COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

A proliferação dos aguapés no Rio Itapecerica é mais rápida que a recuperação. Em passos lentos, vão surgindo vestígios de soluções para salvar um dos principais patrimônios de Divinópolis. Os operários ainda não irão a campo e nem as máquinas serão ligadas, mas foi assinado o contrato para elaboração do diagnóstico e projeto para o desassoreamento do rio.

O processo licitatório foi concluído na última semana. A vencedora é a Dam Projeto de Engenharia Ltda. Com o valor de R$ 1.287.114,83 ela desbancou outras duas concorrentes, a DVP Engenharia e Projetos Ltda e a SPEC Planejamento, Engenharia e Consultoria Eireli, todas de Belo Horizonte. O contrato foi assinado na última quarta-feira (25).

Continua depois da publicidade.

A empresa terá 18 meses a contar da assinatura da ordem de serviço para concluir os trabalhos, assinada também na semana passada. O projeto deverá contemplar a limpeza, desassoreamento, recuperação das encostas e da barragem que existe na estrada do Buriti, na comunidade do Paiva.

Recuperação

Após a elaboração dos projetos de execução um novo processo licitatório será iniciado. Desta vez para contratar a empresa responsável pela execução. Serão necessários mais R$ 40 milhões para a obra. O valor milionário será pleiteado junto ao Ministério das Cidades e deverá ser liberado por meio de financiamento, conforme antecipado pelo vice-prefeito, Rodrigo Resende.

Até lá, ainda não se houve falar em medidas paliativas para tentar, pelo menos, livrar o rio que já está com quase todos os 18 quilômetros cobertos por aguapés. Há alguns meses a prefeitura iniciou a retirada, mas o serviço não demorou em ser suspenso. A alegação na época era de que as máquinas seriam utilizadas em outras obras no município.

Recentemente, parte do rio, próximo a ponto do Niterói, amanheceu coberta por espumas, essa semana a cena se repetiu. A causa é a mistura de detergente com agentes poluentes, segundo especialistas ouvidos pela reportagem na época.

Revolta

Essa mistura do verde dos aguapés com o branco das espumas tem gerado revolta na população. O assunto vira e mexe ressurge nas redes sociais. Internautas tentam dar voz aos gritos de socorro do Itapecerica. Tudo indica que esta paisagem irá permanecer por mais algum tempo. Isso porque não há como falar em despoluição sem a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). A primeira que irá contemplar o rio deverá ser concluída apenas em 2016 pela Copasa.

Fonte: G1

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp