COMPARTILHAR
Cali (Sec . Assistência Social ), Edi Junior , vereador Edmar Nunes , prefeito Paulo Teodoro e Avelina , gerente da Caixa
Continua depois da publicidade .
Prefeitura e construtora convocam os 60 primeiros mutuários. Os outros 182 beneficiados serão chamados em outras três etapas

 

 

Continua depois da publicidade .

As 60 primeiras famílias beneficiadas pelo programa “Minha Casa, Minha Vida” foram convocadas pela prefeitura e construtora Valadares Gontijo para uma assembleia e assinatura do termo de adesão com a empresa.

O evento foi realizado no último dia 10, no Teatro Fausto Rezende. Ao todo, serão construídas 242 moradias populares no futuro Conjunto Habitacional Ângelo Teodoro. Os outros 182 mutuários serão convocados em outras três etapas. A construção das casas é uma iniciativa da prefeitura de Lagoa da Prata em parceria com o governo federal e Caixa Econômica Federal.

O processo de seleção dos beneficiados pelo programa teve início em 23 de setembro de 2013 pela empresa 2MD, que faz a intermediação entre a prefeitura, construtora, banco e mutuários. “Apuramos um déficit habitacional de 3.700 moradias em Lagoa da Prata”, explicou Edi Júnior, representante da 2MD que participou da assembleia.
ATRASO NAS OBRAS
A gerente da Caixa Econômica Federal, Avelina Ferreira, explicou aos mutuários os motivos que ocasionaram a demora na tramitação da papelada. “Começamos o processo deste conjunto habitacional de uma forma e o Ministério Público Federal mudou a maneira de contratação dos financiamentos. Então tivemos que começar tudo outra vez. Tivemos que ir a Divinópolis várias vezes para resolver o mais rápido possível este entrave. Entregaremos todas as 242 moradias, mas a intenção da administração municipal é fazer mais 500 casas. Sabemos que o processo é burocrático, mas vale a pena quando você pega e chave, fecha a por- Contemplados com casas populares são convocados para assinar termo de adesão ta e diz: esta casa é minha”, afirmou.

Começamos o processo deste conjunto habitacional de uma forma e o Ministério Público Federal mudou a maneira de contratação dos financiamentos. Então tivemos que começar tudo outra vez.

O proprietário da Construtora Valadares Gontijo, Roberto Gontijo, garantiu aos mutuários que vai entregar as 60 primeiras moradias no prazo de até 12 meses. “O início das obras sofreu um atraso de até seis meses devido às novas exigências do Ministério Público, que solicitou a criação de uma cooperativa, que nós já fizemos. A intenção era construir as casas em até 18 meses, mas vou assumir o compromisso de entregá-las em um ano”, garantiu Gontijo.
SONHO REALIZADO

 

Eduardo Oliveira não tinha expectativa de construir
Eduardo Oliveira não tinha
expectativa de construir

O publicitário Eduardo Oliveira é um dos mutuários que foram contemplados nessa primeira etapa e sairá do imóvel alugado quando estiver com a chave de sua casa própria em mãos. “Moro de aluguel há quatro anos e não tinha nenhum plano futuro para obter uma casa. A prefeitura doou o lote, retirou alguns impostos, o governo federal concedeu os subsídios e tivemos todo o apoio. Queremos que o bairro Ângelo Teodoro seja um local bom para se viver e que não seja esquecido”, destacou.

Oliveira ainda ressaltou que mesmo com a demora na parte burocrática, o financiamento trará benefícios para a sua família. “Estou muito feliz, pois teremos vinte e cinco anos para pagar o imóvel sobre o valor mensal de R$ 450 a R$ 500, e as prestações irão diminuindo a cada ano, chegando ao valor mínimo de R$ 250. Para uma casa de 44 metros quadrados eu acho um valor alto, porém, a ideia é dar continuidade à nossa vida de um modo mais acessível”, afirmou.

O prefeito Paulo César Teodoro participou do evento e falou aos mutuários sobre o investimento feito pela
prefeitura na realização desse projeto. “Doamos o terreno e a infraestrutura. Este é o primeiro passo e acredito que logo mais teremos outros projetos. A ideia é entregar as chaves das casas o mais rápido possível para os primeiros sessenta selecionados”.
A Assessoria de Comunicação da prefeitura informou que outros programas habitacionais estão sendo avaliados para serem implantados.
Quatro representantes dos beneficiários, indicados e aprovados na assembleia, acompanharão todo o processo juntamente com os órgãos responsáveis pela execução da obra.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp