COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade .

Aconteceu no dia 29 de setembro a 1ª Feira Cultural da Escola Estadual Arnaldo de Faria Tavares. O evento abordou temas como literatura, jogos matemáticos, meio ambiente, horta de verduras e legumes, esportes, escritores, pintores e invenções. Segundo o diretor Roberto José de Melo, o tema foi escolhido a partir da necessidade e interesse dos alunos nessas áreas. “Essa foi a nossa primeira feira. Nela, objetivamos despertar nos alunos um gosto mais apurado pela leitura, envolvimento na matemática para aprenderam de maneira lúdica, consciência sobre a preservação do meio ambiente e técnicas de plantio/colheita”, disse.

A escola possui 363 alunos do 1º ao 9º ano do ensino fundamental e 54 profissionais. De acordo com a organização, mais de 2 mil pessoas estiveram durante o evento. “Os temas foram divididos entre os professores. Todas as turmas estavam envolvidas em todos os temas. Durante dois meses os professores orientaram os alunos e estes pesquisaram sobre os temas que seriam apresentados na feira. Os trabalhos foram feitos na escola e em grupo, em parceria com a comunidade, envolvendo as famílias. Após pesquisar e conhecer o tema, cada grupo se mobilizou e confeccionou o que foi exposto, na escola e em casa. Alguns alunos buscaram parcerias na comunidade arrecadando recursos que ajudaram nas despesas da feira. A escola também fez um bingo com objetivo de arrecadar recursos que foram divididos igualmente entre os grupos. A comunidade escolar também foi convidada para vender seus produtos na nossa praça de alimentação com a finalidade de trazer a comunidade para dentro da escola e descobrir os talentos da nossa comunidade”.

Continua depois da publicidade .

Segundo o diretor, a feira ainda proporcionou descobrir talentos. “Na praça de alimentação o aluno Pedro Henrique Andrade Edson Ferreira, aluno do 6° ano, expôs uma mão mecânica confeccionada por ele e o pai dele, o Cassiano Abílio Ferreira, expôs uma bicicleta confeccionada por ele e feita exclusivamente de material reciclável”, disse.

Roberto ainda destacou que a feira foi uma oportunidade de toda sociedade estudantil conhecer os trabalhos os funcionários e alunos, além de enriquecer a cultura com novidades, trabalhos diferenciados. “Isso desperta em todos o interesse e prazer em participar e realizar feiras”, afirmou.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp