COMPARTILHAR
Foto: Arquivo Pessoal
Continua depois da publicidade .

O atleta lagopratense Milton Vieira foi contratado recentemente pelo time de handebol Octavio Vigo, da Espanha. Filho de Eunice de Fátima Ludovico e Milton Vieira da Silva, o atleta passou por vários obstáculos até chegar ao seu sonho. Milton se mudou de Lagoa da Prata quando tinha 17 anos e foi para Piracicaba, interior de São Paulo, onde jogava handebol, estudava e trabalhava. “Aos 12 anos eu já tinha que dividir o tempo entre trabalho e treinos. Comecei muito cedo no handebol e sempre almejei voos mais altos”, disse.

Em entrevista exclusiva para o Jornal Cidade, ele falou sobre sua vida profissional e projetos.

Continua depois da publicidade .

Jornal Cidade: Desde quando você é atleta profissional de handebol?

Tive oportunidade de jogar o profissional em 2015 por Londrina- PR

Como surgiu essa paixão pelo esporte?

Desde muito novo eu vivia dentro da quadra praticando vários esportes, então, comecei a participar de campeonatos aos 12 anos pelos Jogos Escolares de Minas Gerais (Jemg).

Como aconteceu a oportunidade de ir para a Espanha?

Eu sempre acompanhei os campeonatos internacionais pela internet e ao ver alguns amigos que cresceram no esporte comigo, fiquei animado a tentar algo a mais que clubes brasileiros. Então, montei um canal no YouTube com meus lances e jogos e estava a tentar uma oportunidade desde 2015.  Um diretor da equipe onde estou hoje, em Vigo, viu os vídeos e entramos em contato.

Como foi sua recepção na Espanha?

Foi magnífica! Fui muito bem recebido. Essa é uma equipe de tradição na Espanha e muito respeitada. Os companheiros de equipe foram espetaculares comigo e fui muito bem recebido por todos desde a comissão aos atletas e dirigentes.

Quais as principais diferenças da Espanha e do Brasil? O que mais sente falta?

Bom, em termos de handebol há uma diferença muito grande aqui, eles respiram esporte, dão muito valor ao treinamento desportivo.  A estrutura e a forma com que trabalham são espetaculares. No Brasil tem muito talento, mas pouco incentivo e isso está a decair cada vez mais com o passar dos anos.

Você já jogou em quais clubes do Brasil?

Joguei por vários times de Minas Gerais antes de embarcar para São Paulo. Tive passagem pela própria Lagoa da Prata, por clubes que fui federado em Carmo da Mata, Martinho Campos, Betim, em São Paulo na cidade de  Piracicaba, no Paraná na cidade de Londrina.

Como é o seu treinamento e alimentação?

Meu treinamento é muito específico em termos de visão e táticas. É muito trabalho em blocos,  um pouco diferente do que estou acostumado no Brasil.

Hoje, qual o seu principal objetivo dentro do clube?

Fazer uma boa temporada, representar bem a equipe do Octavio Vigo e crescer muito profissionalmente.

De quem sente mais saudades estando aí na Espanha?

Ainda não deu tempo sentir saudades estou há pouco tempo na Europa, mas eu diria que da família, pois fico muito tempo sem vê-los.

Obrigado pela sua entrevista, o espaço está aberto para as suas considerações.

A gana de vencer não deve ser somente nas quatro linhas da quadra, deve se levar isso pra vida.  Que perder nem sempre quer dizer que perdeu e que sempre levamos algo bom disso.  Haverá inúmeros motivos para desistir,  mas a vontade de realizar seu sonho deve ser maior sempre. Nunca se sabe o que há do outro lado da ponte se não tiver a coragem de atravessá-la. Ter sempre a certeza de que Deus é contigo independente de qualquer coisa e acreditar que é capaz e a cada fracasso que tiver tem que se levantar e tentar,  tentar,  tentar e tentar até conseguir.  Deus na frente sempre! E mete o pé!

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp