos, 47 funcionários das diversas áreas pedagógicas e que compõe a equipe multidisciplinar na área da saúde, a Escola Estadual Helena Aparecida – Educação Especial, após sessão de imóvel pelo município de Lagoa da Prata no ano de 1998, hoje compartilha com a APAE este prédio situado à Rua Joaquim Gomes Pereira, número 02, bairro Gomes.

Durante essa caminhada de 30 anos, muitos foram os obstáculos superados:

  • Em 1986 houve a criação da escola com a implantação dos anos iniciais do Ensino Fundamental;
  • Em 1998 cria-se o Processo de Educação Profissional e Colocação no Trabalho, que desde então permitiu que fizéssemos importantes parcerias com várias empresas locais com consequente inserção de vários de nossos alunos no mercado de trabalho.
  • De 2000 a 2004 a Escola Estadual Helena Aparecida buscou uma experiência nova: A inclusão escolar inversa, com a qual, as crianças com deficiências passaram a conviver com outras não deficientes dentro da nossa própria escola. Foi um período novo de grande aprendizado e crescimento pessoal e coletivo.
  • Em 2012 implantou-se a EJA (Educação de Jovens e Adultos) nos anos finais do Ensino Fundamental.
  • Para 2017, estamos unindo esforços e trabalhando com o intuito de viabilizar a implantação do Ensino Médio Profissionalizante Especial, caso se configure em realidade, esta será mais uma grande conquista para nossa cidade.

destac-apae

A Escola Estadual Helena Aparecida – Educação Especial se orgulha de todos os profissionais que por aqui passaram. Alguns ficaram por poucos meses, outros por anos, outros tantos, aqui construíram sua carreira e saíram somente quando da sua aposentadoria. Fato é que todos, indistintamente, fizeram o seu melhor e contribuíram decisivamente para que cada criança e jovem que por aqui passou, dia após dia, superassem os seus limites individuais e tivessem como consequência a melhoria da sua qualidade de vida. Portanto, a todos e todas que por aqui passaram, fica aqui um acalento: o trabalho foi bem feito, os frutos são muitos, e o melhor de todos – o exemplo foi seguido. Sim, pois, outros profissionais vieram, com novas experiências e novos sonhos, e estão levando adiante essa missão que há 30 anos foi iniciada por muitos de vocês que aqui estão.

Não há como negar, somos todos passageiros. Mas, contrariando a efemeridade desta vida, um fato nos acalenta: todos temos o poder de nos eternizar pelo resultado de nossas ações.

Portanto, a todos os alunos, pais e familiares, aos professores, pedagogos, aos auxiliares de serviços gerais, motoristas, zeladores, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, dentistas, médicos, terapeutas ocupacionais, diretores, aos gestores e agentes políticos estaduais e de nosso município, e a nossa eterna parceira APAE que sempre nos tem apoiado e todos aqueles que, de forma direta ou indireta, passaram por aqui e cumpriram as suas missões individuais; indistintamente, a todos, a cidade de Lagoa da Prata, pais e familiares, que se resume no que podemos chamar de família: Escola Estadual Helena Aparecida, o nosso sincero reconhecimento, agradecimento e respeito.

Já aos profissionais que ainda hoje atuam em nossa instituição; nosso igual reconhecimento, agradecimento e respeito. Contudo, a vocês cabe uma responsabilidade ainda maior: a de continuar a desbravar, com a garra, dedicação e competência de sempre, os novos desafios que nos são rotineiramente impostos, e mais, nos cabe receber e preparar os profissionais que no futuro atuarão nesta instituição, pois, de fato, a nossa missão maior: que é a de cuidar de nossos alunos com deficiência, ainda continuará.

Sim, precisamos lutar por novas conquistas de direitos para as pessoas com deficiência, mas, sobretudo, necessitamos também manter e valorizar o que já foi conquistado

Enfim, lembrem-se: o tempo jamais apagará o fato de que todos vocês, não só contribuíram, mas, fazem parte da história de 30 anos de construção de uma Escola que seja de fato para todos. Sim, precisamos lutar por novas conquistas de direitos para as pessoas com deficiência, mas, sobretudo, necessitamos também manter e valorizar o que já foi conquistado”, afirmou Cabral.

Parceria com a Apae

30 anos de pareceria em benefício da pessoa com deficiência.
Diretor Nei Cabral e Isamin Couto, diretora da Apae
Diretor Nei Cabral e Isamin Couto, diretora da Apae

Além de ocuparem o mesmo prédio, a E.E. Helena Aparecida e a instituição APAE dividem a responsabilidade de cuidar das pessoas com deficiência em nosso município.

A E.E. Helena Aparecida recebe matrículas dos alunos com idade mínima de 6 anos e se responsabiliza pelo trabalho pedagógico de oferecer todo o percurso escolar.  O foco do trabalho, além da alfabetização, é adaptar os conhecimentos comuns de uma escola regular às realidades e necessidades dos alunos com deficiência através de projetos pedagógicos e oficinas de preparação para o trabalho.

Cabe à APAE receber as pessoas com deficiência que já venceram o seu período de escolarização, dando foco ao trabalho de Assistência Social, socialização, inclusão no mercado de trabalho, prestação de serviços na área da saúde via SUS e projetos na área de esporte, lazer e cultura.

De modo complementar, as duas instituições oferecem aos alunos e demais usuários os serviços de:

  • Fisioterapia;
  • Terapia Ocupacional;
  • Psicologia;
  • Fonoaudiologia;
  • Assistência Social;
  • Odontologia;
  • Psiquiatria;
  • Neurologia;
  • Nutricionista;
  •  Clínica Geral.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp