COMPARTILHAR
Fotos: Arquivo pessoal
Continua depois da publicidade.

Fundado há pouco mais de um mês por Míriam Aparecida da Silva Castro, o grupo “Doutorzinhos da alegria: Onde a dor dá lugar ao amor” tem realizado visitas a pessoas acamadas em hospitais, igrejas, creches e entidades do município de Lagoa da Prata e região. Composto por uma criança, 25 adolescentes e cinco adultos, o projeto surgiu após a idealizadora vivenciar momentos de tratamento juntamente com sua mãe na Associação de Combate ao

Câncer Centro Oeste Minas de Divinópolis. “Nosso objetivo é levar carinho, amor e atenção a quem é tão carente de afeto, mas também mostrar aos adolescentes que fazer o bem ao próximo é muito simples e gratificante”.

Continua depois da publicidade.

Miram comenta sobre a importância deste trabalho voluntário. “Nosso trabalho é totalmente voluntário, pois precisamos de tão pouco para arrancar um sorriso de uma criança, uma pessoas doente, um idoso… Com isso, os adolescentes aprendem que é dando que se recebe. Agradeço a Deus pela oportunidade de poder transformar a dor que senti, ao ver minha mãe lutar contra o câncer, em alegria e amor, ao meu esposo Vanderli, meus filhos Luiz Gustavo e Lívia, que participam comigo, ao meu braço direito Tia Eliane, a Cláudia, Luana, Suellen, Debinha, tia Lidiane e, principalmente, aos meus doutorzinhos. Obrigada, amo vocês”, agradece a coordenadora.

Depoimentos

“É muito prazeroso, gosto muito de saber que pelo simples fato de uma visita, levando apenas carinho e amor, eu posso guiar muitas pessoas, proporcionando a eles momentos bons, trocas de carinho e afeto. É um sonho meu e de outros integrantes. Cada agradecimento, sorrisos e abraços que recebemos a cada visita me motivam a querer sempre mais. O que o mundo vem oferecendo para os jovens nem sempre é bom, mas em projetos como esse podemos fazer a diferença, escolhendo fazer o bem sem olhar a quem”. – Júlia Kelly Barbosa, 14 anos

Júlia Kelly Barbosa, 14 anos

“É muito gratificante participar deste projeto. Gosto muito de saber que com tão pouco conseguimos arrancar tantos sorrisos por onde passamos. A maior recompensa é receber um simples obrigado. Gosto de estar ali simplesmente pelo fato de doar amor. É muito melhor que receber. A cada projeto implantado para jovens existe uma grande probabilidade de aprendizado, o que torna a educação melhor.” – Sabrina Santos Paulo, 15 anos

Sabrina Santos Paulo, 15 anos

“É uma sensação maravilhosa saber que estamos fazendo o bem e que todo o nosso esforço vale a pena. Eu gosto da alegria que transmitimos para as pessoas, é animador arrancar sorrisos de quem está passando por momentos tão difíceis. Melhor que ter um coração repleto de amor, é doar esse amor!” – Ticiany Rocha Machado, 14 anos

Ticiany Rocha Machado, 14 anos

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp